SOMENTE HOJE: 20% OFF usando o cupom PROMO20 em todos os planos!

Características do texto Dissertativo-Argumentativo: diferenças entre Vestibulares e o Enem

Características do texto Dissertativo-Argumentativo diferenças entre Vestibulares e o Enem

Toda dissertação-argumentativa tem que ter proposta de intervenção, citação, título?

Role a tela para ver as respostas e entender por que quase todo vestibular e o Enem insistem em pedir dissertação! 

Sim, tem uma lógica nessa insistência deles. E como eles não vão mudar de ideia tão cedo, entenda as características do texto dissertativo-argumentativo e as diferenças entre vestibulares e Enem.

Por que fazer redações dissertativas em provas?

Pensa com a gente: qual o melhor tipo de texto para avaliar um aluno de forma justa?

  • Narração?
  • Descrição?
  • ou dissertação?

A narração depende de uma certa habilidade criativa. Afinal, todo mundo escreve uma história, mas narrativas interessantes, que prendem o leitor, não é pra qualquer um. 

E como a narrativa depende da criatividade, alguns candidatos seriam privilegiados – nosso sistema de ensino não treina criatividade muito bem…

A descrição é, de certa forma limitada, quer dizer, o corretor não teria muitas chances de avaliar o candidato – basicamente analisaria gramática. Sem mencionar que textos que usam apenas descrição são poucos (relatórios científicos, por exemplo). 

Então sobrou para a dissertação.

A dissertação é perfeita para o corretor avaliar o candidato.

Além da gramática e da linguagem, é possível avaliar a habilidade de raciocínio dele, e seu nível de maturidade (sim, no ensino superior precisamos de gente com maturidade!).

Na dissertação, não faz diferença se o candidato tem aptidão artística, e sim pensamento crítico. 

É uma forma justa de avaliar ou não é?!

Além disso, há uma infinidade de assuntos para se usar em dissertações! Se você segue nosso blog, já viu dezenas deles –  toda semana temos um novo, e semana que vem tem outro chegando.

Entendeu agora? Por isso dissertação é a composição escrita preferida dos vestibulares e do Enem!

Como é um texto dissertativo-argumentativo para vestibular e Enem?

Temos um artigo que explica sobre a diferença entre dissertação argumentativa e a expositiva. De qualquer forma, vamos detalhar a argumentativa agora.

Dissertação argumentativa é qualquer texto em que o autor dê seu parecer sobre um assunto. 

Qualquer texto mesmo – até em forma de poesia, crônica… 

Mas, em provas, a dissertação argumentativa tem que ter 3 partes:

  • Uma introdução – um parágrafo com sua tese e algum contexto do assunto;
  • Um desenvolvimento – quantos parágrafos você desejar (ou couber na folha) com seus argumentos no maior capricho possível;
  • Uma conclusão – um parágrafo resumindo o que foi explicado no texto

Esses elementos são obrigatórios em qualquer redação dissertativa de prova, ok?

No entanto, a maior parte da pontuação recai sobre o desenvolvimento, pois ali está a argumentação. Então no desenvolvimento é que você precisa dar seu máximo!

Como fazer uma argumentação perfeita no vestibular ou Enem?

Há muita coisa (muita coisa mesmo!) que você precisa treinar na sua argumentação – temos muitos artigos ensinando tudo isso, é só procurar!

Mas, só para agilizar sua vida, vamos resumi-los agora.

Argumentos convincentes

Explique da melhor forma que puder por que você tem aquela opinião que está na tese. É isso que é argumentar de forma convincente. 

O leitor não será convencido a seguir sua opinião – não, nada disso! Ele entenderá suas razões para sua opinião, só isso. E para conseguir esse efeito, siga estas dicas:

1. Seus argumentos precisam combinar com sua tese.

Como é que é?! você não sabe o que é tese? Não seja por isso: aqui está tudo sobre tese

Redações que têm teses interessantes, argumentos cheios de citações e bem explicados, mas que não têm a ver com a tese… não têm chance.

2. Seus argumentos precisam ser baseados em verdades.

Sobre as verdades nas quais sua argumentação precisa se basear, podem ser as seguintes:

  • Estatísticas
  • Fatos noticiados
  • Estudos de especialistas
  • Conceitos de áreas do conhecimento

Em qualquer redação dissertativa de prova esses elementos vão muito bem, pode usar!

Você percebeu que são garantias de autoridades? Valem como verdades.

3. Seus argumentos precisam ser claros.

Podemos imaginar você dizendo

“Isso é óbvio, se não for claro, o corretor não vai entender (e eu não vou receber a nota que preciso)!”

A gente também achava óbvio, mas nossos corretores insistiram que a gente incluísse na lista. Eles dizem que muitas vezes precisam reler um trecho de uma redação para entender! E é tão comum continuarem sem entender… 

Então, por favor, escreva como você falaria com o professor-corretor. E releia a redação para ver se está tudo no lugar certo mesmo… sabe como é…

4. Com informações suficientes

E sobre a suficiência das informações, você precisa ter certeza de que o leitor não ficou com dúvida em nada. 

