logo redação online

A problemática da obsolescência programada na indústria da moda | Tema de redação

A problemática da obsolescência programada na indústria da moda

Quanto tempo duram suas roupas? Anos? Ou… poucos meses? Será que você está piorando os efeitos da obsolescência programada na moda da indústria da moda sem saber? 

Se nem sabe o que é isso, é agora ou nunca: aprenda como é bom ter roupas que duram muito, com o tema Enem de hoje. 

É isso mesmo, hora da redação semanal aqui no nosso blog. Escreva uma dissertação argumentativa sobre o tema “A problemática da obsolescência programada na indústria da moda”. 

Vamos deixar para você descobrir o que significa fast fashion, slow fashion e economia circular (ou circularidade), lendo os textos motivadores abaixo. São conceitos importantes em sua argumentação. Também deixamos abaixo repertórios com números e dicas boas para a proposta de intervenção!

Arregace as mangas!

Texto 1 sobre a indústria da moda

Obsolescência programada

Nos dias de hoje, e aplicando à indústria da moda, a obsolescência programada é o processo segundo o qual as peças são concebidas para durarem um determinado período de tempo. Que nunca é longo. Isto é especialmente verdade na fast fashion, cujas peças são desenvolvidas tendo isso em mente.

Por exemplo, o tecido é produzido de forma a resistir um número determinado de utilizações e lavagens. Passado esse número, começa a degradar-se. E quem diz tecido, diz as linhas, os botões, os fechos, etc. Quem nunca estreou uma peça de fast fashion e teve o botão a cair no mesmo dia?
fonte: Recloset – Obsolescência Programada

Texto 2

Fast fashion e o meio ambiente 

“Usar e jogar fora” é um dos princípios da cultura fast fashion e com a fabricação em massa de peças de vestuário pela indústria têxtil para suprir a demanda do consumidor, resultou em uma enorme quantidade de lixo não degradável na natureza. 

De acordo com a publicação [Fios da Moda: Perspectiva Sistêmica Para Circularidade, em parceria com a FGV], foi constatado que, apenas na região de Brás, em São Paulo, um dos locais de destaque pelo lixo têxtil no país, são coletadas 45 toneladas do mesmo, por dia. Por serem as fibras mais comuns na indústria da moda, também foi comprovado que o algodão varia de 10 a 20 anos para se decompor, tecidos sintéticos entre 100 e 300 anos e poliéster até 400 anos, sem a possibilidade de reciclagem quando despejado sem os cuidados necessários. Todos esses materiais são jogados em aterros sanitários, onde não existe fiscalização apropriada para controlar as enormes quantidades que chegam por dia.
adaptado de BlogFca – Puc Minas

Texto 3

Laura Brito virou influencer com dicas de customização de roupas: “Hoje falo com vários nichos”

A paraibana teve a ideia de criar o canal após ver que suas customizações faziam sucesso nas ruas. “Na rua, as pessoas me perguntavam em que lugar eu tinha comprado a roupa que eu estava usando. Eu contava que shorts era uma calça do meu pai que eu tinha customizado em casa e as pessoas se surpreendiam. Tudo começou assim, como se eu estivesse dando dicas para uma amiga. Tomou uma proporção muito grande.”

Atualmente, Laura não se limita apenas a dar dicas de customização, ela também fala de maquiagem e dá outras dicas para os seus mais de três milhões de inscritos no YouTube.
fonte: Revista Quem – Globo

Texto 4

fonte: Jornal do Campus – USP

Texto 5

Conheça Iniciativas e Empresas que estão mostrando que é possível aliar Moda e Sustentabilidade

C&A

A gigante varejista C&A preocupada com os impactos do cultivo tradicional de algodão, vem optando por utilizar em seus artigos algodão certificado pela Better Cotton Initiative – BCI (Iniciativa por um Algodão Melhor), em 2016 15% dos artigos desse material comercializados no país já eram certificados, a expectativa da empresa é atingir 100% até 2020.

(….)

Outra preocupação da marca é em relação ao jeans e a quantidade excessiva de água gasta durante seu processo produtivo, por isso a C&A está investindo em inovações de sua cadeia produtiva e como resultado há 92% de economia de água e 30% de redução de energia no processo de tecelagem; e 30% de economia de água e 15% menos energia no processo de lavanderia. Isso graças a certificação de seus fornecedores, como as empresas fornecedoras de fiação, as confecções e as lavanderias.
fonte: Autossustentável

Repertórios socioculturais relacionados ao tema “A problemática da obsolescência programada na indústria da moda”

artigo – já percebeu que produtos de moda estão entre os maiores patrocinadores do futebol? este ótimo artigo mostra 3 ideias que os clubes de futebol podem considerar para reduzir a obsolescência programada no mundo da moda

vídeo –  assista a um debate com o professor Leandro Karnal sobre o impacto da moda no meio ambiente.

reportagem – ótimo repertório para ajudar na proposta de intervenção: dicas práticas para reduzir a obsolescência programada na moda.

números – encontramos números importantes para sua redação sobre obsolescência programada na moda, neste artigo da conhecida revista Elle; aproveite!  

reportagem – saiba aqui o que é slow fashion, e como você pode usá-la em sua redação co mo repertório.

artigo – a obsolescência programada na moda alimenta o trabalho análogo à escravidão; aqui você vai encontrar números que mostram como isso é sério – ótimo repertório! 

reportagem –  dicas interessantes e úteis para inspirar suas propostas de intervenção sobre como ter um guarda-roupas mais sustentável

perfis em rede social – por que não incluir na sua redação referências de quem já atua na moda sustentável? siga você também estes aqui!

legislação – poucos candidatos conhecem este Projeto de Lei que objetiva evitar a obsolescência programada, incluindo a que envolve os tecidos.

reportagem – veja se não vale a pena frear a obsolescência programada, lendo o relato de quem consumia roupas exageradamente e hoje entrou no movimento da moda sustentável (e cite-os em sua redação). 

vídeo – não perca este documentário da TV alemã, sobre a obsolescência programada na moda, citando várias marcas de roupas (que você conhece!).

documentário – por sorte você e nossos outros seguidores estão sabendo deste conteúdo incrível: veja a real situação de trabalhadores nas fábricas da Ásia, que produzem roupas para marcas famosas; prepare-se porque são cenas fortes de exploração humana.

livro – Moda sustentável: Um guia prático, de Alison Gwilt, não é para quem trabalha com moda: é um guia para a aplicação de estratégias de sustentabilidade no mundo da moda.

vídeo – Herchcovitch é um estilista brasileiro conhecido internacionalmente e aqui você tem a oportunidade de saber a opinião dele sobre o upcycling numa entrevista.
estudo – são tantos números para você usar como repertório neste trabalho de Cindy Tsui para a UnB… o mais interessante é que eles mostram se as pessoas desejam ou não entrar na economia circular da moda.

Já que você chegou até aqui, queremos te perguntar: a problemática da obsolescência programada na indústria da moda foi um tema que mudou sua vida? Olha lá ein… a gente espera que sim!  Além de gastar menos com a moda circular, você dará sua contribuição ao planeta! E conte com a gente para saber se sua redação precisa melhorar em alguma coisa, ok?

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes