ENTRAR NA PLATAFORMA
HIV na terceira idade

“A má indole, associada à falta de educação, leva ao preconceito e até a marginalidade”. Por meio da análise do Geógrafo Milton Santos, pode-se relacionar como esse problema incide diretamente nas pessoas com HIV, particularmente os idosos, fator esse que é um entrave aderido na vida dessas pessoas, mediante a falta de irreflexão e aspectos culturais de intolerância. Por isso, esses doentes enfrentam outro problema de igual dificuldade de cura: o preconceito.  


Sob uma primeira análise, é evidente a pouca discussão social e educativa sobre a problemática do HIV na terceira idade. Ocorre que, apesar do crescimento dessa doença nos idosos em cerca de 5%, segundo o Ministério da Saúde, ainda são efémeras as ações concretas de minimização desse entrave. Isso porque a imagem estereotipada de passividade do idoso incapacita a reflexão do problema na medida que ele é pouco debatido, principalmente nas escolas, e, consequentemente, à mercê do seu agravamento. Nesse contexto, é preocupante como os idosos soropositivos são vitimados pelo preconceito velado.


De outra parte, a permanência de comportamentos tradicionais corroboram a difícil contenção do problema. Isso porque, a herança desses valores incorporam o preconceito e a propensa dificuldade em aceitar o que é pouco comum socialmente - apesar dessa realidade ser legitimada pela própria discriminação. A esse respeito, a coordenadora Sílvia Almeida objetiva a ida contrária a esses comportamentos, por intermédio do seu projeto “Toque de Mulher” e a perspectiva de que a sexualidade é parte da vida de todos, inclusive dos idosos, segundo afirmou ao jornal da Record. Desse modo, é evidente que nenhuma enfermidade é inerente aos constituintes de uma sociedade de valores tradicionais, por isso a necessária atenuação dessa visão retrógrada.


Urge, portanto, que o idoso deixe de ser desafiado por esses entraves que a sociedade impôs. A esse respeito, o Ministério da Saúde, junto ao da Educação, deve estabelecer a reflexão dessa indiferença ao propor a campanha nacional de conscientização da pessoa idosa soropositiva às escolas, principalmente de alunos de ensino médio, como consolidadores das transformações sociais em potencial. Essa iniciativa teria a finalidade de iniciar os debates quanto ao problema, da mesma forma que fomentar a aceitação por meio do conhecimento, para que a sociedade se mostre contrária a índole proposta por Milton Santos.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde