Microplásticos nos oceanos: um desafio invisível | Tema de redação

Microplásticos nos oceanos: um desafio invisível

O tema para sua redação desta semana é um problemão formado de pedacinhos minúsculos – microplásticos. Então, se você ainda nem sabe do que se trata, este artigo será bem útil – ele tem tudo que você precisa para argumentar!

Leia atentamente os textos abaixo e escreva uma dissertação argumentativa para o Enem sobre o tema “Microplásticos nos oceanos: um desafio invisível”. Lembre-se de que sua dissertação deve conter uma tese logo na introdução. 

Também é importante incluir repertório variado para garantir boa nota na competência 2. Mas não se desespere com isso: já estamos deixando uma lista deles no final deste artigo.

Bom trabalho!

Texto 1 sobre microplásticos

fonte: iberdrola – microplasticos ameaça a saúde

Texto 2

Microplástico: um dos principais poluentes dos oceanos

O microplástico, como o próprio nome diz, é uma pequena partícula de plástico. Esse tipo de material é um dos principais poluentes dos oceanos. Alguns pesquisadores consideram que o tamanho máximo do microplástico é de 1 milímetro, enquanto outros adotam a medida de 5 milímetros.

O grande problema é que (…) o microplástico altera a composição de certas partes dos oceanos, prejudicando o ecossistema da região e consequentemente a saúde humana.
fonte: portais univasf -microplástico um dos principais poluentes dos oceanos

Texto 3

Entenda como os microplásticos afetam os oceanos e o ser humano

Em uma matéria da BBC News em 2018, Edilson Veiga fala que o organismo dos seres humanos pode estar cheio de microplástico. Além disso, mostrou um estudo liderado pelo médico Philipp Schwabl, pesquisador da Divisão de Gastroenterologia e Hepatologia da Universidade de Medicina de Viena, na Áustria, que evidencia exatamente isso: há microplástico no organismo humano, mais especificamente no intestino humano.

Realizaram-se coletas de fezes de oito pessoas de oito países diferentes neste estudo, e identificaram-se microplásticos de até nove tipos diferentes em todas as amostras, incluindo partículas de polipropileno (PP) e polietileno tereftalato (PET), entre outros. Ademais, essa descoberta destaca a presença generalizada de microplásticos no ambiente humano.

Conforme ressaltam os pesquisadores envolvidos no estudo, a presença de microplásticos no organismo humano pode afetar a saúde: “acumulados no trato gastrointestinal, esses materiais têm a possibilidade de interferir na resposta imunológica do intestino – além, é claro, do risco proporcional pela absorção de produtos químicos tóxicos e patógenos pelo nosso corpo”.

fonte adaptada: rebob – entenda como os microplásticos afetam os oceanos e o ser humano

Texto 4

Encontraram microplásticos encontrados nas águas das nuvens, diz estudo no Japão

Microplásticos na troposfera livre transportam-se e contribuem para a poluição global. Por isso, se não abordarmos proativamente a questão da ‘poluição do ar por plástico’, as mudanças climáticas e os riscos ecológicos podem tornar-se realidade, causando danos ambientais irreversíveis e graves no futuro”, explica Hiroshi Okochi, líder do estudo e professor da Universidade de Waseda.

Os pesquisadores encontraram, no total, nove tipos diferentes de polímeros plásticos e um tipo de borracha transportados pelas nuvens através do ar. Ou seja, essas descobertas também confirmam que os microplásticos na atmosfera podem desempenhar um papel fundamental na formação de nuvens, um fenômeno que pode impactar o clima futuramente.

