O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Tema livre

Com a quebra da bolsa de Nova Iorque, em 1929, a prostituição cresceu em dados alarmantes. Tornou-se comum a venda do corpo por questões de sobrevivência ou manutenção de vícios. Atualmente, no Brasil, isso se repete e o combate é cada vez mais difícil. Diante disso, convém analisarmos as principais causas desse problema.
Em uma pesquisa feita por A liga em 2010 relatou que, 70% das mulheres prostitutas não têm uma profissionalização, isso implica dizer que as oportunidades de trabalho são escassas ou até nulas, marginalizando-as. Consequentemente, haverá envolvimento com drogas e a prostituição para manter o vício ou apenas para a sobrevivência, visto que não há outra renda.
Outrossim, a falta de fiscalização do Estado contribui para o aumento dos pontos de meretrício no país, tendo em vista que 87% dos casos ocorrem nas ruas, ainda de acordo com a pesquisa. Isso é ruim não apenas pela exposição que sofre os indivíduos envolvidos ou não, mas também para o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
A fim de solucionar esse impasse, é necessária a mobilização de agentes como o Governo Federal. O Ministério do Trabalho pode oferecer cursos profissionalizantes, a fim de que mais mulheres e grupos transexuais achem a especialização ideal. Aliado a isso, ONGs devem fazer parcerias com empresas para que possam oferecer vagas de emprego, com o intuito de tirá-las das ruas e estabilizá-las com seus devidos direitos.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!