logo redação online

Desafios para o diagnóstico precoce do TEA no contexto brasileiro | TEMA DE REDAÇÃO

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Desafios para o diagnóstico precoce do Transtorno do Espectro Autista no Brasil” apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. 

Desse modo, selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para a defesa de seu ponto de vista.

  1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
  2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta preta, na folha própria, em até 30 (trinta) linhas.
  3. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para a contagem de linhas. 
  4. Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:
  • 4.1 tiver até 7 (sete) linhas escritas, sendo consideradas “textos insuficiente”; 
  • 4.2 fugir do tema ou não atender ao tipo dissertativo-argumentativo; 
  • 4.3 apresentar parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto;
  •  4.4 apresentar nome, assinatura, rubrica, ou outras formas de identificação no espaço destinado ao texto.

Texto I

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um distúrbio caracterizado pela alteração das funções do neurodesenvolvimento, que podem englobar alterações qualitativas e quantitativas da comunicação, seja na linguagem verbal ou não verbal, na interação social e do comportamento, como: ações repetitivas, hiperfoco para objetos específicos e restrição de interesses.

Ademais, o espectro identifica níveis que variam de níveis, com total independência e apresentação de discretas dificuldades de adaptação, até níveis de total dependência para atividades cotidianas ao longo de toda a vida.

Além disso, A suspeita inicial do Transtorno do Espectro Autista é feita normalmente ainda na infância, por meio da Atenção Primária à Saúde (APS), durante as consultas para o acompanhamento do desenvolvimento infantil.

Portanto, por ser essencialmente clínico, a identificação de traços do espectro autista é realizada a partir das observações da criança, entrevistas com os pais e aplicação de métodos de monitoramento do desenvolvimento infantil, durante as consultas de avaliação do crescimento da criança, que acontecem em qualquer unidade da APS.

Fonte: Gov saúde

Texto II

A Lei Berenice Piana (12.764/12) criou a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, que determina o direito dos autistas a um diagnóstico precoce, tratamento, terapias e medicamento pelo Sistema Único de Saúde; o acesso à educação e à proteção social; ao trabalho e a serviços que propiciem a igualdade de oportunidades.

Desse modo, isto é importante porque permitiu abrigar as pessoas com TEA nas leis específicas de pessoas com deficiência, como o Estatuto da Pessoa com Deficiência (13.146/15), bem como nas normas internacionais assinadas pelo Brasil, como a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (6.949/2000).

Fonte: autismoerealidade.org.br

Texto III

“Há 14 anos, quando o meu filho nasceu, a gente não ouvia falar em autismo. Percebemos algumas diferenças no desenvolvimento, como o olhar distante, e tudo que ele fazia eu pesquisava na internet. Hoje, temos associações, políticas públicas. Não está mais fácil, mas já se consegue um melhor desenvolvimento da criança.”

Nesse sentido, a situação vivenciada pela servidora pública Andreia Melo é bem diferente da realidade dos familiares que hoje descobrem que o filho tem Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Além disso, a internet foi a grande parceira dela para descobrir por que o filho apresentava determinados comportamentos diferentes das outras crianças. “Pouco se falava na deficiência, e qualquer reação diferente eu corria para o Google.

Mas ela ressalta que esse é um caminho que ainda precisa ser explorado, para que a população em geral saiba que o autismo existe e é uma deficiência relacionada ao comportamento da pessoa, o que nem sempre é, de imediato, visível.

Fonte :al.rr.leg.b

Texto IV

Desafios para o diagnóstico precoce do TEA no contexto brasileiro

Abril Azul

A ONU estabeleceu o Abril Azul para conscientizar sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), já que de acordo com a OMS, uma em cada 160 crianças no mundo é diagnosticada com TEA, o qual apresenta desafios em comunicação e interação social.

Filmes e séries sobre autismo

 “O Farol das Orcas: por exemplo, inspirado em uma história real, mostra a jornada de uma mãe por tratamento alternativo para seu filho autista.
Atypical”: nesse sentido, o livro narra a adolescência de Sam, um jovem autista, destacando desafios e conquistas.
The Good Doctor”: Shaun, um médico com autismo Savant, todavia enfrenta preconceitos no trabalho enquanto demonstra sua competência.

Livros


Eleanor Oliphant está Muito Bem”: Eleanor, uma mulher autista, enfrenta desafios para se adaptar a novas experiências sociais.
A Diferença Invisível”: Marguerite, descobrindo-se autista, busca compreender suas dificuldades sociais.
A Verdade Segundo Ginny Moon”: Ginny, uma adolescente autista, luta para se reconectar com sua mãe biológica.

Leis de Conscientização do Autismo

  1. Lei 14.626/2023: garante atendimento prioritário em diversos estabelecimentos para pessoas com TEA.
  2. Lei 14.624/23: introduz a fita com desenhos de girassóis como símbolo de identificação para deficiências ocultas.
  3. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (13.146/2015): amplia os direitos não só de quem tem TEA, mas de todas as PCDs.

Argumento 1: omissão familiar

  • Causa: resistência ou negação por parte de algumas famílias em aceitar o diagnóstico de TEA, isto é, por medo do estigma ou desinformação.
  • Consequência: atraso no início do tratamento adequado, impactando o desenvolvimento do indivíduo com TEA.
  • Justificativa: a aceitação familiar é crucial para o bem-estar e o desenvolvimento da criança, assim como para o acesso a recursos e apoio.
  • Repertório: “A árvore generosa” de Shel Silverstein, ilustrando a importância do suporte incondicional e amor, reflete como o apoio familiar pode transformar positivamente a vida de um indivíduo com TEA.

Argumento 2: negligência governamental

  • Causa: Falta de políticas públicas eficazes para a detecção precoce do TEA e apoio às famílias.
  • Consequência: Insuficiência de recursos e suporte para o diagnóstico e tratamento, ampliando as barreiras ao desenvolvimento pleno.
  • Justificativa: O governo tem a responsabilidade de fornecer serviços de saúde acessíveis e de qualidade para todos os cidadãos, incluindo aqueles com TEA.
  • Repertório: A Declaração Universal dos Direitos Humanos, em seu artigo XXV, que estabelece o direito à saúde, serve como fundamento para argumentar a necessidade de políticas públicas voltadas ao diagnóstico precoce do TEA e suporte às famílias afetadas.

Por fim, agora que você está bem informado sobre todos os aspectos a respeito do tema da redação sobre barreira do preconceito: desafios para o diagnóstico precoce do Transtorno do Espectro Autista (TEA) no contexto brasileiro., que tal colocar seus conhecimentos em prática? Ao acessar o nosso site, você terá a oportunidade de ter sua redação corrigida pela mais renomada e eficiente plataforma de correção do Brasil.

POSTS RELACIONADOS