logo redação online

Tema de redação – A banalização do vírus HIV nos dias atuais

Tema - A banalização do vírus HIV

Analise o texto abaixo e crie uma dissertação argumentativa sobre Tema – A banalização do vírus HIV.

Texto 01

“[…] Mas a queda da taxa de mortalidade pode causar uma errônea banalização da Aids. Apenas no primeiro semestre de 2014, 65 novos casos foram registrados em Franca e região pelo Programa Municipal DST/Aids. Segundo dados do Programa, 60% dos diagnósticos são de pessoas heterossexuais, 50% tem dos diagnosticados têm idade entre 21 a 35 anos, e o número de homens portadores do HIV é o dobro do total de casos registrados entre as mulheres.”

Fonte: http://gcn.net.br/noticia/273746/franca/2014/12/o-que-vem-ocorrendo-euma-banalizacao-da-aids 

Exemplo

A BANALIZAÇÃO DO VÍRUS HIV NOS DIAS ATUAIS

O livro “Só as mães são felizes”, escrito por Lúcia Araújo, mãe de Cazuza, conta a história do cantor e como sua vida chegou ao fim devido à contração do vírus HIV, também chamado . Hodiernamente, casos como o de Cazuza se repetem devido à imprudência da sociedade atralada à falta de orientação estatal. Nesse viés, é válido discutir sobre meios de combater a banalização da Síndrome da Imonodeficiência Adquirida (Aids).
Primeiramente, ressalta-se que dados da Organização das Nações Unidas (ONU) apontam que, em 2020, foram registrados, aproximadamente, 33.000 novos casos de pessoas com HIV no Brasil. Tal número alarmante é consequência do descaso da população para com esse vírus. É fato que o surto de Aids ocorreu na segunda metade do século XX e foi controlado, porém, o vírus ainda existe, logo, a falta de cuidados sexuais, como uso de camisinha, a fim de não contagiar-se e disseminar o vírus faz-se injustificável considerando a situação de saúde pública atual.
Em segundo plano, é importante destacar que, não apenas a população negligencia os cuidados com a doença em questão, mas o Estado também. Inegavelmente, discutir sobre Aids é algo essencial objetivando prevenir a população da doença. Porém, devido ao tabu associado à esse vírus, kits de autotestagem não recebem seu destaque e distribuição precisos, tal como o povo não recebe mais instruções para de afastar desse mal.
Portanto, metodologias ativas devem ser colocadas em prática com o propósito de atenuar o problema debatido. Desse modo, cabe ao Estado, na face do Ministério da Saúde, promover, por meio do devido direcionamento de verbas, campanhas de conscientização nas escolas de ensino médio e ensino superior com especialistas, além do maior incentivo dos postos de saúde à aderência de camisinhas. Embora a proposta não mitigue a problemática, apresenta um caminho viável rumo a uma sociedade consciente sexualmente, evitando casos como o de Cazuza.