O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Tema livre

O assédio sexual, no Brasil, é vigente desde o regime militar em 1970 quando ainda não existiam leis que puniam tal prática. Porém, hoje, está pautada na Constituição de 1988 a penalidade contra tentativas e atos de abusos sexuais. Ainda assim, faz-se presente a cultura do estupro, principalmente contra mulheres. Desse modo, sob uma visão do direito penal o assédio é caracterizado por meio de ações de cunho hierárquico, em que a vítima é constrangida e subordinada para atender os desejos sexuais do criminoso. Logo, o abuso físico e moral deve ser sanado da cultura brasileira.
As vítimas sofrem com as constantes ameaças que além de comprometerem a saúde física também afetam o próprio psicológico. Essas intimidações ocorrem, com frequência, no ambiente de trabalho e nos transportes públicos. Dessa forma, as mulheres que são abusadas enfrentam difíceis situações psíquicas. Além disso, a cultura do estupro faz a sociedade e a própria vítima acreditar que ela foi culpada por ter sofrido qualquer tipo de assédio, seja pela roupa que estava usando ou pelo horário em que circulava na rua. Essas práticas ocorrem em decorrência da busca pela exaltação da masculinidade, guiada pelo machismo herdado na colonização ibérica.
O assédio ocorre com milhares de pessoas, independente do gênero e a falta de comprovação faz com que muitos criminosos saiam lesos. Por isso, durante uma tentativa de coação o indivíduo deve gravar vídeos e áudios para comprovar tal ação na justiça. O oprimido é visto pelo opressor como um objeto que deve estar a disposição para satisfazer seu desejo sexual. Dessa maneira, o ser humano é banalizado e tratado como se não tivesse liberdade, vontade e sentimentos. No entanto, a educação deve intervir como papel primordial no atual cenário, pois como já abordado por Paulo Freire sem a educação a sociedade não se transforma.
É preciso, portanto, discernimento da população referente aos fatos vivenciados e medidas que cessem a banalização do corpo e sentimento alheio. Dessa maneira, o Estado deve investir em segurança contratando um número plausível de policiais capacitados que circulem constantemente nas ruas. Além disso, as escolas devem inserir ações educativas e palestras ministradas por pedagogos e psicólogos informando sobre a importância de respeitar a liberdade de cada um. A Receita Federal pode investir uma parcela dos impostos arrecadados em novos transportes públicos para que as pessoas não fiquem por muito tempo esperando o veículo e corram o risco de sofrer violência. Assim, o país tenderá à ordem e ao progresso.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!