O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

A reinserção de ex-presidiários na sociedade brasileira

Embora, a Constituição Federal de 1988 assegure a cidadania como direito a todas as pessoas, percebe-se que, na atual realidade brasileira, não há o cumprimento dessa garantia, principalmente no que diz respeito à reinserção de ex-presidiários na sociedade. Essa realidade acontece, essencialmente, pela falta de investimento estatal e preconceito social, sendo necessárias intervenções, de modo a assegurar uma vida digna a todas essas pessoas.


É relevante abordar, primeiramente, que grande parte da problemática que os ex-presidiários enfrentam para se reintroduzirem na sociedade é por consequência da negligência do Estado para com essa questão. Isso se deve ao fato de que o retorno qualitativo social e financeiro para o país é somente em longo prazo, deixando a atenção para esse setor muito escassa, como o baixo investimento em educação nos presídios, para essas pessoas saírem qualificadas para as exigências do mercado de trabalho e instruídas para um bom convívio com a sociedade. Dentro dessa lógica, concretiza-se o termo de Pierre Bourdieu, filósofo francês, que define violência simbólica enquanto as opressões moral e psicológica sofridas por um indivíduo ou grupo social. Tal visão dialoga diretamente com a questão acerca do conceito da reintrodução de ex-detentos na sociedade brasileira, visto que esses indivíduos sofrem danos morais e direitos constitucionais ao terem dificuldades ao inserissem socialmente por conta de negligencias estatais. Desse modo, diante da opressão contra essa minoria social, percebem-se no Brasil entraves estruturais que precisam ser repensados.


Paralelo a isso, vale também ressaltar que a maioria das pessoas tem preconceito com os ex-detentos e dificuldade em aceitar esses na sociedade. Tal problemática é decorrente do pensamento antiquado de que todos os indivíduos que já foram ou estão presos sempre serão uma ameaça à população, muitas vezes não os contratam, mesmo com um ótimo currículo, levando essa minoria social a irem para as ruas roubarem por não terem outras opções de sobrevivência. Nesse contexto, faz-se análogo ao pensamento do sociólogo Émile Durkheim, do século dezenove, que segundo o qual a comunidade funciona como um organismo vivo, ou seja, todos os seus componentes deveriam viver em harmonia para que fosse possível conquistar o bem-estar geral. Sob essa óptica do pensador francês, no entanto, a nação brasileira não exerce essa função de integralidade e coletividade, uma vez que não ajudam alguns cidadãos, como ex-presidiários, por preconceito, a reintegrar-se socialmente, levando a desarmonização comunitária, em exemplo o aumento de roubo e violência.


Portanto, pode-se perceber que o debate acerca da reinserção de ex-presidiários na sociedade, é imprescindível para a obtenção de brasileiros tendo seus direitos respeitados e cumpridos. Nesse princípio, é imperativo que o Estado invista financeiramente em educação e propagandas, como contratar professores para os presídios e panfletos sobre a importância dessa reintrodução para a sociedade, através de parceria com empresas privadas, a fim de garantir os direitos dessa minoria social e diminuir os impactos negativos que a não reinserção trás para as pessoas.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!