Como se faz uma redação descritiva?

Como se faz uma redação descritiva?

Você já se viu “perdido” nas fortes descrições de uma história? Tem descrições que parecem pinturas! Realmente, é coisa de quem é mestre em descrição. Mas não se preocupe, pois você também pode desenvolver essa habilidade. Dessa forma, neste guia, vamos mostrar como criar uma redação descritiva e aplicá-la nas provas!

Geralmente, uma redação não é 100% descritiva – a descrição costuma fazer parte de vários gêneros:

  • Novelas, romances e crônicas;
  • Poesia (os parnasianos são ótimos nisso!);
  • Relatos da natureza;
  • Relatos de viagem;
  • Literatura infantil;
  • Relatórios em geral.

É mais comum que sua prova peça um desses gêneros e que você use a descrição dentro deles. Mesmo assim, não descarte a possibilidade de ser solicitada uma redação descritiva. Portanto, vale a pena ler o que vem a seguir – vamos ensinar como se faz uma descrição impactante!

O que é uma redação descritiva?

Descrever alguma coisa, alguma pessoa ou alguma situação é como pintar uma imagem com palavras. Essa comparação é essencial para entender a essência da descrição.

Nunca mais esqueça isso. Afinal, é a arte de usar a linguagem para criar uma experiência sensorial para o leitor.

Ao descrever uma pessoa, um lugar ou um fato, você não apenas informa, mas também quer provocar emoções no seu leitor. Ou seja, o objetivo é mergulhá-lo na cena que você está criando, fazendo com que ele sinta como se estivesse lá.

Por que a escrita descritiva é importante?

“Se dificilmente eu terei de escrever uma redação inteira com descrição, por que tenho de me preocupar em aprender a escrita descritiva?” você pode estar se perguntando.

Bem, ela adiciona profundidade e riqueza à sua escrita. 

Por exemplo, digamos que sua prova peça uma narrativa. Em vez de contar ao leitor sobre um personagem ou um cenário, você os mostra praticamente visualmente, permitindo que formem suas próprias imagens mentais. 

E imagens, você sabe, falam mais que 1000 palavras…

Então, esse envolvimento traz sua narrativa à vida, criando uma conexão entre o leitor e sua história. Afinal, imagine a cara do corretor conectado com você!

Qual a diferença entre redação descritiva, narrativa e argumentativa?

Descrição, narração e argumentação são as 3 composições que formam qualquer escrita, qualquer redação da sua vida. Para sempre! (Nós contamos um pouco isso quando falamos sobre a Unicamp).

E é crucial nunca mais esquecer isso.

Em qualquer redação, você empregará essas 3 composições, mas em proporções variadas. Isso significa que, mesmo dentro de uma dissertação, frequentemente haverá elementos de narração ou descrição, além da argumentação essencial. Por outro lado, dentro de um relatório, você também encontrará alguma argumentação.

Da mesma forma, em uma narrativa, a descrição tem seu papel.

Dessa maneira, o impacto final da sua escrita depende de qual destes três elementos – descrição, narração ou argumentação – você enfatizou mais. Por isso, essa escolha define a natureza e o estilo do seu texto, entende?

Só para lembrar você:

  • narração é o relato de algo que aconteceu
  • argumentação é a exposição de motivos para uma opinião
  • descrição, como estamos mostrando, é uma pintura que você faz de alguém, de algum fato ou objeto para que o leitor o “veja” mentalmente.

Começando a redação descritiva

Em seguida, vamos ao passo a passo de como você deve escrever um texto descritivo, de um jeito fácil.

Observação é fundamental

Antes de colocar a caneta no papel (ou os dedos no teclado), reserve um momento para observar seu objeto. 

Observar! Lembre-se de novo dos parnasianos! 

Seja um mercado movimentado, uma floresta tropical ou um personagem curioso, preste atenção aos detalhes. 

Quais cores se destacam? Os sons são prevalentes? Quais aromas pairam no ar? O personagem tem algum comportamento marcante? 

Essas observações servirão como os alicerces para sua escrita descritiva. Então, se você precisar fazer uma redação basicamente descritiva, ative sua observação!

Use sua imaginação

O coração da escrita descritiva reside em criar imagens vívidas. 

Em vez de apenas relatar fatos, tente incluir na escrita detalhes que apelam para os sentidos! Os simbolistas eram craques nisso!

Use adjetivos coloridos, verbos fortes e linguagem sensorial para transportar seus leitores. 

Por exemplo, se você estiver escrevendo uma crônica, em vez de dizer “As flores eram bonitas”, experimente “Os vibrantes rosas balançavam graciosamente na brisa suave, suas pétalas pintadas em tons de vermelho”.

(Já imaginou as rosas aí, não imaginou?! Não tem como evitar…)

Mostre – não conte

Uma das regras de ouro da escrita descritiva é “mostre – não conte”. 

Em vez de descrever explicitamente emoções ou características, faça seu leitor deduzir isso a partir dos detalhes que você fornece. 

Ademais, uma falha comum entre os alunos quando escrevem narrativas nas provas é perder um tempão em descrições propriamente falando – em vez disso, lance mão de imagens!

Por exemplo, se o seu personagem na crônica que estamos imaginando está triste, descreva os ombros curvados, o olhar abaixado e a tremulação em sua voz. Isso é melhor que dizer “fulano estava triste”. 

Dessa forma, seus leitores vão se conectar emocionalmente em um nível mais profundo.

Envolva os sentidos

Um texto descritivo bem-sucedido envolve todos os sentidos (olha os simbolistas de novo…). Não se concentre apenas no que o leitor vê: isto é, aprofunde-se no que eles ouvem, cheiram, sentem ao tocar e até mesmo saboreiam!

Essa abordagem multissensorial faz sua escrita mais viva. 

Por exemplo, se na sua crônica havia uma torta de maçã, leve seu leitor em uma viagem deliciosa, descrevendo o aroma dela – ainda mais se for recém-saída do forno (mmm…).

Imagine o efeito de uma descrição do som do riso ecoando por uma rua movimentada ou o toque gelado da brisa noturna do inverno!

(Sentiu aí a brisa?!)

O poder das comparações

Dá para deixar sua escrita descritiva ainda mais potente com comparações e metáforas. 

Só que em vez de uma comparação simples, transforme sua escrita com expressões como “corajoso como um leão” ou “a lua pendurada no céu como uma lanterna brilhante”.

Lindo, não é?

Conclusão

Por fim, vVocê não tinha ideia do poder de uma redação descritiva, até ler nosso artigo de hoje!

Então… como se faz uma redação descritiva mesmo? 

Envolva os sentidos todos, crie imagens vívidas e domine a arte de mostrar, não contar. 

O corretor vai mergulhar com você na sua redação.
Mas antes de ele mergulhar, nossos corretores podem fazer isso – é mais seguro!

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes

⏰ O cupom loucura com 40% de desconto acaba em:

  • 00Dias
  • 00Hrs
  • 00Min
  • 00Seg