logo redação online

Análise de Redações Nota 1000 do ENEM 2022: principais estratégias utilizadas pelos autores

Análise de Redações Nota 1000 do ENEM 2022: principais estratégias utilizadas pelos autores

Lá pela metade do ano o Enem libera algumas redações nota 1000  e você corre para vê-las na internet. O que você quer é fazer igual a elas para ter nota máxima também, claro!

Hoje vamos ajudar você nisso, analisando redações nota 1000 do Enem 2022 – mas não como você pensa!

É preciso eliminar algumas noções erradas que os alunos têm criado nesses últimos anos. 

 

    • Não é porque uma redação 1000 citou um filósofo que o candidato ganhou nota máxima.

    • Não é porque uma redação 1000 começou a introdução descrevendo uma época histórica que o candidato ganhou nota máxima.

    • Não é porque uma redação 1000 tem 4 parágrafos (todos do mesmo tamanho) que ela ganhou nota máxima.

    • Não é porque uma redação 1000 usou “ademais” que ela ganhou nota máxima!

O que acontece é que os próprios alunos, quando veem redações 1000, deduzem que é preciso escrever uma igual – com as mesmas palavras e citações:

“Esse aluno teve nota 1000 e fez isso, então vou fazer também!”

Não funciona assim…

Esses elementos são opções dos alunos – não existe obrigatoriedade em fazer dessa forma!

Os elementos que toda redação 1000 tem são outros!

 

O que toda redação nota 1000 tem (e a sua também precisa ter)

Vamos ensinar você a perceber quais as características que toda redação nota 1000 tem – e que você não está enxergando.

Para isso, nada melhor que usar trechos de redações 1000. Estes que você vê abaixo são trechos de redações 1000 de 2022.

1. O que toda introdução de redação 1000 Enem tem

As teses da redação nota 1000 deixam claro quais os problemas que serão destacados no decorrer dos textos: 

    1. Na primeira fase do Romantismo, os aspectos da natureza brasileira e os povos tradicionais foram intensamente valorizados nas obras, criando um movimento ufanista em relação a características nacionais. Tal quadro de valorização, quando comparado à realidade, não foi perpetuado, apresentando preocupantes desafios para a exaltação das comunidades nativas na contemporaneidade. Nesse sentido, a problemática não só deriva da inércia estatal, mas também do descaso social.

    1. O documentário “Guerras do Brasil”, que tem participação do ativista indígena Ailton Krenak, apresenta, em seu primeiro episódio, a perspectiva dos povos originários em relação ao processo de colonização brasileiro, ressaltando a manutenção da luta dessas comunidades pela conservação da cultura e preservação da natureza na atualidade. A partir desse cenário, é necessário avaliar os obstáculos que impedem a valorização efetiva dos povos tradicionais no Brasil, o que está associado à relação conflituosa com o modelo econômico agroexportador brasileiro, bem como à visão de parte da sociedade que inferioriza organizações sociais que se diferenciam do padrão ocidental.

Como o Enem não deixa muita margem para teses de verdade (com opiniões reais), o importante é deixar em destaque o que será exposto na argumentação. E foi o que essas duas introduções fizeram!

Em geral os alunos deduziram que a introdução precisa ser assim longa, e precisa citar algum momento histórico ou uma produção de mídia, mas não é o caso… Esses são apenas detalhes – opções do candidato – que não garantem nota máxima.

O que ajuda na nota 1000 de verdade é a tese explícita, isso sim!

2. O que toda argumentação de redações nota 1000 do Enem tem

Observe como ambos trechos argumentativos abaixo de redação nota 1000 apoiam-se em fontes de autoridade (repertório).

    1. De início, é importante observar que a inércia governamental é uma das principais barreiras para a valorização dos povos tradicionais. Nessa perspectiva, de acordo com a Constituição Brasileira de 1988 é responsabilidade do Estado garantir a preservação e a exaltação das comunidades nativas, incluindo medidas voltadas para a proteção de suas culturas. Entretanto, tal postulado é quebrado quando comparado à contemporaneidade, haja vista que a maioria dos povos tradicionais, como indígenas e quilombolas, não possui seus direitos estabelecidos, a exemplo da demarcação de terras, sendo perversamente abandonada por um governo que não oferece o suporte e o auxílio garantidos por lei. Por conseguinte, a partir do momento que o Estado é passivo e negligente, as autoridades são responsáveis tanto por estabelecer um equivocado cenário de quebra de direitos constitucionais, quanto por criar um errôneo quadro de desvalorização cultural da nação, já que as culturas das comunidades nativas representam o patrimônio de todos os brasileiros. Desse modo, a postura governamental vigente acentua a negligência perante os povos naturais do país.

    1. Além disso, outro desafio para o reconhecimento desses indivíduos é a carência do progresso sustentável. Nesse contexto, as entidades mercadológicas que atuam nas áreas ocupadas pelas populações tradicionais não necessariamente se preocupam com a sua preservação, comportamento no qual se valoriza o lucro em detrimento da harmonia entre a natureza e as comunidades em questão. À luz disso, há o exemplo do que ocorre aos pescadores, cujos rios são contaminados devido ao garimpo ilegal, extremamente comum na Região Amazônica. Por conseguinte, o povo que sobrevive a partir dessa atividade é prejudicado pelo que a Biologia chama de magnificação trófica, quando metais pesados acumulam-se nos animais de uma cadeia alimentar – provocando a morte de peixes e a infecção de humanos por mercúrio. Assim, as indústrias que usam os recursos naturais de forma irresponsável não promovem o desenvolvimento sustentável e agem de maneira nociva às sociedades tradicionais.

