logo redação online

As diferenças entre as redações da Fuvest, Unicamp e Unesp

Pleonasmo vicioso

Confira quais foram as propostas de redação dos três principais vestibulares  de São Paulo nos últimos cinco anos.

Você estudou, se preparou para todas as disciplinas e foi aprovado na primeira fase dos maiores vestibulares do país: Fuvest, Unicamp e Unesp. Hora de comemorar a aprovação? Vamos com calma! A segunda fase destas provas guarda o maior desafio de parte dos vestibulandos, a redação. 

Para quem pretende prestar os três vestibulares, é preciso se debruçar sobre o gênero textual exigido em cada um, o perfil dos temas e outros detalhes que podem pegar desprevenido. Afinal, precisa ter título na redação da Fuvest? Vou escrever um ou dois textos na prova da Unicamp? A Unesp pede proposta de intervenção? Então, é tudo isso que vamos responder neste texto!

Fuvest

A Fuvest segue um modelo bem tradicional de avaliação cobrando uma dissertação argumentativa, sem apresentar um problema, diferentemente das redações propostas pelo Enem. Além disso, a banca exige a análise de um fenômeno sociológico, social e comportamental.

Assim, suas propostas de redação são conhecidas por proporem reflexões abstratas e filosóficas, como confirmam os últimos cinco temas exigidos pelo vestibular da USP.

Tema da Fuvest 2019: “De que maneira o passado contribui para a compreensão do presente?”

Revisionismo, evolução, tensão e conflito históricos deveriam se relacionar à compreensão do presente, evidenciando a importância de pensarmos o contemporâneo não como algo “espontâneo”, mas como consequência do passado.

Tema da Fuvest 2020:

Em 2020, o tema exigido pela Fuvest foi “o papel da ciência no mundo contemporâneo”, mantendo a tradição da banca em cobrar temas contemporâneos e permitindo que os candidatos fizessem uma reflexão mais abrangente. 

Tema da Fuvest 2021: “O mundo contemporâneo está fora da ordem?”

Essa é a pergunta com a qual os candidatos da Fuvest 2021 se depararam. Uma discussão “a cara” da Fuvest, já que instiga o candidato a desenvolver uma reflexão crítica e autoral sobre a sociedade. 

Tema da Fuvest 2022: “As diferentes faces do riso” foi o tema da redação da Fuvest em 2022.

Além disso, segundo professores, a banca esperava que os candidatos se baseassem na realidade para refletir acerca do tema, explorando de que forma o riso poderia ser mobilizado politicamente.

Tema da Fuvest 2023: No último vestibular, a Fuvest trouxe como tema os “Refugiados ambientais e vulnerabilidade social”.

Por fim, a proposta surpreendeu parte dos estudantes e dos professores, já que focou em uma problemática mais atual e menos em uma reflexão filosófica. 

Unesp

De acordo com os cinco últimos temas de redação do vestibular da Unesp, podemos traçar um perfil temático da prova de redação: a problematização social. Para exemplificar, temos propostas sobre racismo, imagens trágicas, concentração de renda, voto facultativo e consumo.

O candidato precisa, então, estar inteirado sobre as discussões contemporâneas sobre o lugar do indivíduo no mundo e, por meio do texto, expressar como enxerga o funcionamento social nacional e mundialmente.

2019:

Ao reescrever a frase do filósofo René Descartes (1596-1650) “Penso, logo existo.”, e transformá-la numa pergunta associada ao consumo (“Compro, logo existo?”), a Unesp propõe  reflexões a respeito da identidade do indivíduo contemporâneo ser baseada na compra de produtos.

2020:

Os candidatos deveriam escrever uma dissertação sobre o tema “o carro será o novo cigarro?“. A coletânea trouxe quatro textos motivadores, o Manifesto Futurista, do poeta italiano Filippo Tommaso Marinetti, um poema de Carlos Drummond de Andrade, uma charge e uma reportagem. 

2021:

A proposta de redação desta edição foi escrever um texto dissertativo-argumentativo com o tema “Tempo é dinheiro?“. Os textos motivacionais contaram com um trecho da canção “Hoje não”, do cantor Djonga.

2022:

Tudo bem não estar bem? A Unesp questionou os candidatos em 2022 sobre como lidar com a tristeza em tempos de felicidade compulsória. Entre os textos de apoio estavam uma canção de Vinícius de Morais e uma reportagem sobre a tenista Naomi Osaka. 2023: “A “lógica do condomínio”: o espaço público está em declínio?”: esta foi a pergunta colocada pela banca da Unesp aos candidatos no último vestibular. Os candidatos tiveram acesso a quatro textos de apoio, entre eles um trecho do poema “O povo ao poder”, de Castro Alves. Os outros excertos tratavam de temas como a cidade enquanto espaço de cidadania e o conceito de “enclaves fortificados”.

Unicamp

A redação da Unicamp é uma avaliação de leitura e escrita. Ela trabalha com gêneros, por isso não se deve esperar um texto dissertativo convencional, como ocorre na maioria dos outros vestibulares. O candidato deve ter claro qual é a proposta temática e efetivar o que está sendo solicitado, passo a passo.

Quanto aos temas, também existe essa diversidade, uma vez que já apareceu mobilidade urbana, bibliotecas públicas, pós-verdade, intolerância, direitos humanos, oficinas culturais, desenvolvimento socioeconômico e sustentabilidade, humanização no atendimento à saúde, entre outros. Sempre com o tom crítico dos acontecimentos atuais mundiais. 

