Texto 1

Os experimentos com animais, essa forma de tortura justificada em nome do avanço da ciência, estão sendo questionados com mais força nos últimos tempos. Não querem pôr fim a esta atitude só os grupos defensores dos direitos destes seres. Importantes membros da comunidade científica estão fazendo ouvir suas vozes para acabar com este verdadeiro maltrato a criaturas inocentes.

Contrariando a opinião de muitos cientistas a respeito de que a experimentação com animais deve ir sendo eliminada de maneira gradual, o Dr. John Pippin afirma que os experimentos com animais podem ser detidos neste mesmo momento e sem custo algum para o avanço científico.

Especialista em cardiologia nuclear, John Pippin é também diretor de assuntos acadêmicos do Comitê de Médicos por uma Medicina Responsável.

[…] Pippin considera que utilizar animais em testes de laboratórios contradiz a ética e é um erro grave. Assinala que este tipo de pesquisas são cruéis e – em muitas ocasiões – fatais.

O profissional explica que os resultados de ensaios com animais, de forma geral, têm uma aplicabilidade muito baixa nos seres humanos e, além disso, implicam a utilização de importantes somas de dinheiro.

Por tais motivos, não deveriam realizar este tipo de experimento com animais, mesmo se não houvesse alternativas. No entanto, sim, há alternativas. 

Fonte: https://meusanimais.com.br/cientistas-querem-eliminar-experimentos-animais/

redação

Texto 2

“O uso de animais em experimentos não é opcional. Existem situações em que eles simplesmente não podem ser substituídos”, diz Silvana Gorniak, pesquisadora da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP que realiza pesquisas com roedores para estudar o potencial terapêutico e tóxico de diversas substâncias naturais.

Seu estudo atual é sobre a planta Solanum malacoxylon, conhecida popularmente como espichadeira. “Quando consumida naturalmente, ela é tóxica. Estamos estudando se o seu princípio ativo, usado em quantidades menores e controladas, pode funcionar como um substituto da vitamina D”, explica.

Para descobrir se o potencial terapêutico da planta pode se reverter em tratamentos reais, é necessário realizar testes em modelos animais. Caso a substância seja testada diretamente em cobaias humanas, o risco para os voluntários é imenso.

[…] Ao contrário do que tem sido apregoado por ativistas nos últimos dias, o uso de modelos animais — mesmo pequenos roedores — é importantíssimo para o estudo de doenças em seres humanos. “O camundongo é pequeno, fácil de reproduzir, tem um curto ciclo de vida e regeneração rápida, o que o torna uma ótima cobaia. Seu genoma é muito parecido com o humano, o que ajuda a responder muitas perguntas, principalmente da área genética”, afirma a geneticista Mariz Vainzof, coordenadora do Laboratório de Proteínas Musculares e Histopatologia Comparada do Centro de Estudos do Genoma Humano da USP.

Fonte:  https://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/uso-de-animais-em-experimentos-nao-e-opcional-diz-pesquisadora/

Texto 3

Fonte: http://4.bp.blogspot.com/-_dJW28SBRns/UmsNAQedJmI/AAAAAAAAF-w/XkGizgaY-Bo/s1600/migueljc.jpg

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Experimentos com animais: condenáveis ou justificáveis?”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa do seu ponto de vista.

QUERO USAR ESSE TEMA!


Leia também:

Tema de redação: As principais dúvidas do homem pós-moderno

Tema de redação: A dificuldade de lidar com a morte

Tema de redação: Tecnologia une ou separa as diferentes classes sociais?

Tema de redação: Cooperativismo como alternativa social

Comentários do Facebook