ENTRAR NA PLATAFORMA
Turismo e seus impactos socioambientais

            Dentre vários símbolos que representam a nação, destaca-se a bandeira brasileira, com lema de base positivista: Ordem e progresso. Todavia, muitas vezes, esse bordão é impedido de ser cumprido, uma vez que os impactos socioambientais causados pelo turismo no país representam um óbice social antagonista aos princípios expostos. Logo, é indubitável averiguar o desdobramento da problemática e as consequências dessa faceta.


 


       Em primeira instância, é válido ressaltar a negligência governamental como a principal perpetuadora do impasse. Durante o descobrimento do Brasil, em 1500, os portugueses ficaram abismados com a exuberância da fauna e flora do território. Em concordância com esse cenário, ainda hoje, a composição natural ainda é admirada e tem um forte peso na atração turística nacional. No entanto, a insuficiente aderência da cultura sustentável no setor evidencia o descaso estatal mediante o controle dos impactos gerados pela atividade. Dessa forma, a ausência de políticas públicas eficientes nessa área corrobora o problema, enraizando-o na sociedade.


 


       Outrossim, é cabível salientar as consequências geradas pelo entrave em questão. Se por um lado tem-se a degradação ambiental, por outro há a perda de identidade cultural local. Rotomando o descobrimento do Brasil e usando-o como exemplo, é inquestionável que, apesar da admiração, houve grande exploração natural e interferência - até perda - de hábitos e crenças dos povos indígenas que já habitavam a região. Nesse sentido, o turismo, contando com a globalização e tecnologias hodiernas, tende a intensificar essas adversidades quando não se desenvolve sustentavelmente, causando danos severos, até irreversíveis, na comunidade afetada.


 


       Portanto, é inegável que os impactos socioambientais do turismo são um infortúnio que urge soluções. Para isso, é imprescindível que o Ministério da Economia, responsável por desenvolver projetos de âmbito nacional, elabore um plano que concilie a atividade econômica com o desenvolvimento sustentável. Isso seria feito por meio de uma parceria com instituições não gorvernamentais, como a Green Peace, a fim de preservar o meio ambiente e a cultura local, tendo uma visão a médio/longo prazo dos resultados obtidos pelo turismo. Somente assim, os impactos negativos dessa incubência poderão ser superados, e o país cumprirá com o lema defendido na bandeira.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde