Vocês tanto pediram que nós, do Redação Online (que temos o coração mole), iríamos atender. Vamos ver no post de hoje quais são as principais diferenças entre o texto dissertativo e o artigo de opinião?

Antes de mais nada, é muito importante você se lembrar de que cada gênero textual tem características, objetivos, local de publicação e circulação (também conhecido como suporte), público-alvo e finalidades diferenciadas, por isso, quando queremos compreender as características de um texto, precisamos levantar todas essas informações.

Resultado de imagem para vamos la gif

A dissertação é um tipo de texto que pode originar vários outros gêneros, entre eles, a dissertação argumentativa, tão conhecida por nós devido às redações do ENEM, vestibulares e concursos. Dissertar significa falar sobre um determinado assunto, informando o leitor, levantando pontos positivos e negativos, fazendo um apanhado das opiniões dos principais especialistas no tema. O objetivo final da dissertação é que o leitor, após a leitura, consiga realizar uma reflexão a respeito da temática.

Numa dissertação, o autor apenas apresenta os elementos essenciais sobre o tema em questão, sem incluir na redação seu ponto de vista, pois não há qualquer intenção de direcionar o pensamento do leitor. O objetivo central da dissertação é fornecer informações, por isso, é um texto que frequentemente aparece em sites ou revistas especializados e em releases de novos produtos.

Já a famosa dissertação argumentativa, além de informar sobre certo assunto, ainda faz uma discussão sobre ele com base em argumentos bem fundamentados, o que significa dizer que o autor também precisará da contribuição de profissionais renomados no assunto ou de fatos que sustentem sua posição sobre a abordagem.

A estrutura tanto da dissertação quanto da dissertação argumentativa é a mesma: organização em parágrafos (texto em prosa), com introdução, desenvolvimento e conclusão, mas enquanto na dissertação o autor fará apenas um fechamento do assunto na conclusão, na dissertação argumentativa ele precisará incluir uma proposta de intervenção/solução para os problemas levantados ao longo do texto.

Note no exemplo abaixo (redação nota 1.000 da candidata Natália Silva, no ENEM 2018, que teve como tema Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet) como a autora, além de finalizar o assunto nas primeiras linhas do parágrafo final, ainda propõe uma série de medidas a fim de solucionar a problemática proposta.

“Evidencia-se, portanto, que a manipulação advinda do controle de dados na internet é um obstáculo para a consolidação de uma educação libertadora. Por conseguinte, cabe ao Ministério da Educação investir em educação digital nas escolas, por meio da inclusão de disciplinas facultativas, as quais orientarão os alunos sobre as informações pessoais publicadas na internet, a fim de mitigar a influência exercida pelos algoritmos e, consequentemente, fomentar o uso mais consciente das plataformas digitais. Além disso, é necessário que o Ministério da Justiça, em parceria com empresas de tecnologia, crie canais de denúncia de “fake news”, mediante a implementação de indicadores de confiabilidade nas notícias veiculadas – como o projeto “The Trust Project” nos Estados Unidos – com o intuito de minimizar o compartilhamento de informações falsas e o impacto desses na sociedade. Feito isso, a sociedade brasileira poderá se proteger contra a manipulação e a desinformação.”

(Fonte: Brasil Escola. Acesso em novembro de 2019)

Conseguimos perceber também que a dissertação é neutra, impessoal, cabendo somente ao leitor a formulação de opiniões a partir das informações fornecidas pelo texto. Já a dissertação argumentativa, ainda que não contenha expressões de cunho individual (eu penso, considero etc.), deve possuir uma posição clara, deixando evidente para quem lê qual é o ponto de vista do autor do texto, quais são os motivos que o fazem pensar assim e quais soluções seriam possíveis, de acordo sempre com o caminho que o redator optou por seguir.

Para melhor exemplificar, analisem como foi desenvolvida a conclusão de um texto dissertativo sobre Efeito estufa, de Eduardo de Freitas, publicado no site Mundo Educação e consultado em novembro de 2019. Não é possível compreender o que o autor pensa sobre o assunto e nem quais soluções ele propõe para resolver os problemas causados pelo efeito estufa.

“Com o intenso crescimento da emissão de gases e também de poeira, a temperatura do ar tem um aumento de aproximadamente 2ºC em médio prazo. Caso não haja um retrocesso na emissão de gases, esse fenômeno ocasionará uma infinidade de modificações no espaço natural e, automaticamente, na vida do homem.”

O artigo de opinião é um tipo de texto que circula em jornais, sites e revistas e que tem um objetivo bastante definido: apresentar uma opinião sobre um determinado assunto (de relevância social), porém, assim como o texto dissertativo-argumentativo, não é suficiente que o autor apenas inclua seu ponto de vista no texto, mas que traga justificativas cabíveis para pensar da forma como pensa.

E aqui surge a principal dúvida: se os objetivos e as estruturas do artigo de opinião e da dissertação argumentativa parecem ser os mesmos, como vou saber diferenciá-los? Afinal, eles são a mesma coisa? E a resposta é não, eles não são a mesma coisa e nem têm os mesmos objetivos.

Na dissertação argumentativa, o autor apresenta seu ponto de vista e a sustentação dele, sem pretender convencer o leitor, até porque o leitor da dissertação argumentativa é universal, não há um destino certo para a produção textual. A mesma situação não acontece no artigo de opinião, pois, além da apresentação e defesa de ideias, há sim uma intenção de se convencer o leitor sobre o posicionamento adotado na redação e esse leitor é definido, específico, por isso mesmo é que o artigo de opinião acaba circulando em contextos mais fechados.

O artigo de opinião pode variar de tamanho, ocupando 30 linhas ou várias páginas. O que determina sua extensão é a complexidade do assunto a ser tratado: quanto maior a complexidade, mais páginas haverá no artigo. Já a dissertação argumentativa mantém o tamanho clássico em torno de 30 linhas.

Outra diferença expressiva entre os dois tipos textuais é que o artigo de opinião admite referências pessoais, verbos e pronomes em primeira pessoa do singular (eu), o que definitivamente não acontece na dissertação, sendo até mesmo considerado como erro. Aliás, quanto mais alto for seu nível de especialização no tema abordado, mais referências pessoais seu artigo de opinião admitirá.

Muito frequentemente, testes de grande alcance, como ENEM e vestibulares, já trazem na proposta de redação o tipo textual a ser desenvolvido, sendo assim, não há opção de escolha por parte do redator. O que é extremamente necessário é que você saiba diferenciar os vários gêneros de texto e consiga expressar suas ideias de acordo com o modelo exigido. E é justamente para isso que nós estamos aqui, para te ajudar a alcançar os melhores resultados possíveis.

Resultado de imagem para wink gif

QUERO APRENDER REDAÇÃO!

Veja também:

10 erros que você NÃO DEVE cometer na redação do ENEM

Redação Nota 1000 ENEM 2018: Uma Análise Completa

ENEM 2019: Modelo de redação com tema proposto

ENEM 2019: Análise do tema de redação

Como se dar bem em todas as competências do ENEM

Comentários do Facebook