Você está se preparando para o ENEM 2019 e sabe que a nota atingida na redação é fundamental para conquistar uma vaga no curso e na universidade que você sonha.

Afinal, são 30 linhas que valem o mesmo que uma prova inteirinha de, por exemplo, Ciências da Natureza ou de Linguagens, códigos e suas tecnologias: 1000 pontos.

A boa notícia é que há tempo de sobra para você se preparar para a redação do ENEM 2019. Para te ajudar, elaboramos aqui um passo a passo com tudo o que você precisa para não perder tempo e aprender como fazer uma boa redação no Enem 2019.

Redação do Enem é FORMA e CONTEÚDO

Há muitos alunos que escrevem bem e não atingem boas notas na prova de redação do ENEM. Por quê? Porque eles se convencem de que escrever bem é o suficiente, mas isso é um completo engano. É necessário saber exatamente como fazer uma boa redação no Enem 2019.

Completo engano porque a redação do ENEM cobra um formato específico. Trata-se do texto dissertativo-argumentativo, que deve possuir introdução, desenvolvimento e conclusão. É fundamental que na introdução tenha uma tese e que na conclusão esteja a proposta de intervenção, que deve ser completa. E esses são os exemplos principais, pois a lista de exigências segue.

Por isso, você precisa treinar o formato de redação do ENEM. Há cursos de redação que trabalham, separadamente, cada parte do texto com o aluno, fazendo-o reescrever a introdução de diversos temas quantas vezes for necessário, para só depois partir para a escrita do desenvolvimento.

Saber a forma é ter percorrido boa parte do caminho para a escrita de uma excelente redação. Acredite, grande parte dos candidatos não segue formato algum ou se perdem completamente na sequência do que estão escrevendo. Não seja um desses candidatos e lembre-se: o tema da redação é uma surpresa, o formato não é.

Além da forma, temos o aspecto mais fascinante da redação ENEM: o conteúdo. Fascinante porque decorre da construção de um repertório intelectual que depende de você.

Como compor um repertório intelectual? Por meio de tudo a que você tem acesso: os livros que lê, os filmes e séries aos quais assiste, as músicas que ouve, o que aprende nas aulas de História e de Física, os pensadores da aula de Filosofia, as referências contidas nos videogames dos quais gosta, enfim.

Repertório é construção. E essa construção pode ser a jornada mais instigante da sua vida, porque modifica constantemente a forma como você interpreta o mundo e isso ajudará você a aprender como fazer uma boa redação no Enem 2019.

Competências

O corretor de sua redação avalia cinco competências. Vamos dar uma olhada em cada uma delas.

  • Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita

Aqui se avalia o uso do registro adequado para uma situação formal de escrita. São observados os aspectos gramaticais do texto, como emprego adequando da concordância, a correta ortografia e acentuação das palavras, o uso acertado de preposições e da crase, entre outros.

Sua nota começa em 1000 pontos e é reduzida de acordo com o número de erros cometidos.

Para atingir boa pontuação nesta competência há três práticas indispensáveis: ter hábito de leitura, estudar regras gramaticais e praticar a escrita e rescrita da redação, corrigindo os erros apontados em sua aula ou curso de redação.

  • Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo

Você não acreditaria se soubesse quantos alunos viajam no momento de escrever a redação. A competência II avalia se você compreendeu o tema e se escreveu sobre ele, mantendo-se objetivo ao recorte da proposta.

Grande parte dos alunos tangencia o tema ou gasta tempo e linhas abordando alguma argumentação que não se relaciona de fato à proposta. E há aqueles que simplesmente fogem do tema.

Por isso, mantenha-se focado no tema e tenha sempre em mente e no seu planejamento a tese levantada na introdução. Todo o texto deve apontar para ela e ela, obviamente, deve apontar para a proposta.

  • Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista

Além de compreender o tema, você precisa argumentar sobre ele, certo? Esta competência avalia justamente sua seleção, organização e interpretação das informações e dados levantados no texto, além da forma como você relacionou todas essas referências.

É fundamental trabalhar algum tipo de citação ou referência em sua redação do ENEM (autores, livros, filmes, fatos históricos) e é na competência III que esse diálogo é avaliado. Lembre-se: toda informação e todas as referências colocadas no texto devem relacionar-se com a tese que você deseja comprovar com sua argumentação.

  • Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação

Todas as informações e referências empregadas em seu texto devem estar conectadas e, para isso, você precisa usar adequadamente os recursos coesivos da modalidade escrita da língua.

São avaliados: coesão referencial (relação entre palavras e expressões do texto, de modo que o leitor possa identificar os termos aos quais elas se referem), coesão lexical (uso de sinônimos, hiperônimos, repetição, reiteração) e coesão gramatical (uso de conectivos, tempos verbais, pontuação, sequência temporal, relações anafóricas, conectores intervocabulares, intersentenciais, interparágrafos).

  • Elaborar proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural

A proposta de redação do ENEM exige que o candidato elabore uma proposta de intervenção, ou seja, uma solução para o problema levantado.

A quinta e última competência avalia justamente a qualidade da proposta de intervenção, que deve ser completa e específica, e o quanto as soluções trabalhadas se relacional à tese e à argumentação desenvolvida.

Não se preocupe, pois falaremos sobre isso posteriormente.

O corretor

A credibilidade da correção das redações do ENEM já foi muito questionada no passado. Hoje, já não cabem questionamentos quanto a esse assunto.

Os corretores são formados na área e passam por um processo de seleção, que inclui provas eliminatórias.

A correção da redação ENEM tem por meta ser a mais objetiva possível e, por isso, os corretores seguem critérios determinados para cada competência.

Sua redação passa por dois corretores, que podem estar em lados opostos do país e jamais saberão um sobre o outro. Eles lançam as notas no sistema online, competência por competência e, caso a discrepância entre as notas finais ultrapasse determinada margem, a redação é enviada para um terceiro corretor.

Então, não se preocupe: sua redação é corrigida por pessoas de verdade e dentro de um sistema bastante criterioso.

Redação ENEM: o passo a passo

Antes de começar a redação, é importante que você organize suas ideias. Veja, por exemplo, o tema da redação do ENEM 2018: “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados da internet”.

Trata-se de um recorte acerca da internet. No entanto, mesmo um recorte oferece um universo de possibilidades para explorar. Você precisa decidir quais desses aspectos trabalhará. É como fazer o seu recorte do recorte proposto.

Organizar suas ideias facilita o processo de escrita, porque você inicia cada parágrafo já sabendo o que será abordado nele. Por isso, aconselha-se que, antes de iniciar o texto:

  • Seja definida a tese que será defendida;
  • Sejam definidos quais argumentos serão desenvolvidos em cada parágrafo de desenvolvimento;
  • Sejam pensados, ainda que de forma breve e superficial, quais propostas de intervenção podem ser feitas na conclusão.

Organizando esses tópicos, você tem o esqueleto de seu texto dissertativo argumentativo, o que irá dar suporte à escrita de uma boa redação.

Vejamos agora algumas orientações sobre as partes de um texto dissertativo-argumentativo modelo ENEM.

  • Introdução

Comumente, a introdução tem como centro a proposição de sua tese. Para chegar a ela, você pode partir de aspectos gerais do tema e, a partir deles, explicitar qual aspecto específico do tema será abordado e qual tese sobre esse recorte seus argumentos pretenderão provar. O leitor deve, a partir da contextualização feita na introdução, saber sobre o que discorre seu texto.

Vamos exemplificar por meio da introdução de uma redação nota 1000 do ENEM 2018. Veja:

Em “O jogo da imitação”, o personagem Alan Turing prejudica o avanço da Alemanha nazista quando consegue decifrar os algoritmos correspondentes ao projeto de guerra de Hitler. Diante disso, pode-se observar, desde a segunda metade do século XX, a relevância do conhecimento tecnológico para atingir certos objetivos. Contudo, diferentemente desse contexto, atualmente, utiliza-se, muitas vezes, a tecnologia não para o bem coletivo, como no filme, mas para vantagens individuais, mediante a manipulação de dados de usuários da internet. Destarte, é fundamental analisar as razões que tornam essa problemática uma realidade no mundo contemporâneo.

A redatora parte de um aspecto geral, “a relevância do conhecimento tecnológico”, e para isso faz uso de uma referência de sua bagagem cultural, o filme “O jogo da imitação”.

Então, ela faz um contraponto e afunila a abordagem, trazendo a questão para os dias atuais, tempo em que a tecnologia não é utilizada para o bem comum, mas para a manipulação de dados dos usuários da internet. ESSA É A TESE DESSE TEXTO.

Para comprová-la, ela explicita que os argumentos que virão tem como objetivo “analisar as razões que tornam essa problemática uma realidade”.

Perceba, portanto, o movimento: aspecto geral, aspecto específico (TESE) e encaminhamento da linha argumentativa. Essa sequência não é uma regra do texto dissertativo-argumentativo, mas é um excelente modelo.

  • Desenvolvimento

O desenvolvimento é a parte mais importante de seu texto, pois nele são desenvolvidos seus argumentos.

No geral, se costuma escrever dois ou três parágrafos argumentativos, de modo que cada um tenha um argumento explorado. É importantíssimo que toda a argumentação aponte para a tese, ou seja, atue para provar a tese proposta. Além disso, todos os parágrafos argumentativos devem estar ligados entre si, para que seu texto tenha coesão. Nenhum parágrafo de sua redação pode estar solto, sem evidente relação com os outros.

Essa relação entre as partes do texto representa o uso adequado dos recursos coesivos da modalidade escrita da língua.

Vamos olhas o desenvolvimento da redação nota 1000 do ENEM 2018 que estamos acompanhando.

Em primeiro lugar, cabe abordar a dificuldade de regulação dos sites quanto ao acesso aos dados de quem está inserido no ambiente virtual. Segundo o filósofo Kant, a pessoa é um fim em si mesma, e não um meio de conseguir atingir interesses particulares. Nesse sentido, rompe-se com tal lógica humanista ao verificar-se que, hoje, muitas empresas transformam o consumidor em um instrumento de lucro. Isso ocorre porque os entraves para o controle da manipulação, caracterizados pela dificuldade de identificação dos agentes de tal ação, inviabilizaram a proteção dos usuários, sobretudo nas redes sociais, que são o principal elo de ligação das pessoas com as empresas e suas propagandas publicitárias. Por conseguinte, os indivíduos são bombardeados por anúncios, que contribuirão para traçar perfis individuais, direcionar o consumo e, ainda, influenciar as escolhas e gostos de cada um.

Veja como a autora preza pela objetividade: a primeira linha já apresenta o argumento sobre o qual o parágrafo discorrerá: “a dificuldade de regulação dos sites…”.

O argumento cumpre o prometido na introdução: apresentar as razões que fazem a tecnologia não ser usada para o bem coletivo. Na sequência, é preciso desenvolver o argumento, justificá-lo. A autora parte de Kant, outra referência intelectual, para desenvolver a ideia de que o usuário da internet se tornou um meio, um instrumento para que as empresas alcancem lucro. E esse usuário está desprotegido, porque os agentes responsáveis pela manipulação do meio não são facilmente identificáveis.

Temos, portanto, um argumento desenvolvido, o qual apresenta a razão e o porquê dela. Observe, ainda, os recursos coesivos, destacados em negrito no texto. Perceba que não há nenhuma frase solta, todas elas se relacionam entre si e o parágrafo em questão se relacional com o anterior e com o seguinte, que veremos agora.

Ademais, outro fator a salientar é a falta de informação no que tange à internet. Com o advento da Terceira Revolução Industrial, nota-se uma população cada vez mais rodeada de tecnologia, porém despreparada para lidar com ela. Percebe-se, em grande parte das instituições de ensino, que a educação é incompleta, visto que, apesar de, desde a infância, ter contato com computadores e celulares, a criança cresce sem saber discernir corretamente quais dados podem ser públicos e como protegê-los de sistemas inteligentes. Logo, é mister providenciar uma reconfiguração no ensino para formar indivíduos conscientes dos riscos que a internet pode oferecer. 