Um erro comum é o candidato supor que o corretor vai entender a ideia, mas na prática falta alguma informação para que ele entenda. E o oposto também é verdadeiro: tem candidatos que repassam informações excessivas, informações que todos conhecem – é um erro.

Precisa pôr título na redação do vestibular e do Enem?

Observe que alguns vestibulares exigem título e outros não. 

Sua prova de vestibular ou do Enem pode pedir título (ou não) de uma hora para outra – tem isso também! É direito deles. Então leia direitinho as informações no caderno de provas, porque é lá que vai estar essa informação. 

O que temos visto é que a ausência do título, quando ele é pedido, não costuma desclassificar o candidato, mas sabemos de vestibulares que desclassificam. 

Entretanto, no Enem há um detalhe que faz toda a diferença: o título conta como linha da redação, então pode classificar uma redação que tenha só 7 linhas (ele é a 8ª linha!). 

Portanto aconselhamos que leve a sério a obrigatoriedade de usar um título (se for o caso). 

Temos umas dicas legais para títulos, caso você deseje (ou precise) incluir um. Embora títulos não recebam nota, por que não criar um título atraente, não é?

Os títulos mais queridos pelos candidatos que nos enviam redações para corrigir são os seguintes:

  • Afirmação simples – por exemplo “A importância da educação alimentar”
  • Interrogação – por exemplo “Como educar para uma alimentação saudável?”
  • Uso de dois-pontos – por exemplo “Educação alimentar: o jeito simples de ter saúde”
  • Trecho do texto – aqui depende da redação em si, basta escolher um trecho curto que resuma tudo que foi dito.

Aconselhamos que você não perca tempo tentando criar um título original, porque o tempo é crucial na redação (como já dissemos) – dedique o tempo ao que vale pontos!

Pense num título que tenha a ver com seu texto e seja atraente – é o que basta.

O que a redação do Enem tem de diferente?

Já ouviu falar daquela história da proposta de intervenção no Enem, não é?

Entenda o seguinte: dissertações podem incluir soluções possíveis, sempre que você quiser. E sempre foi assim. 

Foi então que o Inep decidiu que no Enem elas são obrigatórias, essa é a diferença. 

Portanto o Enem não criou as propostas de intervenção: apenas as tornou obrigatórias. 

E o Enem dá nota para suas propostas de solução. Para facilitar a vida do corretor, o Inep dividiu essa nota em 5 critérios:

  • Qual a solução em si
  • Quem é o agente da solução (quem vai cuidar da solução)
  • Qual o modo de levar a solução a cabo (como tudo será arranjado)
  • Qual o efeito esperado com a solução
  • E detalhamento de um dos elementos acima

Esse é o detalhamento necessário na proposta de intervenção do Enem (em nenhum outro vestibular isso é necessário).
Se você ainda tem dúvidas sobre como fazer uma proposta que garanta a pontuação  máxima, não seja por isso: vamos aos detalhes.

A proposta de intervenção no texto dissertativo argumentativo do Enem

  1. Decida qual será a intervenção – qual a solução que você vislumbra para o problema dissertado na sua redação?
  2. Decida qual agente vai cuidar da solução – seria  um ministério? seria um governante específico? ou um outro órgão público? ou seria a mídia? ou o próprio povo?
  3. Decida como esse agente vai fazer a coisa acontecer – explique a sequência, os procedimentos que esse agente vai adotar.
  4. Decida qual o efeito que se deseja com essa solução – o efeito precisa ser pensado sobre o problema que você citou na sua redação, afinal ele é que deve ser resolvido.
  5. Decida qual dos 4 itens acima pode ser mais aprofundado, mais detalhado.

Agora é uma boa hora de eliminarmos um mito: o de que a proposta de intervenção do Enem deve vir na conclusão. 

Como é a conclusão de uma dissertação-argumentativa?

No final de uma redação, seja do Enem seja de qualquer outro vestibular, precisa haver uma conclusão. 

Sua conclusão pode trazer soluções, ou não, como você desejar. No entanto é preciso que sua conclusão esteja 100% relacionada ao que seu texto disse. 

O que você acha que seu leitor concluiria ao ler seu texto? É isso que sua conclusão deve dizer. Se estiver em dúvida do que escrever, opte pela síntese da redação. 

Agora, tem sim outras formas de concluir, quer conhecer? Dá uma olhadinha aqui.
Importante lembrar: na conclusão, não mencione novamente os exemplos que foram dados! Recupere apenas a ideia central! Fique atento: se sua conclusão-síntese é maior que os parágrafos centrais, há algo errado ali!

É isso: você acabou de ler tudo que é mais importante para fazer uma redação dissertativa argumentativa. 

Sendo o tipo de composição mais usado em vestibulares, Enem e concursos, é ele que você precisa dominar. E se pudermos dar um conselho…  acompanhe nosso blog com temas novos toda semana e correção de redação feita por professores.

POSTS RELACIONADOS

Calendário dos Principais Vestibulares 2024

Primeiramente, sabemos a dificuldade que os vestibulandos enfrentam para se organizar. Por isso, preparamos um calendário completo dos principais vestibulares do Brasil para 2024. Aqui,