logo redação online

Manifestações culturais brasileiras: obstáculos para a  implementação efetiva de políticas de proteção | Tema de redação

manifestações culturais

Proposta de redação 

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Obstáculos para a  implementação efetiva de políticas de proteção às manifestações culturais brasileiras” apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. 

Desse modo, selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para a defesa de seu ponto de vista.

Instruções para redação

  1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
  2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta preta, na folha própria, em até 30 (trinta) linhas.
  3. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para a contagem de linhas. 
  4. Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:
  • 4.1 tiver até 7 (sete) linhas escritas, sendo consideradas “textos insuficiente”; 
  • 4.2 fugir do tema ou não atender ao tipo dissertativo-argumentativo; 
  • 4.3 apresentar parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto;
  •  4.4 apresentar nome, assinatura, rubrica, ou outras formas de identificação no espaço destinado ao texto.

Textos motivadores sobre manifestações culturais brasileiras

Texto I

A discussão sobre cultura, cidadania e políticas culturais deveria dominar o seminário. Críticas ao desmonte cultural brasileiro, porém, predominaram. “Como manter a cultura crítica frente ao negacionismo e preconceitos?”, questionou Albino Rubim. Ele lamentou a destruição das políticas culturais brasileiras desde 2003. “Vivemos tempos sombrios”, resumiu, citando Hannah Arendt. Cultura, para Rubim, é sinônimo de vida, essencial contra a barbárie.

José Márcio Barros propôs substituir “direito à cultura” por “direitos culturais”. Essa visão ampliada promove a democracia cultural. Ele lembrou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, enfatizando a segurança social como direito essencial. Direitos culturais, segundo ele, devem ser prioridade, fundamentais para a dignidade humana. Políticas públicas culturais surgem como meio de assegurar esses direitos.

Lukas Kühne, inspirado em Joseph Beuys, discutiu arte e cultura como essenciais à vida. Beuys defendeu a arte como ferramenta de transformação social. Kühne ressaltou o poder da arte em mudar a compreensão da sociedade.

Fonte Adaptada: Ufmg.br

Texto II

O gênero musical que é símbolo do Nordeste, o forró foi oficialmente reconhecido como manifestação da cultura nacional. A Lei 14.720, de 2023 foi sancionada pelo presidente Lula e publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (8).

Aprovado em votação final na Comissão de Educação (CE) em 3 de outubro, o PL 5.838/2019, que gerou a lei, foi relatado pela senadora Teresa Leitão (PT-PE).

“Essa expressão artística desempenha um papel fundamental na preservação e celebração da diversidade cultural do país, sendo uma verdadeira jóia da cultura brasileira. Com sua mistura única de ritmos, histórias e melodias, o forró conquistou corações no Brasil e mundo afora”, afirma o relatório.

Teresa enalteceu o ritmo e lembrou de diversos intérpretes que levaram a musicalidade para o mundo, como Luiz Gonzaga, Genival Lacerda, Dominguinhos, Sivuca, Jackson do Pandeiro, Marinês, Gilberto Gil, Alceu Valença e Elba Ramalho. A senadora ressaltou ainda que, além da influência cultural, o forró é importante para a economia brasileira. O ritmo é o mais tocado nas festas juninas, como as de Caruaru (PE) e de Campina Grande (PB). 

Em suma,o forró surgiu na década de 1930, popularizando-se por volta dos anos 1950 em todo o Brasil por meio do poeta, cantor e compositor Luiz Gonzaga, que convencionou o formato do trio sanfona, zabumba e triângulo.

Fonte: Agência Senado

Texto III

Dos desdobramentos do direito à cultura, o de proteção às manifestações culturais é um dos mais importantes, justamente por unir os conceitos de liberdade pública e de democratização das diversas formas de expressão cultural.

Além disso, as manifestações culturais são desdobramentos não só do direito à cultura, mas também do direito à liberdade de expressão, sendo, em verdade, possibilidade de exteriorização de um pensamento, de uma ideia, de um valor ou mesmo de um conceito intelectual.

A garantia e a proteção às manifestações culturais, especialmente por parte do Estado, não autoriza a censura. É dever do Estado garantir a todas as manifestações culturais o mesmo direito de expressão. Logo, a interferência estatal deve ser muito mais no sentido de garantir acesso e exposição a uma gama diversa de manifestações culturais, e não quanto ao conteúdo das referidas manifestações.

Por fim, caso haja um conflito de direitos fundamentais em uma determinada manifestação cultural, a solução deste deve se dar por meio da regra da proporcionalidade.

Fonte: https://jurishand.com/constitucional/conceito/protecao-das-manifestacoes-culturais

Texto IV

Manifestações culturais brasileiras: obstáculos para a  implementação

fonte: https://tarobanews.com/entretenimento/cultura/mulheres-consomem-menos-cultura-que-homens-diz-pesquisa-W0VeO.html

Repertórios para o tema de redação sobre obstáculos para a  implementação efetiva de políticas de proteção às manifestações culturais brasileiras

Livros:

“Casa-Grande & Senzala” de Gilberto Freyre

Este livro é um estudo profundo sobre a formação da sociedade brasileira, explorando as raízes culturais e as influências africanas, indígenas e europeias no Brasil.

Desse modo, Freyre discute os desafios enfrentados na preservação dessas influências culturais diante do avanço da modernização e da homogeneização cultural.

“Raízes do Brasil” de Sérgio Buarque de Holanda

Sem dúvida, analisa a formação social e cultural do Brasil, identificando características como o personalismo e

o patrimonialismo que influenciam a implementação de políticas públicas no país, inclusive aquelas voltadas para a proteção das manifestações culturais.

Filmes:

“O Bem Amado” (2010)

Dirigido por Guel Arraes, este filme, baseado na obra de Dias Gomes, retrata de forma satírica a política em uma cidade fictícia do interior do Brasil, tocando indiretamente em temas como a burocracia e os desafios na promoção da cultura local.

“Gonzaga: De Pai para Filho” (2012)

Dirigido por Breno Silveira, o filme narra a história de Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”, e seu filho Gonzaguinha, explorando a vida, a música e o legado cultural de Gonzaga.

Através da trajetória de Luiz Gonzaga, o filme destaca a importância da música nordestina e sua influência na cultura brasileira, além de abordar os desafios encontrados para a valorização e preservação da música regional no país.

Série:

“Cine Holliúdy” (2019)

Esta série, inspirada no filme de mesmo nome e disponível no Globoplay, traz à tona a cultura nordestina através da história de um apaixonado por cinema que luta para manter viva a tradição das exibições de filmes em sua pequena cidade no interior do Ceará, enfrentando as adversidades tecnológicas e culturais da época. “Cine Holliúdy” aborda, de forma humorada e crítica, a resistência cultural frente às mudanças sociais e econômicas, refletindo sobre a importância da preservação das manifestações culturais locais.

Argumentos para o tema sobre manifestações culturais brasileiras

Argumento 1: negligência governamental

Causa: a negligência governamental é marcada pela ausência de políticas públicas focadas na valorização da diversidade cultural.

Sem dúvida, esse descaso advém de uma perspectiva de desenvolvimento limitada ao crescimento econômico, negligenciando o papel essencial da cultura na construção da identidade nacional e no avanço social.

Consequência: como resultado dessa negligência, assistimos à erosão da riqueza cultural do Brasil, caracterizada pela extinção de práticas culturais tradicionais e pela interrupção da transmissão desses saberes entre gerações.

Além disso, a falta de apoio governamental contribui ainda para a marginalização de comunidades que veem na cultura não apenas um meio de expressão, mas uma fonte de subsistência.

Justificativa: proteger as manifestações culturais fortalece a coesão social, valoriza, sem dúvida, a diversidade e incentiva o desenvolvimento sustentável.

Então, políticas culturais eficazes são cruciais para nutrir a criatividade, preservar o patrimônio imaterial e estimular segmentos econômicos como o turismo cultural e a economia criativa.

Repertório: recorrendo a Pierre Bourdieu e sua teoria sobre capital cultural, percebemos que a cultura é um vetor de capital simbólico fundamental para a coesão e o progresso social.

A negligência do governo em relação à cultura mina o capital cultural do país, limitando a democracia cultural e restringindo oportunidades de desenvolvimento mais equitativo e inclusivo.

Argumento 2: desigualdade social

Causa: as desigualdades sociais no Brasil têm impacto direto sobre a proteção e a promoção das manifestações culturais.

Ademais, a distribuição desigual de recursos e oportunidades afeta a capacidade das comunidades mais vulneráveis de preservar e desenvolver suas expressões culturais.

Consequência: a principal consequência dessas desigualdades é a marginalização de expressões culturais de grupos menos favorecidos.

Outrossim, enquanto manifestações de elite recebem ampla visibilidade e apoio, culturas de base encontram-se em risco de desaparecimento, isto é, perdendo-se um valioso patrimônio imaterial.

Justificativa: é essencial reconhecer e combater as desigualdades sociais para garantir a preservação da diversidade cultural brasileira.

Além disso, investir em políticas culturais inclusivas é um passo crucial para promover a equidade e assegurar que todas as expressões culturais sejam valorizadas.

Repertório: Milton Santos, em sua análise sobre “cidadanias mutiladas”, argumenta que o espaço geográfico, marcado por profundas desigualdades, ou seja, reflete-se diretamente nas oportunidades culturais disponíveis aos cidadãos.

A superação dessas desigualdades, portanto, é indispensável, sobretudo, para a construção de uma sociedade que reconheça e celebre sua rica diversidade cultural.

Por fim, agora que você está bem informado sobre todos os aspectos a respeito do tema da redação sobre obstáculos para a  implementação efetiva de políticas de proteção às manifestações culturais brasileiras, que tal colocar seus conhecimentos em prática? Ao acessar o nosso site, você terá a oportunidade de ter sua redação corrigida pela mais renomada e eficiente plataforma de correção do Brasil.

POSTS RELACIONADOS