O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Violência nos estádios

De acordo com o literato Aldous Huxley, "os fatos não deixam de existir só porque são ignorados". Nesse viés, a frase do autor remete à necessidade de debates acerca da violência no estádios de futebol, visto que, em função ora de uma herança colonial presente no hodierno, ora da banalização do mal, esse problema tende a se acentuar. Por isso, medidas cujo fito seja amenizar, quiçá sanar tais dilemas fazem-se imprescidíveis.



          A princípio, é valido ressaltar que a violência gerada dentro dos estádios deriva das relações pautadas pelo conceito de herança colonial, denunciado pelo sociólogo brasileiro Jessé de Souza. Tal afirmação fundamenta-se ao se observar que a competição entre torcidas organizadas reflete a ideia patriarcal e machista implantada no período do Brasil colonial. Não obstante, essa cultura, ao incentivar a disputa exacerbada, estimula ainda a demonstração de superioridade e a não aceitação da derrota pelo time adversário.Como resultado, muitos torcedores se utilizam da violência física e verbal para a propagação do ódio.



          Outro ponto importante a ser destacado é que o alto índice de vítimas dessas agressões também é fruto de um contexto social reforçado pela teoria da banalização do mal. Tal tese, defendida pela filósofa Hannah Arendt, aponta para uma sociedade anestesiada pela violência e sem capacidade de se chocar por ela. Dessa forma, esse conceito evidencia a negligência do sistema judiciário  brasileiro perante tais crimes, uma vez que, por ser tão recorrente, os mesmos se tornam banais. Com efeito, muitas agressões físicas e atos de racismo nos estádios permanecem impunes.



          Infere-se, por conseguinte, que é imperiosa uma mudança de pensamento em função do combate à violência nos estádios do Brasil. Desse modo, cabe ao Ministério da Segurança Pública - já que esse é o órgão responsável pelas questões de segurança do país - fazer cumprir o artigo quinto da Constituição Federal, que versa sobre os direitos individuais dos cidadãos, especialmente o direito à segurança em locais públicos. Essa ação pode ser colocada em prática por meio da capacitação e contratação de novos policiais e agentes de segurança que atuem durantes as jogos com maiores pontenciais de violência, além de penalizar devidamente os agressores, objetivando, assim, atunuar esse adverso imblógio social.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!