logo redação online

Os maiores medos dos vestibulandos e como superar cada um deles

estudante com medo

Não se engane: não é só você que tem medo de encarar o dia da prova! Por isso trouxemos os medos dos vestibulandos!

Tem alguns medos que só quem é ou já foi vestibulando já vivenciou. O temor de não obter a aprovação e precisar passar por mais um ano de estudos. A pressão dos pais para escolher uma carreira que não te agrada. Ou até mesmo a própria indecisão sobre qual caminho profissional seguir. Deixa a gente te contar uma coisa: todos estes medos são absolutamente normais! 

Isso não quer dizer, no entanto, que os estudantes são obrigados a sofrer e conviver com todos eles. É possível encontrar maneiras de driblar cada um destes fantasmas, e quem afirma é a coordenadora de Orientação Educacional do Poliedro Curso. Conversamos com Maria Pereira para listar os maiores medos dos vestibulandos como superá-los. 

O medo de não passar no vestibular 

Segundo a especialista, é normal o estudante ter medo de obter a aprovação enquanto se prepara para os vestibulares, isso se torna um dos maiores medos dos vestibulandos. Principalmente, quando a concorrência é grande e o desempenho exigido é alto. Para lidar com esse receio, Pereira orienta que o candidato se informe sobre as principais características da prova, analisando quais conteúdos podem ser cobrados e qual o modelo de prova exigido (objetiva, dissertativa…). 

Organizar um cronograma de estudo também será essencial, para que consiga dar conta de estudar o necessário até a data do exame. E fazer simulados e resolver provas antigas será importante para treinar estratégias de provas, aproveitamento do tempo, resistência para ficar horas concentrado e para conhecer os momentos de maior ansiedade, por exemplo. 

“Esse preparo, por si só, pode trazer grande tranquilidade ao vestibulando, que conhecerá o que deverá ser enfrentado. Contudo, ainda que bem preparado, o medo pode continuar a ser grande e atrapalhar bastante. Nesse caso, é importante que o estudante tenha apoio da família, dos amigos e dos profissionais e ao seu redor– professores, coordenadores e orientadores”, explica Pereira. 

+ A autossabotagem em ano de vestibular

Insegurança em relação ao curso escolhido 

Quando aparece uma dúvida em relação ao curso escolhido, é importante procurar reconhecer quais são as razões da insegurança. Por exemplo:

  • Medo de não conseguir acompanhar o curso?
  • Medo de não conseguir a aprovação no vestibular?
  • Ter conhecido outra carreira ou ter pensado em outra possibilidade que também pareceu interessante?
  • Insegurança em relação à qualidade ou ao reconhecimento do curso?
  • Receio do mercado de trabalho, possibilidades de atuação ou do retorno financeiro? 

“Às vezes, a dúvida aparece, pois o estudante ainda não tinha realmente avaliado a escolha com mais cuidado; outras vezes, acontece algo que o faz perceber e refletir sobre aspectos antes não considerados. Ou ele conhece novas possibilidades, novos interesses. Seja o que for, será importante que se dedique a pensar sobre o assunto, que reconheça o que está em questão, que organize as ideias, e que busque informações.”

Algumas dicas são pesquisar mais sobre a carreira, ver sites e vídeos no YouTube; conversar com profissionais e estudantes da área de interesse; ou participar de workshops, aulas experimentais e feiras de profissões. 

Ansiedade em relação ao dia da prova

O ideal, segundo a orientadora, é cuidar da ansiedade ao longo de todo o preparo para os vestibulares. Alguns cuidados: Programar momentos de descanso e lazer, fazer atividade física, terapia, praticar meditação e relaxamento. 

Existem técnicas de respiração que ajudam a acalmar e podem ser praticadas no dia a dia. O importante é ter em mente que outros vestibulandos estão passando pela mesma situação e a apreensão faz parte dessa fase. Mas caso você sinta que a ansiedade está afetando o seu cotidiano, procure ajuda profissional.

Cobrança dos pais 

Existem vestibulandos que se sentem pressionados pela cobrança dos pais, e isso acaba de se tornando um dos medos dos vestibulandos. Nesse caso, é preciso compreender quais são as razões das cobranças. Por exemplo, será que os pais têm noção da realidade do vestibular para o curso escolhido? Caso não tenham, é importante informar. 

“Será que acreditam que cobrar é uma forma de ajudar? Será que reproduzem a mesma forma com que foram criados? Ou que estão descontando outras questões no vestibulando? Podem ser muitas razões. Pode ser, até, que o próprio estudante não esteja percebendo que está com uma postura inadequada em relação a seu preparo.”

Então, é interessante compreender o contexto para se posicionar da melhor maneira possível. 

Indecisão sobre qual faculdade escolher

A escolha da faculdade exige busca de informações. “Se o estudante não sabe o que escolher, deve pesquisar as possibilidade e ler um pouco sobre cada uma. Ao fazer isto, deve selecionar quais interessam mais; quais, menos. Reconhecendo, assim, interesses e prioridades. Depois, vai se dedicando mais à pesquisa daquelas que interessaram mais”, explica a orientadora. 

É importante se informar, por exemplo, sobre os diferenciais de cada universidade, os programas de extensão, as possibilidades de pesquisa, intercâmbio, coletivos, esportes e atividades culturais. Além disso, vale procurar rankings de educação e conversar com profissionais da área para ver como a instituição está posicionada no mercado de trabalho. 

Este texto é fruto de uma parceria entre o Guia do Estudante e o Redação Online, plataforma de correção de redações. Clicando aqui é possível acessar os planos de correção disponíveis. Utilize o cupom GUIADOESTUDANTE20 e ganhe 20% de desconto.

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes