O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Tema livre

Conforto tecnológico X desconforto na saúde


Sabe-se que o conceito da nomofobia ainda não é muito difundido na contemporaneidade. Entretanto, esse caracteriza-se pelo medo irracional de ficar sem um aparelho de comunicação móvel. Ademais, o uso de dispositivos móveis aumentou consideravelmente nas últimas décadas e por conta de sua praticidade e funcionalidade, torna-se uma ferramenta indispensável no cotidiano das pessoas. Contudo, a compulsão no uso dos eletrônicos, mesmo que inconsciente, age prejudicialmente nas relações humanas e até mesmo em seu bem-estar físico e psicológico.


Outrossim, a Revolução Industrial do século XVIII marcou o estopim da presença de tecnologias nas atividades humanas, as quais somadas à internet, tornaram-se onipresentes na atualidade. Isso ocorreu principalmente devido à comodidade e facilidade que as mesmas aderiram às ações antropológicas, além do imediato acesso a informações proporcionadas. Por exemplo, como é mostrado no relatório da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD, sigla em inglês) que apresenta o Brasil como quarto colocado no ranking mundial de usuários da rede. Dessa forma, o contexto atual remete a uma frase do cientista Albert Einstein "se tornou aparentemente óbvio que a nossa tecnologia excedeu nossa humanidade."


Salientando-se ainda que a aplicação frequente dos aparelhos digitais, quando não é controlada, pode acarretar um vício. Então, convém saber administrar o tempo investido no "mundo virtual" de forma que sua convivência social e saúde mental não sejam afetadas. Para exemplificar, a OMS (Organização Mundial da Saúde) indicou que os casos de depressão aumentaram em 20% na última década e o responsável por isso é o uso descomedido dos eletrônicos. Em contrapartida, eles podem ocasionar tanto desconfortos emocionais como ataques de pânico, além da incapacidade do indivíduo de controlar esses hábitos que o prejudicam.


Portanto, sugere-se que as escolas em cooperação com a mídia busquem difundir por meio de debates e palestras, a necessidade de moderar o uso desses facilitadores e as consequências de sua dependência. Não só o supracitado, como também é preciso que o governo reconheça a nomofobia como um problema de saúde pública e invista em centros de reabilitação para atender aos necessitados. Desse modo, obter-se-á uma comunidade mais consciente e mais ativa socialmente.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!