logo redação online

Domine a estrutura dissertativa-argumentativa: passo a passo para uma redação bem organizada

Domine a estrutura dissertativa-argumentativa: passo a passo para uma redação bem organizada

Se estivéssemos no seu lugar, guardaríamos este artigo sobre dominar a estrutura dissertativa-argumentativa entre os favoritos! É simplesmente o básico que qualquer dissertação argumentativa precisa ter.

Enem, vestibulares, concursos… tanto faz: foque no que vamos ensinar e já vai deixar muitos concorrentes para trás!

Cada candidato põe suas ideias pessoais na redação dissertativa. Mas 100% deles devem, obrigatoriamente, dominar a estrutura dissertativa-argumentativa. E essa estrutura você pode entender com o passo a passo para uma redação organizada que vem agora. 

Só precisamos lembrar um detalhe antes que você role a tela: você, candidato, não precisa escrever seguindo uma ordem específica. Não! A ordem para escrever você decide. 

O corretor, sim, vai ler seguindo uma ordem e ele precisa localizar alguns elementos. Eles precisam estar na sua redação. Vamos a eles.

Estrutura dissertativa-argumentativa: Como é a introdução de uma redação

A introdução é o parágrafo inicial da sua redação. Pode haver uma introdução que ocupa 2 parágrafos, mas não aconselhamos isso, já que na prova o espaço é crítico! Guarde mais espaço para o que vem depois da introdução.

Estrutura dissertativa-argumentativa: Como fazer uma tese correta

Primeiro, tenha certeza de que sua tese está na introdução. 

Teses podem vir em outros parágrafos, mas, de novo, nós não aconselhamos que isso aconteça. 
Inclusive, a melhor forma de começar sua redação é exatamente escrevendo a tese – assim você sabe onde quer chegar (e o corretor também).

Como incrementar uma introdução

Quer dar uma aperfeiçoada na introdução, né? 

Pode fazer isso (embora não seja obrigatório), usando uma de nossas ideias

Como nunca nos cansamos de lembrar, jamais enfeite a introdução. Quando um aluno enfeita a introdução, quer dizer, inclui nela fatos e citações inúteis, normalmente ele pensa

“o corretor vai ficar impressionado! vai me dar uns pontinhos….”. 

Entretanto isso é arriscado – pode levar a perda de pontos!

Pense bem em como você poderia atrair o leitor para sua redação se estivesse escrevendo um artigo de revista – essa é uma boa dica. O jornalismo costuma fazer isso bem – e sem enfeitar!

Quantas linhas tem a introdução ideal

Essa é uma pergunta campeã entre nossos alunos. 

A resposta é “não existe número de linhas ideal para introdução”.

O que é importante é não desenvolver uma introdução nela mesma. O desenvolvimento da introdução é o próprio meio da redação – a argumentação. Nossos corretores nos contam que há alunos que escrevem introduções tão recheadas que não sobra nada para o  resto da redação!

Então você já entendeu: introduções extensas (algumas chegam a ⅓ da redação!) não são boa ideia.

Assim que sua tese estiver lá, clara, você já tem uma ótima introdução – procure não ir muito além disso.  

Estrutura dissertativa-argumentativa: Como fazer a argumentação da redação

A argumentação em si é o recheio da sua redação. E não é apenas o recheio: a introdução é onde a maior parte da pontuação recairá. 

Tudo que está entre a introdução e a conclusão é argumentação. 

Embora cada aluno explique suas ideias do seu jeito, livremente, existem sim alguns elementos que são típicos de argumentação – e precisam estar lá.

Como se explicar bem na argumentação

É isso: a argumentação não serve para você mostrar que sabe muito sobre o assunto, e sim para explicar a sua tese. 

Como você explicaria sua forma de pensar numa conversa com o corretor?

Não há forma mais fácil e rápida que essa para fazer uma argumentação de alto nível!
Não existe um jeito certo e um errado de fazer isso, mas notamos entre os alunos que nos enviam redações para corrigir que algumas formas são as mais usadas:

    • Exemplos que comprovam a tese

    • Fatos/notícias divulgados na mídia

    • Afirmações de especialistas

    • Números que comprovam a tese

    • Comparações que ajudem o leitor a entender sua tese

    • Causas para sua tese

    • Consequências da sua tese

Enfim… são só algumas opções – não se prenda a elas. O corretor não dará ponto a mais ou a menos se você usar esta ou aquela opção. O que importa é o efeito! 

Se você seguir essa forma de argumentar baseada numa conversa com o corretor, a coerência de seu texto já estará garantida. Quer dizer, não vai acontecer de você cair em contradição, ou escrever trechos que não têm relação com a tese (ou até com o assunto!). 

