Saiba o que é um repertório sociocultural e como ele é avaliado nas redações. Aprenda a ampliá-lo para produzir textos fundamentados e se destacar na hora das provas!

Ao ler uma proposta de redação, quem está treinando ou prestando alguma prova precisa estar atento para compreender o tema sobre o qual precisa escrever. Nessa hora, deve ser mobilizado o repertório sociocultural a fim de fundamentar os argumentos, especialmente em um texto dissertativo-argumentativo. Mas, afinal, o que é um repertório sociocultural e como ele pode ser importante para a redação? É sobre isso que vamos refletir neste artigo.

Para que um texto seja bem avaliado,  ele deve estar organizado, respeitando as estruturas do gênero e fazendo uso de uma linguagem objetiva. Porém, ele também precisa demonstrar que o autor possui segurança em relação ao assunto. Redações que são escritas sem embasamento sobre as ideias, normalmente, são genéricas, não conseguem desenvolver as informações. Assim, acabam apresentando muitas falhas no projeto de texto, o que significa que não houve eficiência na escolha da abordagem. Dessa forma, fica evidente que falta repertório sociocultural aos participantes que as produziram.

Esse repertório tem a ver com o conhecimento de mundo de cada pessoa. Na vida escolar, ao menos de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), todos devem ter acesso a conteúdos determinados. Eles estão distribuídos em diversas áreas de conhecimento (Linguagens, Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Matemática). Além dessa vivência, mais acadêmica, há outros conhecimentos não curriculares que também moldam a nossa forma de ver o mundo. Isso acontece por meio dos filmes que assistimos, das músicas que ouvimos, dos livros que lemos. Certamente, há muitas outras experiências que acabam servindo como “bagagem”, enriquecendo nosso repertório sociocultural.

Portanto, com base no que se afirmou anteriormente, podemos definir que esse repertório se refere a todos os conhecimentos adquiridos ao longo da vida.

Uma pessoa bem informada sobre diversos assuntos (saúde, economia, história mundial etc.), muito provavelmente, terá menos dificuldades para elaborar uma boa argumentação. Quanto mais interesses tivermos, melhor será nossa capacidade de “dialogar” com os fatos da realidade.

Qual a importância do repertório sociocultural na redação?

No Enem, o repertório é importante para pontuar na competência 2, mas também é avaliado na competência 3. A partir do nível 3 da competência 2, os participantes sabem que não basta afirmar algo sem relacionar com dados e informações. O que diferencia um texto mediano de um texto excelente é a diversificação do repertório utilizado. Além disso, há propriedade ao selecionar, relacionar, organizar e interpretar as informações, os fatos, as opiniões e os argumentos em defesa do ponto de vista.  Essa capacidade de convencer o leitor por meio de uma escrita estratégica é alvo de análise da competência 3.

Assim, para se dar bem na prova de redação, sempre que for afirmar alguma coisa, é necessário informar uma fonte, apresentar um dado, uma referência. Trace analogias com fatos da história, com obras de literatura, com teorias filosóficas. Utilize reflexões a partir de filmes ou séries. Sempre há nas artes e culturas algo que pode servir para refletir sobre a realidade que nos cerca. No entanto, essas relações precisam extrapolar o conteúdo apresentado nos textos motivadores ou coletâneas das provas dos vestibulares. É a partir dessa novidade, desse “extra” que o participante imprime sua marca no texto, configurando a autoria. Ou seja, é a partir disso que o candidato  se destaca e mostra por que seu texto merece ser lido (e receber uma boa nota).

Lembre-se: Para ser considerado produtivo, o repertório sociocultural precisa ter relação estrita com o tema. Citações e conceitos “soltos”, não articulados à discussão proposta, são avaliados em níveis mais baixos.

Caso não seja baseado apenas nos textos motivadores, um texto pode apresentar repertório não legitimado ou legitimado. O primeiro é aquele em que o participante utiliza informações, fatos, situações e experiências vividas SEM respaldo nas Áreas do Conhecimento (científicas ou culturais). Isso acontece, por exemplo, quando se afirma que há um crescimento no número de analfabetos e não se apresenta nenhum dado que confirme isso. É comum também o uso de expressões vagas, como “sabe-se”, “comenta-se”, “percebe-se”.

Não se esqueça: tenha certeza do que está falando e apresente fundamentação!

Já uma redação com repertório legitimado é aquela que utiliza informações, fatos, situações e experiências vividas COM respaldo nas Áreas do Conhecimento. De acordo com o Inep, estes são exemplos de repertórios legitimados:

– conceitos e suas definições;
– informações, citações ou fatos e/ou referências a Áreas do Conhecimento, tais como:
• fatos ou períodos históricos reconhecidos;
• referência a nomes de autores, filósofos, poetas, livros, obras, peças, filmes, esculturas, músicas etc.;
• referência a Áreas do Conhecimento e/ou seus profissionais, como Sociologia/sociólogos, Filosofia/filósofos, Literatura/escritores/poetas/autores, Educação/educadores, Medicina/médicos, Linguística/linguistas etc.;
• referência a estudos e/ou pesquisas;
• referência a personalidades, celebridades, figuras, personagens etc., desde que conhecidos;
• referência aos meios de comunicação conhecidos, como redes sociais, mídia, jornais (O Globo, Revista Veja, Rede Globo, Folha de S. Paulo etc.)

Agora que você já sabe o que é e como ele pode ser importante para atingir o seu 1000 (por que não?), anote algumas dicas para ampliar o seu repertório sociocultural:

  • Assista a documentários sobre assuntos da atualidade e também os históricos, para conhecer o passado.
  • Conheça as manifestações da cultura popular na sua região.
  • Leia obras literárias e não literárias. Pense de que forma elas se relacionam com fatos do momento.
  • Cultive o hábito de ler as principais notícias do dia, preferencialmente em mais de uma fonte. Analise como a mesma informação pode ser contada de diferentes formas.
  • Faça fichamentos por eixos temáticos com as principais teorias, conceitos e autores que você conhece.
  • Estude e treine muito a redação, especialmente sobre temas que você não domina. Ao fazer a pesquisa para produzir um texto, você já estará ampliando o seu repertório sociocultural.

Agora é com você! Estamos na torcida para que este conteúdo auxilie a melhorar o uso dos seus conhecimentos nas suas próximas redações! Até a próxima!

QUERO APRENDER REDAÇÃO!

Comentários do Facebook