logo redação online

O papel da tecnologia na promoção da inclusão social e digital

O papel da tecnologia na promoção da inclusão social e digital

A tecnologia melhora muito nossas vidas, mas também aumenta a desigualdade social e isso ficou mais que claro com a COVID-19. 

Por sorte, muitos projetos criativos estão surgindo para resolver isso, e na redação Enem desta semana você pode mostrar a sua ideia também!

Faça assim: leia o conteúdo exclusivo que reunimos abaixo, e escreva uma dissertação argumentativa sobre “O papel da tecnologia na promoção da inclusão social e digital”. 

Rolando mais a tela, você vai encontrar uma coleção de ótimos repertórios, para o caso deste tema cair na prova do Enem. Aproveite-os. Agora é com você!

Texto 1

Tecnologia e Inclusão Social: Repensando a Exclusão Digital

(…) às vezes podemos usar computadores e contas de Internet; no entanto, isso não é um fim em si mas sim parte de um esforço mais amplo para entender melhor o processo de

uso da tecnologia e o papel das TIC no desenvolvimento humano e social. Da mesma forma, como defensores sociais, podemos trabalhar para distribuir equipamento, mas novamente como um passo em direção a um propósito maior de ajudar as pessoas, participar plenamente da economia da informação e da sociedade em rede. 

Essa participação requer não apenas acesso físico a computadores e conectividade, mas também acesso às habilidades e conhecimentos necessários, conteúdo e linguagem, e suporte comunitário e social para poder usar as TIC para fins significativos. As tarefas são grandes, mas o desafio também: reduzir a marginalização, a pobreza e a desigualdade e melhorar inclusão econômica e social para todos.


traduzido livremente de mit edu – Technology and Social Inclusion Rethinking

Texto 2

A educação inclusiva e as novas tecnologias

As novas tecnologias são um aliado importante para o processo de inclusão

escolar. Elas estão presentes nas Tecnologias Assistivas, importante aliado para a

escolarização do aluno deficiente, além de fazerem parte da vida diária dos estudantes.

A informática e o uso das novas tecnologias de apoio são fundamentais como

auxílio ao desenvolvimento de pessoas com deficiência. Portanto nenhum educador

deverá abdicar dos princípios da inclusão e deve diligenciar os meios para que esta seja

implantada nos diversos contextos educativos, então é importante incluir as tecnologias

como uma ferramenta inclusiva.

A escola não pode ficar à margem da mudança tecnológica, em especial, as

escolas inclusivas, mas precisa criar estratégias inovadoras de comunicação, novos

estilos de trabalho, principalmente, novas maneiras de conduzir e ter acesso ao

conhecimento, utilizando as mais variadas ferramentas tecnológicas a fim de despertar

no estudante, cada vez mais o prazer de estudar.

Por isso, é importante repensar os espaços de aprendizagem nas escolas só é possível através de um

trabalho conjunto, coletivo, compromissado, numa visão sistêmica, que permita a

construção de um processo educacional mais igualitário e democrático, pautado no ideal

de uma “Escola para Todos”.

fonte: A EDUCAÇÃO INCLUSIVA E AS NOVAS TECNOLOGIAS

Texto 3

fonte: Exclusão digital: problemas conceituais, evidências empíricas e política pública

Texto 4

Tecnologia assistiva: a tecnologia a favor da acessibilidade e inclusão

Be My Eyes      

O Be My Eyes conecta voluntários videntes (pessoas que enxergam) com pessoas com deficiência visual que necessitam de auxílio para executar uma tarefa cotidiana, como saber a cor da camisa que estão comprando em uma loja, descobrir a marca ou a validade de um produto no supermercado, realizar uma compra online, entre outras atividades, tornando tais atividades mais acessíveis. 

O Aplicativo se encaixa na categoria de auxílio para a vida diária e prática e também é um grande exemplo de como as soluções para as dificuldades vividas por pessoas com deficiência muitas vezes são simples, basta que se tenha um olhar sensível o suficiente para enxergá-la.

Bengala Eletrônica

As bengalas eletrônicas foram desenvolvidas com o objetivo de auxiliar as pessoas com dificuldades motoras a se movimentar com mais facilidade e com mais segurança em ambientes, como as grandes cidades, que possuem obstáculos e podem gerar um impasse na locomoção. Além disso, existem vários tipos  de bengalas eletrônicas, uma delas foi criada para ajudar pessoas com deficiência visual, que possui dois sensores que avisam quando há um obstáculo a um metro de distância. Essa ferramenta possui um microcontrolador que processa os dados sonares e aciona os motores, de tal maneira que aciona o usuário e facilita todo seu processo de movimentação. Outro modelo, também, de bengala eletrônica é capaz de emitir alertas sonoros e de vibração em relação aos obstáculos em altura detectados através de um sensor ultrassônico, contribuindo, principalmente, para a locomoção em centros urbanos.

fonte: Tecnologia assistiva: a tecnologia a favor da acessibilidade e inclusão

Repertórios socioculturais relacionados ao tema “O papel da tecnologia na promoção da inclusão social e digital”

Informativo:

Livro:

  • Tecnologia E Inclusão Social foi escrito por Mark Warschauer, e fala das TIC (Tecnologias de Inclusão Social); fornecer computadores não é suficiente, sabia?

Artigo:

Vídeo:

Notícia:

  • Outro projeto para inclusão social pela tecnologia no Acre, e mais uma vez encabeçado por um jovem, o Henrique, saiba mais

Estatística:

Vídeo:

Reportagem:

  • O Guilherme é um estudante que criou um programa para inclusão digital durante a pandemia da covid-19 – quer conhecer? clique aqui.

Informativo:

Reportagem:

Vídeo:

Notícia:


Vídeo:

Tecnologia é um tema recorrente, inclusive nós já demos um tema desse assunto anteriormente, você viu? Mas especificamente o papel da tecnologia na promoção da inclusão social e digital é um tema que até o momento não caiu no Enem… Siga nosso conselho: escreva sua redação sobre ele, e mande para nossa equipe – ela mostrará como fazer para chegar na nota 1000!

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes