logo redação online

Medidas para diminuir a precarização da moradia no Brasil | Tema de redação

precarização da moradia

Morar bem no Brasil é o desafio que todo mundo conhece: uma residência digna exige dinheiro, então muitos vivem em áreas degradadas.
Entretanto, veja que curioso: apartamentos minúsculos por preços estratosféricos estão virando moda! Será que é o caminho para diminuir a precarização da moradia no Brasil?!
Desse modo, é um assunto pouco discutido em salas de aula, e bem por isso decidimos que será nosso tema desta semana para sua redação. Assim, escreva uma dissertação argumentativa sobre o tema “Medidas para diminuir a precarização da moradia no Brasil”.
Leia os textos abaixo para entender causas e consequências do fenômeno. Além disso, não se esqueça de falar sobre possíveis propostas de intervenção.

Texto 1 sobre precarização da moradia 

Os riscos para a saúde de pequenos apartamentos

(…)
“Claro, esses microapartamentos podem ser fantásticos para jovens profissionais na faixa dos 20 anos”, diz Dak Kopec, diretor de design para saúde humana do Boston Architectural College e autor de Environmental Psychology for Design. “Mas eles definitivamente podem ser insalubres para pessoas mais velhas, digamos em seus 30 e 40 anos, que enfrentam diferentes fatores de estresse que podem tornar as condições de vida apertadas um problema”.
O lar deveria ser um porto seguro, e um morador com um trabalho exigente pode se sentir preso em um apartamento claustrofóbico à noite – forçado a escolher entre a aglomeração física de móveis e pertences em sua unidade e a aglomeração social, causada por outros moradores, nos espaços comuns do edifício. A pesquisa, diz Kopec, mostrou que o estresse relacionado à aglomeração pode aumentar as taxas de violência doméstica e abuso de substâncias.
(…)
“Estudei muito crianças em apartamentos lotados e moradias de baixa renda”, disse Saegert, professora de psicologia ambiental do CUNY Graduate Center e diretora do Housing Environments Research Group“ e elas podem acabar ficando retraídas e ter problemas para estudar e se concentrar”. Nessas situações, as comodidades modernas – como janelas do chão ao teto, armazenamento extra e um deck comum no telhado – não compensarão a falta fundamental de privacidade na casa de uma criança todos os dias.
(…)
“Quando pensamos em micro-vida, tendemos a nos concentrar em coisas funcionais, como se há espaço suficiente para a geladeira”, explicou Samuel Gosling, professor de psicologia da Universidade do Texas, que estuda a conexão entre as pessoas e seus bens. O apartamento também precisa preencher outras necessidades psicológicas, como autoexpressão e relaxamento, que podem não ser facilmente atendidas em um espaço altamente apertado.”
Traduzido livremente de the atlantic – the health risks of small apartments

Texto 2

São Paulo tem 175,5 mil moradias em áreas de risco

Em 2019 e 2020, a Secretaria Municipal de Segurança Urbana, responsável por fazer o mapeamento das áreas de risco, apontou 133,7 mil moradias em situação de perigo por estarem à beira de córregos e em barrancos.
(…)
A área de risco “muito alto” mais populosa da cidade fica na favela Capadócia, localizada no bairro de Brasilândia, na zona norte da capital. Lá, segundo olevantamento da Defesa Civil, se concentram 730 moradias construídas na encosta de um morro.
(…)
A auxiliar de limpeza Gisele de Sousa Baia, 39, conta que ficou desempregada e não conseguiu mais pagar o aluguel em um bairro próximo quando decidiu se mudar com a família para um barraco de madeira no terreno ocupado. “Fico com medo quando chove muito forte, mas não saio daqui por nada”, diz.
Fonte: folha uol – são paulo tem 1755 mil moradias em áreas de risco

Texto 3 sobre precarização da moradia

A onda dos apartamentos ridiculamente pequenos e super bem localizados

(…)
É por essa preferência na localização que a maioria dos lançamentos de microapartamentos estão em grandes centros urbanos e bairros mais valorizados. Mas, segundo Francisco Carvalho, arquiteto e urbanista, em paralelo a isso ainda há um grande déficit habitacional no Brasil, principalmente, para as famílias de baixa renda.
“As políticas públicas de todas as esferas terão que dar toda atenção a esse déficit, pois isso gera um atraso no desenvolvimento do país, deteriorando a qualidade de vida da sociedade.”
E isso levanta a questão do processo de gentrificação, que esses empreendimentos podem estar incentivando. É isso mesmo, gen-tri-fi-ca-ção. Para você que não entendeu nada, a gente explica!
Ademais, esse é o nome dado ao movimento de saída involuntária da população residente dos centros da cidade, por conta dos aumentos excessivos do custo de vida nessa região, decorrente da vinda de novos moradores ou frequentadores mais abastados.
Além disso, há quem diga que isso faz parte do processo de revitalização dos centros urbanos, mas é importante entender as diferenças: a gentrificação está ligada a interesses econômicos do setor imobiliário, já o processo de revitalização visa modernizar e suprir as necessidades sociais, para o benefício da população e pode, de alguma forma, levar à gentrificação.
Adaptado de almanaque sos – a nova onda dos apartamentos ridiculamente pequenos

Repertórios socioculturais relacionados ao tema “Medidas para diminuir a precarização da moradia no Brasil”

  • opinião neste valioso artigo você encontra opinião de arquitetos e urbanistas sobre como resolver a situação da dificuldade de morar bem no Brasil. 
  • notícia conheça os números que mostram a tendência dos microapartamentos na cidade de São Paulo.
  • opinião aqui você vai saber a por que há arquitetos que aprovam a ideia dos microapartamentos.
  • livrobaixe gratuitamente este livro escrito por um jurista e uma arquiteta revelando as causas da precarização da moradia no Brasil.
  • rede social – morar em cubículo pagando um absurdo virou piada nas redes sociais; conheça os “aluguéis arrombados”.
  • opinião – Erminia Maricato é uma conceituada urbanista pela USP, e não daria para escrever sobre esse assunto sem conhecer a opinião dela!
  • reportagem este vídeo esclarece por que os imóveis estão cada vez menores e cada vez mais caros no Brasil.
  • relatos – veja casos reais de gente que vive em apartamentos minúsculos em grandes centros do Brasil.

Antes de ler este artigo você não imaginava a complexidade da precarização da moradia no Brasil, mas agora já tem assunto suficiente para escrever. Então, envie para nossos corretores, porque mais vale uma redação bem corrigida que muitas sem correção!

QUERO ENVIAR MINHA REDAÇÃO

POSTS RELACIONADOS