O recurso desse parágrafo argumentativo é o mesmo do anterior. Perceba, aliás, como o advérbio “ademais” conecta os dois parágrafos. Apresenta-se uma razão do problema (a falta de informação) e uma explicação para ela. Outro ponto interessante é que esse parágrafo argumentativo esboça uma proposta de intervenção: “providenciar uma reconfiguração no ensino…”.

Os recursos coesivos também foram destacados em negrito nesse trecho.

  • Conclusão

Entre as exigências do modelo de redação do ENEM está a proposta de intervenção, que é a solução para o problema sobre o qual se discorreu.

A proposta de intervenção deve derivar da argumentação desenvolvida nos parágrafos anteriores. Além disso, ela deve ser específica e completa. Nada de escrever na conclusão apenas que “é preciso conscientizar a população”, uma proposta muito genérica e que nada diz.

Pense em, no geral, duas propostas completas de intervenção. Completa porque elas cada uma deve indicar:

  • o que deve ser feito;
  • quem é o responsável por fazê-lo;
  • como e com quais meios deve fazê-lo.

Cada proposta de intervenção deve ter um agente diferente. Vamos ler a conclusão do texto nota 1000 que estamos acompanhando:

Torna-se evidente, portanto, que a manipulação do comportamento do usuário é nociva ao direito dele à privacidade. Assim, cabe ao Executivo combater a manipulação de doados, mediante o investimento no Ministério da Ciência e Tecnologia, que aprimorará a fiscalização dos sistemas virtuais de empresas e desenvolverá um setor de tecnologia da informação, rumo à ampla proteção dos usuários do ambiente cibernético. Outrossim, compete ao legislativo inserir na grade curricular disciplinas como Informática e Educação Tecnológica, por meio da alteração na Lei de Diretrizes e Bases da Educação, a qual permitirá um suporte de ensino sobre as ameaças aos dados virtuais e sobre como lidar com as redes sociais, a fim de criar uma maior preocupação com a segurança das informações. Dessa forma, será possível construir uma sociedade mais autônoma e menos guiada pelos interesses empresariais.

Observe, em primeiro lugar, a presença de dois agentes distintos: o Poder Executivo e o Poder Legislativo. Vamos desmembrar a solução de responsabilidade do Executivo, para concluir se ela é completa.

  • Quem deve fazer? O poder executivo.
  • O que deve fazer? Combater a manipulação de dados.
  • Como? Aprimorando a fiscalização dos sistemas virtuais […]
  • Por quais meios? Investindo no Ministério da Ciência e Tecnologia.

A autora desenvolve a mesma estrutura em suas duas propostas de intervenção. É importantíssimo que você perceba a construção e repetição dessas estruturas, porque são típicas do modelo de texto dissertativo-argumentativo do ENEM.

No decorrer de todo seu texto e, de maneira especial, na conclusão, tenha em mente o respeito aos direitos humanos e a promoção da justiça social. O ENEM tem sido, ao menos até o momento, uma prova bastante voltada para a formação cidadã do aluno.

Hora de treinar

Talvez tantos detalhes pareçam difíceis, mas não são. Acredite. São trabalhosos. Quanto mais redações você escrever, mais automatizará a estrutura e o uso dos elementos que devem estar em seu texto.

Escreva e reescreva uma mesma redação. Corrija os erros. Teste diferentes introduções para um mesmo tema. Se possível, faça um curso ou assine uma plataforma de correção de redação online, que te proporcione um feedback adequado.

Investindo em sua bagagem cultural e treinando o formato da redação ENEM, não tem erro, você chegará na prova se sentindo preparado para enfrentar qualquer tema de redação.

QUERO APRENDER REDAÇÃO!


Leia também:

Como organizar as ideias antes de começar a redação?

Como estar pronto para qualquer tema que caia no Enem

11 alusões históricas para usar em suas redações

10 alusões literárias para você usar nas suas redações

Como se dar bem em todas as competências do ENEM

 

Comentários do Facebook