Você viu uma fonte de autoridade que era a própria Constituição Brasileira (a), e viu uma fonte que está relacionada à Biologia, uma Área do Conhecimento (b). 
Mas não é esse o importante! Observe que em ambos os casos os candidatos usaram essas fontes para dar reforço ao que estavam dizendo e não simplesmente para mostrar repertório.

Como as redações nota 1000 usam repertórios

A maioria dos alunos que enviam redações para nossa equipe pela primeira vez não sabe usar repertórios. 

Eles veem uma citação de filósofo, de momentos históricos, de filmes ou livros, e pensam que foi só isso que garantiu o 1000. Não! É preciso mostrar por que se está citando um repertório e usá-lo comentando-o

Lembre-se disso na sua próxima redação.

Para fazer do jeito certo, siga a seguinte ordem:

    1. Pense em qual argumento (qual explicação ou evidência) você quer mostrar ao corretor.

    1. Observe do que você lembra de imediato – de um filme? De um assunto que aprendeu na escola? De um livro que leu?

Essa é a ordem correta que garante a nota máxima no repertório – e a mais fácil também (ou você quer deixar as coisas mais difíceis?!)

3. O que toda redação estrutura de redação 1000 Enem tem

Dois trechos agora, que mostram uma sintaxe acima da média na redação nota 1000. 

E se você nem sabe o que é sintaxe, é a hora de aprender – veja o sublinhado:

    1. Ademais, é nítido que as dificuldades de promover um verdadeiro reconhecimento e valorização das comunidades tradicionais ascendem à medida que raízes preconceituosas são mantidas. De fato, com base nos estudos da filósofa Sueli Carneiro, é perceptível a existência de um “Epistemicídio Brasileiro” na sociedade atual; ou seja, há uma negação da cultura e dos saberes de grupos subalternizados, a qual é ainda mais reforçada por setores midiáticos. Em outras palavras, apesar da complexidade de cultura dos povos tradicionais, o Brasil assume contornos monoculturais, um vez que inferioriza e “sepulta” os saberes de tais grupos, cujas relações e produções, baseadas na relação harmônica com a natureza, destoam do modelo ocidental, capitalista e elitista. Logo, devido a um notório preconceito, os indivíduos tradicionais permanecem excluídos socialmente e com seus direitos negligenciados.

    1. Ademais, vale ressaltar o preconceito cultivado no ideário popular como empecilho à importância atribuída aos povos nativos, posto que, em decorrência da baixa representatividade em ambientes escolares, como mencionado anteriormente, e do baixo respaldo cultural, marcado por estereótipos limitantes e etnocentristas, isto é, que supõem superioridade de uma etnia em relação à outra, há formação de estigmas sobre pessoas dessas minorias e, por conseguinte, não há o reconhecimento de suas ricas peculiaridade. Seguindo essa linha de raciocínio, é possível estabelecer conexões entre a atualidade e a carta ao rei de Portugal escrita por Pero Vaz de Caminha, no momento da chegada dos portugueses ao Brasil, de forma que a perspectiva do navegador em relação ao indígena, permeada de suposta inocência, maleabilidade e passividade, pouco alterou-se na concepção atual, evidenciando a prepotência e a altivez que são implicações da ignorância e do silenciamento das fontes tradicionais. Então, são necessárias medidas de mitigação dessa problemática para o alcance do bem-estar da sociedade.

Os trechos que sublinhamos demonstraram aos corretores que esses candidatos têm domínio da escrita (provavelmente têm hábito de ler e treinaram a redação) de verdade!

Eles intercalam orações subordinadas com maestria, e os períodos parecem uma conversa, não são truncados. 

Vemos, inclusive, que no trecho b)  o candidato soube usar o pronome relativo “cujo” que raros alunos usam!

Os alunos poderiam achar que os conectivos usados é que garantiram a nota máxima mas… não! De novo, o autor da redação escolhe os conectivos que desejar e os coloca nos lugares que achar corretos. O importante mesmo é a clareza e o domínio da escrita!

Um último detalhe interessante: o trecho b) é bem longo, mas é claro e organizado, portanto tamanho de períodos não faz diferença para uma nota 1000.

 

Conclusão

Quando um candidato compara redações 1000 do Enem, ele busca por elementos semelhantes e usa esses mesmos elementos em sua redação. Mas com essa análise de redações nota 1000 do Enem 2022 nós mostramos uma comparação muito mais eficiente.

Comece a comparar dessa forma!

    • Deixe claro logo na introdução o que será explicado no texto (nada na introdução é mais importante que isso!)

    • Saiba usar fontes de autoridade (os repertórios)

    • E escreva numa sintaxe culta e caprichada. 

Tem outras coisas importantes que não deu para mostrar aqui, mas é só enviar sua redação para nossa equipe que você fica sabendo!

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes