Competência 4 da redação Enem: Tudo que você precisa saber

por | nov 5, 2020

Conheça os critérios de avaliação da competência 4 da redação Enem e prepare-se para atingir o nível 5 nela. Saiba o que os avaliadores esperam encontrar no texto na hora de atribuir a sua nota.

Continuando nossa sequência de postagens sobre as competências avaliadas na redação Enem, hoje vamos conversar um pouco sobre a competência 4. Certamente você já ouviu falar em elementos coesivos, mas sabe como utilizá-los adequadamente? Caso ainda sinta dificuldades de entender sobre isso, calma! Vamos explicar! Então, prepare-se para agregar mais conhecimento sobre a prova e assim poder atingir o nível 5 nesse critério, melhorando muito a construção da sua argumentação! Vamos lá!

Antes de mais nada, vamos ver o que diz a matriz de referência sobre a avaliação da competência 4 da redação Enem, de acordo com o Inep. Segundo ela, o participante precisa:

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Isso significa dizer que a avaliação dessa competência aborda a coesão textual. Então, será analisado como o participante faz uso dos recursos coesivos para articular os enunciados de seu texto. Mas quais são recursos e como saber usá-los?

A coesão apresenta-se na superfície textual e é responsável por unir ideias. Dessa forma, permite que visualizemos um texto articulado, claro, coeso. No entanto, não basta apenas a presença, na redação, de palavras que funcionam como elementos coesivos. Para que o texto dissertativo-argumentativo seja bem avaliado nessa competência, é preciso haver uso adequado e diversificado desses elementos linguísticos. Em especial, é necessário saber da importância dos operadores argumentativos.

ATENÇÃO! Saber variar os elementos coesivos e estabelecer corretamente os elos semânticos na construção dos textos não significa escrever “difícil”. Ao contrário do que muitos pensam, o autor que “exagera” nesses usos desorienta seu leitor. No caso do texto dissertativo-argumentativo, a objetividade é o mais importante. Lembre-se de que é isso que se pede na prova, e não uma peça judicial cheia de termos complicados e em desuso.

No gênero textual dissertativo-argumentativo, são dois os principais tipos de coesão encontrados:

  • referencial: retomando elementos já mencionados ou introduzindo aqueles ainda a serem mencionados (por meio de pronomes, por exemplo);
  • sequencial: procedimentos linguísticos por meio dos quais são estabelecidos diversos tipos de interdependência semântica e/ou pragmática entre enunciados. Garantem, assim, a progressão do texto.

Certamente, esses elementos precisam ser muitos e diversificados, mas, como o próprio Inep menciona (grifos nossos),

(…) não basta que estejam abundantemente distribuídos em quase todas as linhas, denunciando uma tentativa forçada de usar o máximo possível de coesivos. Longe disso: trata-se de avaliar em que medida os operadores estão, de fato, contribuindo para a articulação dos argumentos ao longo de todo o texto.

Portanto, assim como visto na competência 2 em relação aos uso pertinente de repertório, na competência 4 temos a mesma lógica. Ou seja, não adianta apenas ter várias referências ou, no caso da 4, saber vários elementos coesivos se eles não são eficazes na construção do texto. Afinal, é por meio da coesão que são estabelecidos os sentidos (e o uso equivocado pode provocar, até mesmo, uma contradição).

Operadores argumentativos

Esses elementos do repertório linguísticos encadeiam os enunciados. Assim, determinam a orientação argumentativa, dando estrutura ao texto. Em um texto dissertativo-argumentativo, eles são, portanto, componentes essenciais, e justamente por isso as notas mais altas exigem que eles estejam presentes.

Para que uma redação seja considerado de nível 5, é necessário que ela tenha:

  • presença expressiva de elementos coesivo inter e intraparágrafos e raras ou ausentes repetições. Além disso, não devem haver inadequações. Coesivos do tipo operador argumentativo devem constar em pelo menos dois momentos do texto entre parágrafos. Também deve ser identificado ao menos um elemento coesivo de qualquer tipo dentro de todos os parágrafos.

Confira alguns operadores argumentativos que você pode utilizar em seus textos (INEP, 2019):

  • Operadores que somam argumentos a favor da mesma conclusão: também, ainda, nem, não só… mas também, tanto… como, além de, além disso (…)
  • Operadores que indicam o argumento mais forte em uma escala a favor da mesma conclusão: inclusive, até mesmo, nem, nem mesmo (…)
  • Operadores que deixam subentendida a existência de uma escala com outros argumentos mais fortes: ao menos, pelo menos, no mínimo (…)
  • Operadores que contrapõem argumentos orientados para conclusões contrárias: mas, porém, contudo, todavia, no entanto, entretanto, embora, ainda que, posto que, apesar de (…)
  • Operadores que introduzem uma conclusão com relação a argumentos apresentados em enunciados anteriores: logo, portanto, pois, por isso, por conseguinte, em decorrência, resumindo, concluindo (…)
  • Operadores que introduzem uma justificativa ou explicação relativa ao enunciado anterior: porque, porquanto, pois, visto que, já que, para que, para, a fim de (…)
  • Operadores que estabelecem relações de comparação entre elementos, visando a uma determinada conclusão: mais… (do) que, menos… (do) que, tão… quanto (…)
  • Operadores que introduzem argumentos alternativos que levam a conclusões diferentes ou opostas: ou… ou, quer… quer, seja… seja, (…)
  • Operadores que introduzem no enunciado conteúdos pressupostos: já, ainda, agora (…)
  • Operadores que funcionam numa escala orientada para a afirmação da totalidade ou para a
    negação da totalidade: Afirmação: um pouco, quase (…) Negação: pouco, apenas (…)

Dica para se dar bem na competência 4 da redação Enem:

Após escrever o rascunho, releia seu texto atentamente. Além dos ajustes sintáticos e gramaticais, verifique se entre todos os parágrafos existe um elemento coesivo. Normalmente, esse operador argumentativo aparece no início, mas ele também pode aparecer no meio ou final do primeiro período. Caso não exista esse elemento, insira-0, de acordo com seus argumentos e a intencionalidade do texto.  Em seguida, veja se no interior dos parágrafos você também fez uso de elementos coesivos e complete as orações caso não tenha usado. Lembre-se de que é preciso variá-los. Portanto, se houver repetições, troque alguns deles por elementos de mesma intenção (sinônimos, semelhantes).

Pois é, quando dizemos que para ir bem na redação é preciso TREINO, não estamos brincando! Conhecer a competência 4 e os critérios avaliativos é um passo para conseguir desenvolver um bons textos, mas, sem treinar, você não conseguirá habilitar essa percepção sobre sua própria escrita, avaliá-la e adequá-la. Precisa de ajuda para descobrir se está usando os operadores e coesivos adequadamente? Conheça a nossa plataforma! Mande sua redação e nós lhe daremos um feedback sobre esses e mais aspectos fundamentais para arrasar na prova!

[maxbutton id=”5″]

 

 

<a href="https://redacaonline.com.br/blog/author/claudiabechler/" target="_self">Cláudia Bechler</a>

Cláudia Bechler

Bacharela e Licenciada em Letras Português e Literaturas de Língua Portuguesa pela UFSC. Mestra em Linguística pelo Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC.
Assine um plano do Redação Online
Como fazer uma Redação do zero
Guia da Redação ENEM: tudo o que você precisa saber
Como tirar nota mil na Redação ENEM