O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Xenofobia no Brasil

O Brasil é formado por imigrantes: portugueses, italianos, libaneses, japoneses e outras nacionalidades formaram a identidade nacional e contribuiram para a diversidade étnica tupiniquim. Apesar disso, é notório, nos dias de hoje, o aumento da xenofobia, tendo em vista o crescente número dos casos de agressões envolvendo a aversão aos estrangeiros. Destarte, é necessário discutir a problemática, evidenciando suas principais causas.

Em primeiro plano, é importante destacar o papel do racismo implicito nesse contexto. Em 2011, o Haiti, país majoritariamente negro, sofreu um terrível terremoto que levou uma massa populacional muito significativa a emigrar para diversos países, inclusive o Brasil. Ao chegarem aqui, a reação de muitos indivíduos foi distante da perspectiva de uma imigração positiva, normalmente atrelada a imigração européia, mas foi, na prática, repleta de desconfiança e preconceito. Isso se evidenciou, por exemplo, em 2015, quando um cidadão abordou um haitiano trabalhando em um posto de gasolina e acusou-o de estar roubando o emprego dos brasileiros, bravata clássica dos xenófobos.

Por outro lado, o descaso com o qual o poder público trata a nova leva de imigrantes também contribui para intolerância. O desemprego é elevado por todo o país, fruto da crise econômica, mas é mais sentida pelo estrangeiros, pois, por não dominarem o português e pelo pensamento ultranacionalista, acabam no desemprego ou fadados ao ''biscate'' e ao subemprego, causando uma segregação social fomentadora do ódio.

Torna-se evidente, portanto, a necessidade da ação estatal e social no sentido de reverter o impasse. Sendo assim, cabe ao Congresso Nacional criar um incentivo fiscal para as empresas que preencham uma cota de imigrantes, a fim de gerar inclusão social. As escolas, por sua vez, devem impor em suas grades curriculares palestras, seminários e debates acerca da importância do respeito ao próximo e da tolerância, com compatriotas ou não, fitando incentivar o pensamento abarcador e crítico nos mais jovens, e, com isso, reduzir a xenofobia.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!