O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Criptomoedas e impactos na economia

A falência do banco americano "Lehman Brothers", em setembro de 2008, propiciou uma grande crise na economia global, afetando toda a sociedade. Isto fomentou a busca da descentralização monetária, tendo seu grande marco com a criação das criptomoedas por Satoshi Nakamoto. Embora a ideia de Nakamoto de usar moedas digitais seja relevante, sua atual instabilidade e falta de base governamental criam uma "bolha" que pode estourar a qualquer momento.


Primordialmente, vale salientar que, as criptomoedas ainda são suscetíveis a constantes alterações, o que dificulta sua fixação no mercado. Em 2019, a mais valorizada criptomoeda, o "Bitcoin", teve suas ações removidas da bolsa de investimentos de Chicago, a "Chicago Boards Options and Exchange", após seu valor unitário cair 14 mil dólares em relação ao seu ano de entrada, 2017. Assim, fica nítida sua instabilidade, o que afeta o pensamento de quem busca investir na área.


Ademais, a utilização de criptomoedas tem como princípio o distanciamento do controle governamental, isto corrobora com a demora em sua afirmação. De acordo com Terry Duffy, CEO da bolsa de Chicago, as criptomoedas são inexploradas pelos bancos tradicionais pela falta de reconhecimento federal, dificultando sua expansão. Logo, continuar distante pode atrapalhar o seu desenvolvimento.


Portanto, é impreterível que os países se mobilizem para melhoraar o quadro atual. Para diminuir a instabilidade das criptomoedas e existir avanço na economia por meio das mesmas, urge o Fundo Monetário Internacional(FMI), juntamente aos representantes das maiores economias mundiais, fomentarem, atráves de projetos de lei, a melhor regulamentação das moedas digitais. Só assim, evitando que a bolha estoure.


 


 


 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!