Se você vai prestar Enem, deve estar se perguntando “e as propostas de intervenção?”
As propostas de intervenção vão em qualquer lugar da redação, mas como são parte da argumentação, acreditamos que seja mais fácil incluí-las no meio da redação.

Como fazer uma coesão correta

A coesão tem grande chance de já estar em ordem, se você seguir as dicas acima, mas tem outros detalhes que você vai ver agora.

Coesão com conectivos

Muitos alunos pensam que coesão é espalhar certos termos aqui e ali (principalmente no começo das frases). 

Se essa mania de usar sempre os mesmos termos em início de frase já pegou você, tenha uma lista ampla de conectivos. “ademais”  e “porém”, por exemplo, são campeões de uso entre os alunos! Não deveria ser assim…

Em lugar de “ademais” você pode usar

    • além do mais

    • além de tudo

    • além disso

e em lugar de “porém” você pode usa

    • mas

    • contudo

    • todavia

    • entretanto

Você não quer escrever igual a todo mundo, certo? Descole-se da concorrência! Mantenha o hábito de ler o que lhe agrada e vai ver que coleção de conectivos você terá para a redação!

Estrutura dissertativa-argumentativa: Coesão com repetição

Como estávamos dizendo, coesão é muito mais que palavras específicas em começo de frase!

Uma coesão possível é repetir palavras ou termos.

É isso mesmo que você leu: repetir palavras ou termos!

A repetição é uma forma de coesão certeira. E é exatamente por medo de repetir palavras que tantos alunos criam problemas de coesão!

Veja, por exemplo, como este aluno acabou prejudicando a coesão por medo de repetir a palavra:

Atualmente, existem drogas lícitas e ilícitas. As substâncias lícitas são aquelas que podem ser legalmente vendidas na sociedade, como as bebidas alcoólicas e a nicotina. Já os alucinógenos são as proibidas por lei, como cocaína, maconha e crack. Independentemente da classificação, todo entorpecente é prejudicial à saúde.

Parece que o aluno está falando de drogas diferentes, não é? Parece mesmo, porque alucinógeno e entorpecente são tipos diferentes de drogas (há outras!). É preciso que o leitor siga seu raciocínio com perfeição, e desse jeito não funciona. 

Veja como a coesão ficaria perfeita com repetição:

Atualmente, existem drogas lícitas e ilícitas. As lícitas são aquelas que podem ser legalmente vendidas na sociedade, como as bebidas alcoólicas e a nicotina. Já as drogas ilícitas são as proibidas por lei, como cocaína, maconha e crack. Independentemente da classificação, toda droga é prejudicial à saúde.

Você notou que repetimos a palavra central – droga – e ainda pudemos simplesmente eliminar uma das repetições sem precisar pensar em sinônimos! Tudo ficou claro. 

Mais que claro: ficou elegante, sem aquele ar de redação escolar, fórmula…

Como usar a linguagem certa na argumentação

Nossos corretores contam que têm sofrido com certas redações que têm uma linguagem pra lá de estranha… 

Por isso eles pediram que falássemos disso hoje: escreva com a linguagem que você usaria para falar com o corretor. 

É péssimo usar palavras “difíceis” na redação! É péssimo para o corretor, que talvez não entenda você, e ainda terá de perder tempo relendo… e é péssimo para você, porque clareza numa redação é ouro!

Lembre-se de que não existe qualquer  pontuação a mais para “palavras difíceis”, ok?

Como fazer a conclusão da redação

E o que resta agora é a conclusão. E a conclusão é muito fácil de ser feita!

Primeiro, evite chave de ouro – não há  ponto a mais para efeitos especiais na conclusão, e isso só ocuparia seu tempo… 

Você pode apenas imaginar que conclusão alguém teria ao ler seu texto. Só isso. 

Mas temos uma sugestão para incrementar a conclusão: inclua alguma previsão do que possa acontecer futuramente, tendo sua argumentação como base.

Aliás… conclusão precisa ter a argumentação como base! Jamais conclua com base no que você não disse na argumentação.

Conclusão

Pronto! Revelamos o que é mais básico (e obrigatório) na estrutura dissertativa-argumentativa, com esse passo a passo para ter uma redação organizada. 
Ficamos na expectativa de ver se sua redação tem todos esses elementos. Se você puder enviar pra nossa equipe conferir, será formidável – envia pra gente!

POSTS RELACIONADOS

Tudo sobre o fies 2024

A Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, estabeleceu o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) com o propósito de oferecer financiamento a estudantes