O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Tema livre

Na obra "vigiar e punir" do filosófo francês Michel Foucalt relata-se sobre o funcionamento inadequado do sistema carcerário, incluindo punições severas, e o controle que o estado tem sobre os prisioneiros. Mesmo não vivendo mais em período opressor, o sistema prisional brasileiro continua sendo visto como símbolo de tortura. Desse modo, cabe ressaltar, que a principal problemática existente é a infraestrutura inadequada.


Outro fator indubitável, nos presídios brasileiros é a superlotação, alimentação de péssima qualidade, má infraestrutura, e muita violência entre os presidiários. Ainda convém ressaltar que, é mais difícil empregar um ex-presidiário em mercado de trabalho, esse fator, pode leva-lo novamente ao mundo do crime.


Segundo o prefácio do livro "Presos que menstruam" da jornalísta e autora Nana Queiroz, a igualdade é desigual quando se esquecem das diferenças. Durante quatro anos a jornalísta fez muitas pesquisas com mulheres presidiárias e carcereiras, e observou que as mulheres são tratadas igual aos homens. No presídio feminino, também encontra-se a superlotação, possui uma má infraestrutura e também falta o básico para a higienização. Outra preocupação constante, é que as presidiárias não passam por atendimento médico regular e tampouco ginecológico.


Em virtude dos fatos mencionados, observa-se, portanto, que o Governo deve construir mais presídios para acabar com a superlotação, por meio de verbas possibilitadas pelo Ministério de Segurança. Outrossim, o Governo do Estado também deve investir na saúde e na segurança dos presidiários, melhorias na infraestrutura do sistema prisonal brasileiro.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!