logo redação online

guia do estudante

pessoa fazendo prova
Enem
Otavio Pinheiro

Enem: por que é melhor fazer a redação no começo da prova

A estratégia de prova é um dos passos mais importantes para que o candidato conheça seus pontos fracos e fortes e qual a melhor forma de adequar ao modelo de determinado vestibular. É neste momento que são definidos pontos como: é melhor resolver as questões mais fáceis antes? Por qual disciplina começar? E a redação do Enem, é melhor deixar para o começo ou final da prova? É esta última pergunta que respondemos neste texto!  Segundo especialistas, o ideal é dividir as etapas durante o tempo de prova: começar com a leitura da coletânea, esboçar algumas ideias e partir para as questões. Dessa forma, é possível deixar o estresse inicial diminuir, lembrar de referências do seu repertório e até se inspirar com textos dos enunciados. Depois de algumas questões resolvidas, tente começar o rascunho e passe a limpo apenas no final. “Esse distanciamento permite enxergar problemas de linguagem na hora de passar o texto para a folha oficial, além de alterações para melhorar o conteúdo, a clareza e o estilo”, explica Wellington Borges Costa, coordenador de redação do Curso Etapa. Tudo no final da prova e a redação no começo da prova Deixar a redação para o final pode parecer uma

Leia mais »
Como usar a série 13 REASONS WHY em suas redações?
Enem
Otavio Pinheiro

Cinco dúvidas sobre a redação do Enem respondidas pelo Inep

A redação precisa ter título? O que é considerado fuga do tema? Existe muitas dúvidas sobre a redação do Enem! A Cartilha do Participante – A Redação do Enem 2022 é uma das ferramentas mais importantes para os estudantes inscritos no exame. É nela que o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) reúne as principais orientações para a prova e dá, afinal, o caminho das pedras para a nota mil.  Para completar, a cartilha reúne ainda exemplos de redações que alcançaram a nota máxima na última edição do exame, comentadas pelo Inep.  Veja abaixo algumas das principais informações trazidas pelo manual. Redação do Enem precisa de título? É verdade que o Enem não exige um título para a redação. Isso não significa, no entanto, que o aluno não possa colocar um. A regra é clara, segundo o edital do exame: o título é opcional. Mas atenção: embora você não vá ganhar pontos por colocar um título, você pode perder caso escolha um inadequado. Segundo o Inep, se o seu título apresentar desenhos, sinais gráficos sem função evidente, impropérios e outros elementos passíveis de eliminação, sua redação pode levar nota zero.  O que é considerado desvio da

Leia mais »
adolescente estudando laptop
Dicas de Estudo
Otavio Pinheiro

Estudantes opinam: é melhor cursinho online ou presencial?

É importante levar alguns fatores em consideração, como investimento financeiro e infraestrutura! Confira: Os vestibulandos dos últimos anos não tiveram muita opção: inevitavelmente, precisaram se adequar às aulas online para se preparar para as provas. Mas conforme a pandemia deu uma trégua e as atividades presenciais retornaram, surgiu uma nova dúvida. Então, será que voltar aos cursos preparatórios presenciais é mesmo a melhor alternativa? Conversamos com estudantes que escolheram entre os dois modelos, presencial e online, e listamos as principais vantagens e desvantagens de cada um deles.  Mas antes dois avisos: o primeiro é que essa não é uma verdade universal, e cada estudante pode se adaptar melhor a um formato. E a segunda é que não existe melhor ou pior nessa, já que tanto o cursinho online quanto o presencial oferecem suporte para aprovação do estudante.  Sérgio Paganim, diretor do curso Anglo, reforça que não há diferença entre as duas formas quando se trata de objetivos: ambas têm como finalidade a aprovação do candidato. E os resultados dos vestibulares do último ano mostram isso. “O primeiro lugar em Medicina na USP Pinheiros, em ampla concorrência, foi nosso aluno do cursinho online. E o primeiro colocado em Medicina na USP,

Leia mais »
como estudar para a redação do enem 2021
Enem
Otavio Pinheiro

Conheça três curiosidades sobre o Enem

 Já houve um tempo em que o exame tinha “apenas” 63 questões. Você sabia dessas curiosidades do Enem? Porta de entrada para a maior parte das universidades públicas do Brasil, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é uma oportunidade sem igual para os estudantes. E eles sabem disso. Assim, neste ano, mais de 3,4 milhões de pessoas se inscreveram para o exame, que ocorre nos dias 13 e 20 de novembro.  Embora muitos tenham na ponta da língua informações como o formato da prova, o número de questões e os temas de redação dos últimos anos, a história de como o Enem nasceu e se transformou nem sempre é recordada.  Então, desde a sua primeira edição, em 1998, o exame mudou bastante. O formato atual da prova é bem diferente da primeira prova. Não apenas isso, mas boa parte dos próprios programas que hoje utilizam a nota no exame sequer existiam na época. Ficou curioso? Na lista abaixo, o professor Daniel Ferretto separou 3 curiosidades sobre a prova do Enem. Confira!   Número de questões da prova quase triplicou No início, o exame tinha “somente” 63 questões e a redação, e também era aplicado em um único dia, com

Leia mais »
estudante com medo
Vestibulares
Otavio Pinheiro

Os maiores medos dos vestibulandos e como superar cada um deles

Não se engane: não é só você que tem medo de encarar o dia da prova! Por isso trouxemos os medos dos vestibulandos! Tem alguns medos que só quem é ou já foi vestibulando já vivenciou. O temor de não obter a aprovação e precisar passar por mais um ano de estudos. A pressão dos pais para escolher uma carreira que não te agrada. Ou até mesmo a própria indecisão sobre qual caminho profissional seguir. Deixa a gente te contar uma coisa: todos estes medos são absolutamente normais!  Isso não quer dizer, no entanto, que os estudantes são obrigados a sofrer e conviver com todos eles. É possível encontrar maneiras de driblar cada um destes fantasmas, e quem afirma é a coordenadora de Orientação Educacional do Poliedro Curso. Conversamos com Maria Pereira para listar os maiores medos dos vestibulandos como superá-los.  O medo de não passar no vestibular  Segundo a especialista, é normal o estudante ter medo de obter a aprovação enquanto se prepara para os vestibulares, isso se torna um dos maiores medos dos vestibulandos. Principalmente, quando a concorrência é grande e o desempenho exigido é alto. Para lidar com esse receio, Pereira orienta que o candidato se informe

Leia mais »
repertórios tema redação enem 2021
Enem
Otavio Pinheiro

Quando começar a revisão para o Enem?

Menos de dois meses para o Enem e a pergunta inevitável começa a martelar a cabeça dos estudantes: será que já é hora de começar a revisão para a prova? Não se preocupe, há resposta para a questão – ainda que varie um pouco de acordo com alguns elementos. Conversamos com os coordenadores Madson Molina, do Curso Anglo, e Carlos Massaiti Okubo, do Curso Poliedro de São Paulo.  De acordo com os especialistas, os estudantes devem separar de 4 a 5 semanas antes do vestibular para realizar a revisão. Mas não basta apenas reservar esse tempo: tem que saber aproveitá-lo bem! Por isso, listamos abaixo dicas para ajudar na sua organização para a revisão. Confira! 1- Foque nos seus objetivos   Primeiramente, o estudante precisa olhar com atenção para as provas que ele irá prestar, pensando desde as datas – para definir o cronograma da revisão – até as características do vestibular. Isso vai ajudar a direcionar seus esforços de acordo com o que costuma mais aparecer em determinado vestibular e também ficar habituado com a forma que são cobrados os conteúdos naquela prova.   2- Fique atento a sua saúde mental   Manter o emocional equilibrado nessa reta final

Leia mais »
Como manter a calma na hora de estudar
Dicas de Estudo
Otavio Pinheiro

Anotar ou só escutar? Entenda o que é estudo ativo e passivo

Você provavelmente já reveza entre estes métodos sem perceber, mas dominá-los pode potencializar o rendimento  Para alguns professores mais tradicionais não tem conversa: a melhor forma de absorver o conteúdo da aula é anotar tudo no caderno. Tirar foto da lousa, então, é praticamente um crime contra o aprendizado!  A verdade é que estes professores não estão de todo equivocados. Anotar o que está sendo dito, muitas vezes, ajuda o cérebro a fixar o conteúdo. Não é só bronca de professor: o nome disso é estudo ativo.  Apesar do estudo ativo ser comprovadamente eficaz, a metodologia que fica na outra ponta não deve ser ignorada. O estudo passivo – aquele que envolve momentos de escuta ou apenas de leitura – também tem sua aplicabilidade e é válido.  Conversamos com uma especialista em métodos de estudo e, neste texto, explicamos a fundo os benefícios do estudo ativo e do estudo passivo. Entenda ainda em quais casos cada um deles é mais recomendado.   O que é estudo passivo?   Como diria Luva de Pedreiro, a sensação do TikTok: “receba!”. O estudo passivo nada mais é do que receber uma informação. É o momento do aprendizado em que o estudante simplesmente escuta

Leia mais »
Temas e Repertórios
Otavio Pinheiro

Tema de Redação: Saúde mental no século XXI

Texto 1: O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, falou, durante evento na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (10/09), sobre a necessidade de qualificar o atendimento às pessoas com transtornos de saúde mental. Durante o Simpósio Nacional de Prevenção do Suicídio e Automutilação, promovido pela Frente Parlamentar de Prevenção do Suicídio e Automutilação e pela Comissão de Seguridade Social e Família, Mandetta explicou que está sendo discutindo um espaço de saúde mental especializado para o público adolescente. “A infância e a adolescência passou por um impacto que foi o surgimento da internet. Há um mundo virtual e um real. Hoje estamos lindando com um bullying global e isso gera uma pressão no nosso jovem brasileiro’”, citou o ministro da Saúde. “A criança brasileira é uma das que mais passa tempo em frente às telas e isso é fator de estresse mental”, completou. Neste sentido, o Ministério está debatendo a criação de Centro de Atenção Psicossocial (CAPs) com foco no adolescente, que promoverá inclusive a busca ativa dos jovens nas escolas e nas comunidades, como forma de acolhimento deste público. “Os transtornos de saúde mental serão o principal agravo que levarão as pessoas às unidades de saúde durante todo o século

Leia mais »
Tema de Redação: Excesso de trabalho e saúde mental
Temas e Repertórios
Otavio Pinheiro

Tema de Redação: Excesso de trabalho e saúde mental

TEXTO 1: Cada vez mais as pessoas estão pedindo afastamento do trabalho por causa de problemas emocionais. No Estado de São Paulo, segundo dados da Secretaria de Previdência, em 2017 foram 48 pedidos de auxílio doença por este motivo. Já no ano passado esse número subiu pra 73. Um das doenças que causam esses afastamentos é a síndrome de burnout. Também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, a patologia foi reconhecida pela Organização Mundial da Saúde em maio como uma doença resultante de estresse crônico no trabalho. Uma psicóloga de Mogi das Cruzes que preferiu não se identificar trata a síndrome de burnout há dois anos. “Muita dor de cabeça, muitos enjoos, uma falta de ar que não me largava, vontade de chorar o tempo inteiro. Uma exigência do trabalho muito grande. Eu deixei de conviver com as pessoas que eu convivia. Eu me afastei do ambiente social e só pensava em trabalhar”, relata. Foram seis meses até chegar ao diagnóstico. “Não foi de primeira. Quem trabalha com a saúde mental diariamente, a gente sente, né? A gente percebe os sintomas nas pessoas e muitas vezes é difícil para gente poder detectar na gente. Mas com o auxílio da minha

Leia mais »
Tema de Redação: Aumento da emigração de brasileiros
Temas e Repertórios
Otavio Pinheiro

Tema de Redação: Aumento da emigração de brasileiros

Leia os textos motivadores abaixo e crie um texto dissertativo-argumentativo sobre Tema de Redação: Aumento da emigração de brasileiros. TEXTO 1: Os brasileiros estão indo “de mala e cuia” para o exterior. Dispara o número de declarações de saída definitiva do país entregues à Receita Federal, indicando o aumento da expatriação. Nos primeiros sete meses do ano, documentos registrados na instituição somavam 94% do total de declarações registradas em todo o ano passado, que já havia sido recorde, com 23.149 comunicados. Neste ano, a expectativa é de que essa quantidade seja superada, pois até 28 de julho haviam sido apresentados 21.873 documentos. A onda migratória de brasileiros vem tomando corpo desde 2016, quando a crise política e econômica se agravou e houve o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) – Falamos sobre esse momento aqui. Enquanto em 2015, 14.920 deixaram o país em definitivo, no ano seguinte, esse contingente subiu 41%, chegando a 21.040. O levantamento mostra também que, de 2011 a 2018, houve um aumento de 183% nas declarações, que passaram 8.170, em 2011, para 23.149. O Departamento de Estado do governo norte-americano aponta aumento de 27% na concessão de vistos para emigrantes brasileiros, passando de 3.502, em 2017,

Leia mais »