2019:

A partir da apresentação de uma situação de doutrinação ideológica em sala de aula – uma professora de Filosofia sofria uma tentativa de censura após uma aula sobre direitos humanos –, o candidato deveria elaborar um abaixo-assinado a favor da educadora e contra a censura. Já a segunda proposta apresentava dados do Índice de Desenvolvimento Humano  (IDH) e do Produto Interno Bruto (PIB) e pedia que o candidato fizesse uma postagem em fórum acadêmico, defendendo o ponto de vista escolhido, a partir de uma análise dos textos fornecidos pela banca. Este foi o último ano em que a Unicamp exigiu que o candidato escrevesse duas redações. A partir de então, a prova manteve duas propostas, mas passou a exigir a produção de apenas um texto.

2020:

A primeira proposta foi a de um texto argumentativo para ser lido em voz alta em um podcast. Os candidatos deveriam convencer os seus ouvintes da importância da inter-relação da biodiversidade e sociodiversidade para o crescimento sustentável do Brasil. A outra proposta tratava-se de um texto narrativo do gênero crônica. Nele, os estudantes deveriam narrar, em primeira pessoa, um episódio de micromachismo que vinha listado em uma matéria do El País reproduzida na prova.

2021

O candidato, que assumiria o papel de um vereador que visitava uma escola de São Paulo, deveria escrever um discurso político a respeito da derrubada de estátuas que homenageiam personagem que hoje são tidos como controversos. A outra proposta era escrever em um diário como se o autor fosse alguém que estivesse na linha de frente do combate à covid-19 e que narrasse, por um lado, os riscos de contrair a doença e, por outro, a necropolítica do estado em relação aos mais vulneráveis

2022:

A primeira opção da redação desta edição era escrever um post de redes sociais, no estilo “textão”, como se fosse um digital influencer adolescente de 15 anos que se tornou famoso e ficou incomodado com comentários feitos por parentes e amigos sobre seu sucesso na internet. A segunda proposta era de assumir o papel de um estudante universitário que teve uma bolsa de Iniciação Científica rejeitada por restrição orçamentária e escrever um manifesto sobre o corte de verbas.2023: O racismo e o armamento no Brasil foram os temas de redação da Unicamp 2023.

No tema relacionado ao armamento, foi apresentada uma situação hipotética ao candidato. Ele deveria imaginar que teve uma amiga morta por um disparo acidental de arma de fogo e que, um ano depois, um clube de tiro estaria prestes a ser aberto em seu bairro. Diante da situação, foi pedido que ele escrevesse um texto de convocação para a associação de moradores do bairro para discutir o tema. Já a segunda proposta tratava de um projeto de educação antirracista lançado em uma escola. A direção do colégio solicitou que estudantes relatassem, em depoimento anônimo, se já haviam vivenciado uma situação de racismo – como vítima, agressor ou espectador.

Exemplo de redação no modelo Unicamp:

A Educação a Distância (EaD) desponta como promissora, mas enfrenta desafios críticos. Para viabilizar a democratização do acesso à educação, é vital enfrentar disparidades de conectividade e garantir infraestrutura tecnológica equitativa. Além disso, aprimorar a qualidade da interação virtual professor-aluno é fundamental, demandando métodos e suporte adequados.

Entretanto, a EaD possui benefícios inegáveis. Flexibilidade de horários e acesso a cursos de alta qualidade são trunfos. A expansão eficaz da EaD demanda investimentos na capacitação docente e na criação de ambientes virtuais enriquecedores.

Assim, a EaD pode concretizar seu potencial de democratização e qualidade mediante regulamentações eficientes e políticas de inclusão digital. Superando desafios, a educação a distância tem o poder de oferecer aprendizado acessível e impactante em todo o Brasil.

Este texto é fruto de uma parceria entre o Guia do Estudante e o Redação Online, plataforma de correção de redações. Clicando aqui é possível acessar os planos de correção disponíveis. Utilize o cupom GUIADOESTUDANTE20 e ganhe 20% de desconto.

Leia alguns blog post relacionados:

Veja as principais dúvidas sobre esse assunto:

Como escrever redação Unicamp?

Para escrever uma redação para a Unicamp, é essencial: ler atentamente o enunciado da proposta, organizar suas ideias em um planejamento prévio, ter uma introdução clara, desenvolver argumentos sólidos, manter coesão e coerência na estrutura do texto, demonstrar capacidade de reflexão crítica, utilizar uma linguagem adequada, concluir de forma sintética, revisar o texto quanto à gramática, ortografia e fluidez.

O que cai na redação da Unicamp?

A Unicamp costuma abordar temas amplos e atuais em suas propostas de redação. Os temas podem envolver questões sociais, políticas, culturais, ambientais e científicas, estimulando a reflexão crítica e a capacidade de argumentação dos candidatos.

Quantas linhas são a redação da Unicamp?

A redação da Unicamp possui uma quantidade máxima de linhas estabelecida, que geralmente é de 22 linhas. No entanto, é importante ressaltar que é necessário verificar as instruções fornecidas pela instituição em cada edição do vestibular, pois pode haver variações em relação ao limite de linhas.

Como dar início a uma redação?

Existem diferentes maneiras de iniciar uma redação, mas algumas estratégias comuns incluem:
1. Apresentar uma pergunta ou provocação relacionada ao tema.
2. Utilizar uma citação impactante ou um dado estatístico relevante.
3. Contextualizar o tema com uma breve introdução histórica ou contextual.
4. Apresentar uma breve narrativa ou exemplo ilustrativo.

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes