3 erros comuns na redação do Enem que os alunos não percebem

por | jul 14, 2022

Início » Enem » 3 erros comuns na redação do Enem que os alunos não percebem

Pedimos a nossos corretores que escolhessem os 3 erros mais comuns que têm encontrado nas redações para Enem que os alunos nos enviam. Eles escolheram, e você vai conhecê-los agora.

Como são erros que os corretores do Enem também têm visto nas redações, vamos usar trechos que estão na cartilha de corretores Enem para explicar um por um!

 

Erro comum de sintaxe na redação Enem

Truncamento de períodos

 

Períodos truncados são aqueles que são interrompidos de repente, com ponto, em vez de estarem ligados, como deveriam, com a oração seguinte. Isso tem muito a ver com pontuação.

Aqui vai um erro clássico marcado com o X:

 

exemplo redação enem

 

Realmente é um erro muito comum na redação do Enem – observe que a frase que se inicia com “visto que” é continuação da anterior, jamais poderia ser isolada dela com aquele ponto. Se você ainda não nota o erro, basta ler em voz alta obedecendo o ponto – sua voz vai preferir uma vírgula, apostamos!

Foi a mesma coisa que ocorreu com este outro candidato:

 

exemplo redação enem

 

Observe que a frase que começa com “Seja vendo” é totalmente dependente da anterior, jamais poderia ser separada dela com aquele ponto. Houve um truncamento da frase anterior.

 

Erro de coesão na redação Enem

Inadequação coesiva

 

Um conectivo inadequado é um desastre na sua nota de coesão. Conectivos são pequenas frases ou palavras que servem para ligar uma ideia a outra na redação. Aquelas que você decora, como “portanto”, “pois”, “ademais”, “nesse contexto”, mas também um número infinito de outras que fazem parte do repertório de quem tem o hábito de ler.

Você pode achar que é só colocar um tal conectivo no começo da frase ou do parágrafo e pronto! Se foi assim que lhe ensinaram, saiba que não é nada disso.

Temos aqui alguns trechos de redações do Enem em que o candidato usou conectivos, mas sem saber usar – o resultado foi a coesão destruída: 

A grande maioria das pessoas não tem conhecimento de como funcionam os algoritmos e o processo de controle de dados na internet, mas continuam sendo manipuladas cotidianamente.

Correção:

A grande maioria das pessoas não tem conhecimento de como funcionam os algoritmos e o processo de controle de dados na internet, por isso continuam sendo manipuladas cotidianamente.

 Observe a seguinte frase:

A relação entre pais e filhos melhoraria se os pais dessem mais importância aos filhos, onde estes pudessem opinar mais.

Correção:

A relação entre pais e filhos melhoraria se os pais dessem mais importância aos filhos, para que estes pudessem opinar mais.

Dica de ouro: não use um conectivo se você não sabe usá-lo; use os que você domina, para evitar esse erro que pode levar embora muitos pontos seus. 

 

Erro de argumentação na redação Enem

Contradição grave  

 

Contradição não é um erro assim tão comum, mas mesmo assim resolvemos mostrar para você. Ser contraditório indica que você não está muito seguro da sua tese e resolveu mudar de opinião no meio do caminho.

Leia esta redação do Enem, e veja se não está contraditória: 

 

 

Pense com a gente: o aluno queria provar que o ser humano não é manipulado pela internet, mesmo que ela tenha se tornado o maior meio de comunicação do mundo. Até aí, tudo bem.

Contudo, no decorrer da redação ele usou informações, fatos e opiniões que mostram o contrário: que as compras on-line e a ditadura da moda seriam fatores que influenciam o comportamento do usuário, sim!

Lamentavelmente, mesmo que outros aspectos de competências estejam em ordem, não há como esperar uma nota boa com essa argumentação contraditória. 

 

Erro no uso de repertório no Enem

Repertório sem uso produtivo

 

Neste trecho o candidato citou Kant. Consegue descobrir por que ele fez isso?

 

 

Sim, Kant existiu, foi um filósofo conhecido, então esse repertório é respaldado por uma área do conhecimento humano; e pensar por si próprio tem a ver com manipulação de comportamento, que estava dentro do tema. Portanto, existe pertinência: lembrar-se de Kant nesse momento tem nexo.

Porém, o que pode ter feito esse candidato se lembrar de Kant, se ele está decidido a falar de como a internet manipula o comportamento, de como ela está presente no dia a dia cada vez mais? O que isso tem a ver com a menoridade de Kant – aquela ideia de que precisamos pensar por nós mesmos?

Parece que o aluno citou Kant por citar, e Kant não teria nenhuma utilidade na redação dele. Ele não conectou o repertório à tese.

Esse é o típico repertório que não serve para muita coisa na tese que o aluno usou. Então é pertinente, porque tem alguma ligação com o tema geral, e é legitimado porque Kant é de conhecimento geral, mas… não teve uso produtivo.

Você vê que um repertório precisa estar na sua redação porque você vai usá-lo para demonstrar algo, não só porque tem a ver com o tema – atenção para esse detalhe. 

Agora, acontece também de o candidato usar repertório que nem tem a ver com o tema, com o assunto da redação!

 

Repertório não pertencente ao tema na redação Enem

 

Veja a citação que este candidato fez no final da redação dele – o que ela tem a ver com o tema?

 

 

Por que será que ele citou aquela frase de Platão?

Platão existiu mesmo, é um repertório legitimado pelas áreas do conhecimento. Mas… ”viver bem de verdade” não tem a ver com as preferências dos usuários estarem expostas na internet! 

Se você ainda tem dúvida, experimente eliminar a frase de Platão e veja se faz falta… Leve essa dica com você: se está em dúvida quanto a usar um certo repertório na sua redação, pergunte a si mesmo “se eu tirar, ele faz falta?”. Se não faz falta, então não use!

 

É ótimo aprender com o erro dos outros, né?! Contra esses erros acima você já está alerta para sua próxima redação. E por falar em próxima redação, por que não enviá-la para nossos corretores? Você pode estar cometendo erros que nem percebe e, por isso, é importante que receba feedbacks de profissionais qualificados!

QUERO ENVIAR MINHAS REDAÇÕES

Margarete Pulido é redatora e professora pela USP há mais de 30 anos, e é especializada em desbloqueio de escrita. Atualmente também cuida de seu próprio blog, escrevacertoblog.wordpress.com.

Assine um plano do Redação Online
Como fazer uma Redação do zero
Guia da Redação ENEM: tudo o que você precisa saber
Como tirar nota mil na Redação ENEM