Olá estudantes do meu Brasil! Estamos aqui com mais um texto sobre o Enem pra você que tá se preparando pra essa prova!

Já escrevemos anteriormente um texto sobre a receita infalível pra se dar bem na redação ENEM nesse ano. Agora chegou a hora de separarmos um pouco este conteúdo, pra gente poder analisar cada competência de forma individual.

Belezinha, então? Vambora!

Como a gente já cansou de contar pra vocês, a redação do Enem é avaliada de acordo com 5 competências e o aluno deve se sair muito bem em todas elas pra conseguir obter a nota máxima nesta redação.

Mas, seria humanamente possível se dar bem em todas as competências do Enem? Sim senhor, senão não teria tanta gente por aí tirando nota 1000 neste teste, né?

Pra você ser um desses no Enem deste ano, você precisa saber a teoria e conseguir aplicá-la na prática, então, vamos ver como são as tais competências:

Competência 1: avalia a estrutura sintática e a quantidade de desvios. Para ganhar nota máxima nela, a estrutura sintática deve ser excelente e pode haver, no máximo, dois desvios. Esta é a teoria. E na prática? Você só vai conseguir se dar bem nessa competência se praticar MUITO a sua escrita! Não adianta ler e estudar várias regras gramaticais se, na hora do “vamovê”, você se atrapalhar todo. Sim, leitura e aulas são muito importantes, mas você precisa escrever também. Associe, então, aulas de gramática, redação e prática textual.

Competência 2: avalia a compreensão da proposta e domínio da tipologia. “comassim?” você me pergunta. Pra se sair bem nessa competência você precisa saber muito sobre interpretação de texto, e sabe por quê? Porque o Enem vai trazer vários textos motivadores e um tema pra você, e é a partir disso que você precisa escrever seu texto. Então, nesta competência é avaliado se você conseguiu compreender a proposta de forma correta. No Enem passado, por exemplo, o aluno deveria falar sobre “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” e teve gente falando sobre a necessidade de haver rampas de acesso para cadeirantes nas cidades!

Além disso tudo, a competência 2 avalia também o domínio da tipologia que, no caso do Enem, é um texto dissertativo-argumentativo. Para ganhar nota máxima nesta competência, o aluno precisa trazer uma argumentação consistente, a partir de repertório sociocultural produtivo, e apresentar excelente domínio da tipologia.

E aí, você domina bem a redação dissertativo-argumentativa? Não esqueça que nela você precisa desenvolver uma tese e trazer argumentos bem embasados para defendê-la.

Competência 3: o aluno deve selecionar, interpretar e organizar os argumentos. Além disso, deve ser capaz de relacionar os argumentos em defesa de um ponto de vista. Agora ficou fácil, né? Se esta competência avalia a organização do seu texto, basta você planejar ele antes de começar a escrever.

A gente sempre fala, aqui no blog e nas redes sociais, sobre a importância de fazer o “esqueleto” da redação antes de começar a escrever. Bom, agora você sabe que esta organização é cobrada na competência 3. Então, faça o esqueleto, delimite qual será a sua tese e quais serão os argumentos a serem desenvolvidos em cada parágrafo, e retome a tese na conclusão. Com isso você vai conseguir apresentar um texto bem organizado, com desenvolvimento consistente e raras falhas, além de apresentar traços de autoria.

Competência 4: esta competência avalia se existem ou não recursos coesivos e se eles são usados com propriedade, de maneira adequada e diversificada. Outro ponto que você só vai conseguir desenvolver bem a partir da prática. Já falamos aqui sobre recursos coesivos, basta você conseguir inserir isso na sua redação.

Competência 5: trata da tão temida proposta de intervenção. Para atingir nota máxima nela o aluno precisa apresentar uma proposta muito bem elaborada, detalhada e articulada à discussão. Vale destacar que, no Enem 2017 esta competência teve uma variação, então, não sabemos se ela vai continuar sendo cobrada da mesma forma neste ano, até porque agora a banca também será outra. Mas, seguindo os padrões do Enem do ano passado, para se dar bem nesta competência o aluno precisa apresentar os seguintes elementos:

Ação – o que deve ser feito?

Agente – quem irá fazer?

Como? – modo, meio através do qual a ação será realizada; por meio de quê? Como é executada?

Efeito/finalidade – para quê? Com qual objetivo?

Além disso, o aluno precisa trazer detalhamento, seja na ação ou na forma de implementação dela. Assim, para ganhar nota máxima, a proposta deve apresentar 4 elementos válidos e detalhamento.

 

Depois de todas estas dicas, tá na hora de colocar elas em prática, né? Em nosso site você vai encontrar planos que vão te ajudar a desenvolver estas competências com um acompanhamento de um profissional qualificado. Tá esperando o quê, querido?

QUERO APRENDER REDAÇÃO!


Leia também:

Conjunto de temas já cobrados no ENEM

Como estar pronto para qualquer tema que caia no Enem

Como não zerar a redação do Enem

Comentários do Facebook