Texto 1

É consenso que se alimentar de forma saudável é fundamental para o desenvolvimento integral de todos os indivíduos. Segundo informações do Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, o Brasil alcançou, nas últimas décadas, importantes mudanças no padrão de consumo alimentar devido à ampliação de políticas sociais nas áreas de saúde, educação, trabalho, emprego e assistência social.

Em um país onde a fome e a desnutrição ainda são graves problemas sociais, ao passo que aumentam os casos de obesidade, o tema da educação alimentar e nutricional é central, e a escola é um agente fundamental nesse sentido.

Para a nutricionista Vanessa Manfre, as instituições educacionais são um espaço privilegiado, uma vez que acompanham as diversas fases do desenvolvimento desde a primeira infância, etapa em que começam a se moldar os hábitos alimentares que repercutirão por toda a vida.

“A escola tem o papel de fornecer a refeição baseada nas recomendações nutricionais de cada criança, considerando o tempo em que elas estão naquele espaço. E também promover ações capazes de introduzir novos alimentos e fazer com que os estudantes conheçam, manipulem e mastiguem novos alimentos”, afirma.

Fonte: https://educacaointegral.org.br/reportagens/alimentacao-escolar-e-parte-do-processo-de-aprendizagem/

Texto 2

Alunos da Escola Estadual Professora Rosentina Faria Syllos, do Bairro Conjunto Mauro Marcondes, de Campinas (SP), foram dispensados mais cedo, nesta sexta-feira (24/02/2017), por falta de merenda. A mesma medida será tomada no turno da tarde na unidade que atende 565 crianças dos 6 aos 10 anos.

De acordo com funcionários da unidade, a escola está sem sal desde o dia 2 deste mês, quando as aulas começaram, enquanto o óleo e a margarina passaram a faltar esta semana.

A Prefeitura, que por meio de convênio com o estado fornece os alimentos, admite atraso em mais três escolas do município. Por semana, a escola estadual utiliza sete quilos de sal, 20 litros de óleo de cozinha e sete potes de margarina, além de dez potes de requeijão. O requeijão termina nesta sexta-feira.

“Eu acho que é um descaso com a educação, porque as crianças, muitas delas vêm e comem na escola porque não têm dentro de casa. A gente não mora em um bairro nobre, então muitos pais não têm condições, às vezes eles vêm mais cedo com o filho para ele ter um café da manhã porque não tem em casa”, lamenta a mãe de aluno Giovana Alcântara Martins. É o primeiro ano do filho dela na unidade escolar, onde a mãe estudou e tinha como referência.

A Prefeitura de Campinas informou ao G1 que atende 160 escolas estaduais e 248 municipais. Além desta unidade, outras três estaduais também estão com problemas de falta de alimentos no estoque.

“Os gêneros alimentícios são entregues nas unidades escolares semanalmente por rotas/região, houve um atraso dos fornecedores nas entregas de óleo e sal”, diz a nota. A administração informou, ainda, que os fornecedores realizaram as entregas e que o abastecimento está sendo normalizado nesta sexta.

Fonte: http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2017/02/alunos-sao-dispensados-por-falta-de-merenda-em-escolas-de-campinas.html

Texto 3

Estudantes da Escola Estadual de Ensino Fundamental Tiradentes, localizada no município de Salinópolis, receberam a merenda escolar com o prazo de validade vencido, assim como outras escolas da região. Após a ingestão da merenda, os alunos passaram mal e a Vigilância Sanitária foi acionada, mas nada foi feito.

De acordo com os professores da instituição, o alimento é armazenado em um galpão que pertence à prefeitura da cidade. O responsável pela merenda da escola foi procurado pelos professores, mas ele não soube explicar a causa do estrago, e alegou apenas a questão do armazenamento.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou que a merenda escolar é de responsabilidade da Prefeitura de Salinas, seja da rede estadual ou municipal.

Fonte: http://www.diarioonline.com.br/noticias/para/noticia-447229-alunos-passam-mal-apos-ingerir-merenda-estragada-em-salinopolis.html

Texto 4

Fonte: https://vasosdopurus.files.wordpress.com/2011/08/gurgulho.jpg

A partir da leitura dos conteúdos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Os desafios da alimentação escolar no Brasil”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa do seu ponto de vista.

QUERO USAR ESSE TEMA!


Confira mais temas:

Tema de redação: Crianças em situação de rua no Brasil

Tema de redação: A realidade da mortalidade infantil no Brasil

Tema de redação: Os desafios da Educação Inclusiva no Brasil

Tema de redação: Trabalho Escravo em discussão no Brasil

Comentários do Facebook