5 argumentos coringas para usar na redação

por | fev 25, 2022

Início » Dicas de Redação » 5 argumentos coringas para usar na redação

O tema de redação do Enem e vestibulares é sempre uma caixinha de surpresa: você só descobre na hora da prova! Por isso, conhecer argumentos coringas é fundamental para conseguir lidar com qualquer tema e ainda garantir a nota máxima.

Afinal, a argumentação é o elemento principal do texto dissertativo-argumentativo cobrado na maioria dos exames. É no desenvolvimento do texto que você terá que apresentar bons argumentos para sustentar a sua tese.

Sendo assim, listamos neste artigo 5 argumentos coringas para você usar em vários temas de redação e mandar bem na prova. Mas, antes, vamos entender o que são argumentos coringas? Continue a leitura!

O que são argumentos coringas?

Em resumo, os argumentos coringas são aqueles que servem para vários temas. A redação do Enem e vestibulares geralmente abordam temáticas sociais que possuem as mesmas causas e, por isso, é possível usar os mesmos argumentos para temas diferentes.

Mas saiba que não se trata de uma estrutura pronta e decorada, viu? Aliás, sempre indicamos que você passe longe delas aqui no blog. Trata-se de uma carta na manga, ou seja, uma estratégia para você conseguir lidar com qualquer tema na hora da prova e escrever uma ótima redação!

Agora, vamos para as dicas? Siga a leitura e confira os 5 argumentos coringas para usar na redação!

1 – Insuficiência legislativa

A insuficiência legislativa é a nossa primeira indicação. Muitas vezes o tema aborda um problema social que já possui uma lei específica ou está previsto na Constituição. No entanto, apesar de estar no papel, a lei não contempla totalmente o que é necessário para solucionar o problema. Ou seja, na prática, ela não funciona.

Veja, a seguir, um exemplo de redação nota mil que utilizou esse argumento: 

É indubitável que a questão constitucional e sua aplicação estejam entre as causas do problema. Conforme Aristóteles, a poética deve ser utilizada de modo que, por meio da justiça, o equilíbrio seja alcançado na sociedade. De maneira análoga, é possível perceber que, no Brasil, a perseguição religiosa rompe essa harmonia; haja vista que, embora esteja previsto na Constituição o princípio da isonomia, no qual todos devem ser tratados igualmente, muitos cidadãos se utilizam da inferioridade religiosa para externar ofensas e excluir socialmente pessoas de religiões diferentes. (Larissa Cristine Ferreira – “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”, Enem 2016)

2 – Negligência governamental

Esse é um dos argumentos coringas mais usados nos exames! Afinal, a negligência governamental é a causa de muitos problemas em nossa sociedade. Mas, afinal, o que é negligência governamental? É quando o governo não dá atenção a um problema social, isto é, quando há descaso e falta de investimento para resolver determinada situação.

Veja um exemplo:

Em primeiro lugar, a negligência do Estado, no que tange à saúde mental, é um dos fatores que impedem esse processo. Nessa perspectiva, a escassez de projetos estatais que visem à assistência psiquiátrica na sociedade contribui para a precariedade desse setor e para a continuidade do estigma envolvendo essa temática. Dessa maneira, parte da população deixa de possuir tratamento adequado, o que resulta na piora de sua doença mental e na sua exclusão social. No entanto, apesar da Constituição Federal de 1988 determinar como direito fundamental do cidadão brasileiro o acesso à saúde de qualidade, essa lei não é concretizada, pois não há investimentos estatais suficientes nessa área. Diante dos fatos apresentados, é imprescindível uma ação do Estado para mudar essa realidade. (Aline Soares Alves – “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”, Enem 2020)

3 – Má influência midiática

A má influência midiática também pode servir como argumento para diversos temas. Isso porque a mídia deve exercer o seu papel de forma democrática, ou seja, ela deve informar de forma transparente. No entanto, sabemos que muitas vezes a mídia distorce informações ou mesmo silencia – o que também é uma má influência.

Confira um exemplo:

Nota-se, outrossim, que a desinformação na sociedade é outra problemática em relação ao estigma acerca dos distúrbios mentais. Nesse aspecto, devido à escassez da divulgação de informações nas redes midiáticas sobre a importância da identificação e do tratamento das doenças psicológicas, há a relativização desses quadros clínicos na sociedade. Desse modo, assim como é retratado no filme O Lado Bom da Vida, o qual mostra a dificuldade da inclusão de pessoas com doenças mentais na sociedade, parte da população brasileira enfrenta esse desafio. Com efeito, essa parcela da sociedade fica à margem do convívio social, tendo em vista a prevalência do desrespeito e do preconceito na população. Nesse cenário, faz-se necessária uma mudança na postura das redes midiáticas. (Aline Soares Alves – “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”, Enem 2020)

4 – Legado histórico

O legado histórico também é uma estratégia argumentativa coringa na redação! Sem dúvidas, a realidade presente é consequência do passado e mostrar que você entende isso é uma ótima forma de mandar bem na redação e ainda mostrar repertório. 

Por exemplo, em um tema sobre racismo é possível resgatar o sistema escravagista do Brasil Colônia, ou se o tema for relacionado à democracia é possível falar sobre a ditadura militar no Brasil. Entretanto, é importante que você saiba sobre história e tenha certeza do que você está falando, combinado? 

Confira um exemplo:

Segundo a História, a mulher sempre foi vista como inferior e submissa ao homem. Comprova-se isso pelo fato de elas poderem exercer direitos políticos, ingressarem no mercado de trabalho e escolherem suas próprias roupas muito tempo depois do gênero oposto. Esse cenário, juntamente aos inúmeros casos de violência contra as mulheres, corroboram a ideia de que elas são vítimas de um legado histórico-cultural. Nesse ínterim, a cultura machista prevaleceu ao longo dos anos a ponto de enraizar-se na sociedade contemporânea, mesmo que de forma implícita, à primeira vista. (Izadora Furtado – “A Persistência da Violência contra a Mulher na Sociedade Brasileira”, Enem 2015)

5 – Base educacional lacunar

A educação é essencial para solucionar vários problemas sociais e sanar preconceitos em nossa sociedade. Por esse motivo, a base educacional lacunar não poderia ficar de fora dessa lista!

Quando uma população possui uma lacuna na educação é bem provável que um problema persista no futuro. Por exemplo, pense na temática sobre doenças mentais que caiu no Enem em 2020, se a escola falasse sobre saúde mental o problema não persistiria.

Veja um exemplo:

Inicialmente, a falta de um conteúdo voltado aos transtornos mentais na formação educacional brasileira possibilita o desenvolvimento de concepções preconceituosas. No conto “O Alienista”, de Machado de Assis, um médico acaba encarcerando a população de uma cidade inteira, já que não existiam métodos precisos para reconhecer as doenças mentais, ou seja, todas as decisões dele estavam permeadas de desconhecimento. Analogamente à obra, o cidadão que não conhece, minimamente, os transtornos da mente tenderá a criar suposições erradas, tomando ações equivocadas. Logo, a ignorância e o preconceito prevalecem. (Alan Nunes, “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”, Enem 2020)

Quer mais dicas sobre argumentos coringas? Confira este vídeo que a professora Chay, do Redação Online, preparou para você:

E aí, você gostou do conteúdo? Esperamos que esses argumentos coringas ajudem você a desenvolver a redação com mais facilidade e se dar bem na prova! Para seguir mais dicas como essa continue nos acompanhando aqui no blog ou no Instagram e Youtube. Até a próxima!

Marina Dias

Bacharela em Letras Língua Portuguesa e Literaturas pela UFSC, revisora de textos e redatora.

Assine um plano do Redação Online
Como fazer uma Redação do zero
Guia da Redação ENEM: tudo o que você precisa saber
Como tirar nota mil na Redação ENEM