O artigo explica que a acumulação de AMPs pode afetar principalmente as regiões polares da Terra e, assim, causar alterações significativas na biodiversidade do planeta. Por tanto, no geral, eles encontraram concentrações que variavam de 6,7 a 13,9 peças de microplásticos por litro de água; incluindo polietileno, polipropileno, tereftalato de polietileno e poliuretano.
adaptado de terra – microplasticos foram encontrados nas águas das nuvens

Texto 5

Os microplásticos representam um risco para o plâncton oceânico, o clima e outros sistemas importantes da Terra

  • Trilhões de partículas microplásticas no oceano ameaçam a vida marinha, desde enormes filtradores até minúsculos plânctons. Embora não sejam letais a curto prazo, os impactos a longo prazo dos microplásticos no plâncton e nos micróbios marinhos podem perturbar os principais sistemas da Terra, como o armazenamento de carbono nos oceanos e a ciclagem de azoto.
  • Os oceanos, sendo a maior reserva natural de carbono do planeta, desempenham um papel fundamental na mitigação do aumento do CO2 atmosférico. Ademais, o carbono absorvido pelo plâncton e armazenado nas profundezas do oceano, um processo conhecidocomo parte essencial do ciclo do carbono, esse processo, conhecido como bomba biológica de carbono, é crucial no armazenamento de carbono nos oceanos. Contudo, os microplásticos apresentam um desafio significativo, pois podem “entupir” essa bomba, afetando a eficiência com que os oceanos absorvem carbono, o que é uma preocupação crescente para o equilíbrio ecológico global.
  • Os microplásticos nos sedimentos marinhos alteram as comunidades microbianas e perturbam o ciclo do azoto, aumentando potencialmente os problemas causados ​​pelo homem, como a proliferação de algas tóxicas. Dessa forma, as mudanças nas comunidades de plâncton na superfície do oceano podem exacerbar a desoxigenação impulsionada pelas alterações climáticas, privando os organismos marinhos de oxigénio.
  • É impossível remover pequenas partículas de plástico dos oceanos com a tecnologia atual, pelo que acabar com a poluição é uma prioridade. Logo, aprodução de plástico continua a aumentar ano após ano, mas um tratado da ONU para combater a poluição por plástico poderia oferecer um vislumbre de esperança de que a comunidade internacional esteja pronta para agir.

traduzido livremente de news mongabay – microplastics pose risk to ocean plankton

Repertórios socioculturais relacionados ao tema “Microplásticos nos oceanos: um desafio invisível”

estudo –  acredita que já foram encontrados microplásticos na Antártida?! pois é, é o que diz este ótimo estudo do Instituto Oceanográfico da USP.

filme – “Oceanos de Plástico”, de 2016, é um documentário que mostra o descarte exagerado de materiais plásticos no ambiente, como também seus impactos no ecossistema.

vídeo –  a DW pertence ao serviço de TV alemão, e neste ótimo material mostra um sistema para retirar o microplástico da água – ou seja, é perfeito para inspirar suas propostas de intervenção.

livro – Cem dias entre céu e mar  é um sucesso de vendas escrito pelo aventureiro Amyr Klink! esse navegador brasileiro, sem dúvida, conta uma de suas viagens pelo mar desde o porto de Lüderitz, no sul da África, até a praia da Espera no litoral baiano, num minúsculo barco a remo.

reportagem – veja, também, um robô criado pela Universidade de Cornell, EUA, capaz de eliminar os microplásticos dos oceanos.

vídeo – reportagem da TV Bandeirantes mostra que foram encontrados microplásticos no coração humano!

reportagem – ademais, qual o ponto do nosso litoral mais contaminado por microplásticos? (é talvez um dos mais contaminados do mundo!) saiba a resposta neste conteúdo da Fapesp.

reportagem – afinal, quais outras praias do Brasil têm presença de microplásticos? veja a lista neste repertório garantido pela Capes.

notícia – uma doença das mais comuns  hoje pode ser provocada pelos microplásticos – veja qual é ela.


estatísticas – se você prefere números no seu repertório, aqui vão vários sobre a presença de microplásticos nos oceanos!

Por fim, ficou entusiasmado para escrever sobre o desafio invisível dos microplásticos nos oceanos?! Faça sua redação hoje mesmo e envie para nossa equipe de corretores – nossos alunos ficam surpresos com a quantidade de falhas que passariam despercebidas!

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes

⏰ O cupom loucura com 40% de desconto acaba em:

  • 00Dias
  • 00Hrs
  • 00Min
  • 00Seg