logo redação online

Eixos cognitivos: entenda como eles foram cobrados no Enem 2022

Eixos cognitivos: entenda como eles foram cobrados no Enem 2022

A ideia de Eixos Cognitivos vem da Psicologia, não do Enem. Mas o Enem organiza sua prova usando como base alguns deles que vamos mostrar agora. 

Pense na palavra “eixo”. 

Uma linha reta ao redor da qual alguns elementos giram juntos, de maneira uniforme.

Agora imagine que esses elementos são as várias habilidades que todo candidato ao Enem precisa ter para fazer a prova. 

O cérebro faz o serviço de agrupar naturalmente essas habilidades, porque têm algo semelhante ou porque uma colabora com a outra. A Psicologia chama esses agrupamentos de “eixos cognitivos”, só para facilitar. 

E, se o próprio cérebro agrupa habilidades, fica mais fácil seguir o que ele faz e aprender as várias matérias obedecendo essa tendência, não é mesmo?

Como o cérebro cria os “eixos cognitivos”

Vale a pena entender o que se passa no seu cérebro quando você está estudando e aprendendo uma matéria! É bem complexo – na verdade é admirável!

O cérebro cria processos que envolvem várias habilidades:

  • percepção
  • atenção
  • memória
  • linguagem
  • raciocínio
  • emoção.

Você tem todas essas habilidades, apenas que precisa treiná-las cada vez mais. 

Podemos ajudá-lo nessa tarefa, explicando como cada habilidade funciona.

Percepção

É tudo que entra em seu cérebro pelos sentidos (visão, audição, olfato, paladar e tato). 

O cérebro interpreta tudo e assim é que você formula sua ideia de tudo que está na realidade. 

Por exemplo, se você vir uma tesoura, na hora vai reconhecer que serve para cortar, já que, anteriormente, teve alguma experiência que demonstrou isso. 

Outro exemplo: digamos que você costumava cantar uma música na pré-escola, mas depois daquela época nunca mais voltou a ouvi-la – você será perfeitamente capaz de cantá-la novamente, de cor, caso a ouça hoje!
E mais um exemplo: muitos dos repertórios que nós oferecemos a você toda semana vem em forma de vídeos – sua visão e sua audição captam o conteúdo e – PLIM! – já fica reservado para quando você precisar!

Atenção

A sua atenção é um processo em que seu cérebro é capaz de escolher o que realmente importa para ele do ambiente em que você está. 

Já se pegou distraído durante a aula? Já aconteceu de ler uma página inteira de um livro de leitura obrigatória e… não lembrar do que estava escrito lá? Todo aluno sabe bem o que é isso: falta de atenção.

É preciso treinar seu foco, pois o cérebro tem um limite de informações nas quais ele consegue ter atenção de uma só vez. 

Sabe aquela ideia de ir fazendo as várias questões da prova enquanto pensa no tema da redação? Pois é… não funciona, e agora você já sabe por quê.

Memória

A memória você também sabe bem como é importante: só com ela você recupera as informações de que precisa para suas provas.

Para sua prova de redação do Enem, por exemplo, você vai usar muito sua memória executiva, quer dizer, de curto prazo. Esse tipo de memória tem uma capacidade pequena de armazenagem, ou seja, elimina em pouco tempo o que tiver armazenado (Agora você entende por que não lembra mais nem o tema da redação na prova minutos depois de terminar a prova). 

Mas essa é a memória perfeita para planejar tudo na hora da redação, porque ela reúne várias atividades ao mesmo tempo – cerca de 7 no total. Com ela você pode usar informações que leu nos textos de apoio da proposta de redação, organizá-los, incluir repertório seu… tudo praticamente ao mesmo tempo!

Já a memória de longo prazo você usará para armazenar todo tipo de informação que um dia (no futuro) venha a precisar – inclusive o repertório para a redação do Enem!

Linguagem

A forma como você fala, escreve e entende uma língua afeta a forma como você entende tudo ao seu redor. Tudo tem um nome, uma descrição… 

Sem a linguagem não existiria nem prova do Enem.

Raciocínio

Raciocinar é organizar um pensamento dentro da lógica, de forma que se tenha uma conclusão ou uma solução para um problema. Claro, tem tudo a ver com a dissertação: a argumentação de uma dissertação é puro raciocínio lógico.

Emoção

Tudo que você aprende está envolvido em emoção! E quanto mais fortes as emoções, mais atenção e memória são ativadas. E quanto mais atenção e memória ativadas… mais eficiente o aprendizado. 

Pode observar: sempre que uma emoção forte vem junto com a aprendizagem, mais profundamente você aprende a matéria e mais tempo ela fica na memória. 

Quem já passou pela escola sabe bem como alguns professores facilitam o aprendizado provocando emoções fortes nos alunos! Esse é o segredo para eles aumentarem (ou diminuírem) sua capacidade de memorização. 

Imagine alguém aprendendo a tocar violino, ou estudando poesia: como ele poderia dominar o aprendizado sem sentir emoção por aquilo?!

Na sua vida acadêmica, profissional e no Enem (que é o que interessa agora) você vai precisar usar…

  • suas habilidades de linguagem;
  • sua experiência com fenômenos naturais ao seu redor;
  • os conhecimentos que aprendeu na escola para resolver problemas;
  • e sua capacidade de argumentar (olha a redação do Enem aqui!).

Esses são os eixos cognitivos!

Saber quais os eixos cognitivos que o Enem usa serve muito para ajudar você a organizar melhor as informações e escrever mais rápido – são úteis ou não são?!

Como o Enem usou os eixos cognitivos na edição de 2022

O Enem exige que você domine 5 eixos cognitivos. Vamos explicar cada um com exemplos.

1. Dominar linguagens (DL)

Você precisa dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica, e das línguas espanhola e inglesa.

Veja que linguagem, aqui, não é só português, inglês e espanhol. Linguagem é o código usado por cada uma das disciplinas estudadas na escola. Linguagem é a forma como um tipo de pensamento é compreendido. 

Em outras palavras, na prova de redação do Enem, é claro que você precisa dominar a língua portuguesa, mas também precisa dominá-la para todas as outras provas do Enem!

Acontece muitas vezes de um aluno errar uma questão de química, física ou matemática simplesmente porque tem pouca habilidade em compreender a língua escrita!

Mas o que seria a linguagem científica?

É aquela que os cientistas usam em seus textos. Por exemplo, esta questão do Enem usa essa linguagem:

Já a linguagem matemática é muito específica: ela usa símbolos e tem regras próprias. Veja esta questão do Enem, para ter uma ideia:

Como você vê, é preciso entender a linguagem matemática para conseguir responder essa questão. 

E quanto à linguagem artística? Ah, é fácil notar que ela tem um diferencial – este poema de uma questão do Enem é prova disso:

Veja esta questão agora – pura linguagem artística:

2. Compreender fenômenos (CF)

Ao seu redor há inúmeros fenômenos naturais, fenômenos histórico-geográficos, criações tecnológicas e manifestações artísticas – fique atento para eles. É preciso compreendê-los.

E como você compreende todos esses fenômenos?

Dominando os conceitos para cada área do conhecimento, que são as áreas estudadas na escola.

Veja como esta questão do Enem envolve uma informação sobre o mercado de trabalho no Brasil e ao mesmo tempo o conhecimento de matemática: 

E quais habilidades um candidato precisaria ter para resolver esta questão abaixo?

Literatura e filosofia (ideologias políticas) – essas habilidades são os eixos necessários para se tirar de letra a questão acima.

3. Enfrentar situações-problema (SP)

Este item fez você lembrar a redação do Enem, não foi?!

É isso mesmo: é preciso saber selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações, para tomar decisões sobre o problema proposto na redação. Quem tira nota 1000 tem essas habilidades. 

A situação problema sempre aparece nas redações Enem, e temos aqui a da edição 2022:

Mas essa habilidade também é importante em outras matérias, como você vê nesta questão na qual há dados e informações que precisam ser analisados:

4. Construir argumentação (CA)

Especialmente na redação do Enem é preciso saber relacionar informações de vários tipos, e usar conhecimentos a partir de situações concretas, para argumentar bem.
Treinando redação e recebendo a correção dela, você domina este eixo cognitivo e chega na nota máxima. É que a argumentação é a parte mais importante de uma redação, e vai ser novamente na próxima edição do Enem!

5.  Elaborar propostas (EP)

O Enem espera que você use os conhecimentos desenvolvidos na escola para

elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os

valores humanos e considerando as diversidades.

Esse eixo cognitivo corresponde à competência 5 do Enem: propostas de intervenção.

Conclusão sobre eixos cognitivos no Enem

Os eixos cognitivos do Enem nada mais são que habilidades que você já tem e precisa exercitar, aperfeiçoar. Na prova eles podem vir combinados numa única questão, como você viu acima. 

Mantenha-se curioso sobre tudo que acontece ao seu redor, aproveite ao máximo o que você aprende na escola, no cursinho, ou estudando sozinho. 

Organize seu horário com nosso cronograma

Inclua nele redações semanais – nada de deixar para a última hora, porque elas exigem mais de um eixo cognitivo! Leia com calma a correção que você recebe para cada uma delas (peça correções feitas somente por professores de verdade, como as nossas)

E reserve um momento de sua semana para dar uma olhada em nossas postagens com dicas que livros e professores não comentam.

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes