O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Tema livre

Tema: Intolerância e discurso de ódio nas redes sociais.


A Microsoft, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, desenvolveu um robô com inteligência artificial que, a partir de comentários da internet, construiria sua personalidade. Contrariando as expectativas dos criadores, o dispositivo começou a proferir sentenças racistas e neonazistas, pois, refletia aquilo que encontrava majoritariamente nas redes, e logo foi desativado. Tal fator evidencia o quão tóxico tornaram-se os meios digitais, afinal, a presença da intolerância e do discurso de ódio são deveras comum, pois, as redes retiram da obscuridade e garantem o anonimato daqueles que outrora não tinham coragem de expressar no "mundo real".


Nesse raciocínio, é importante salientar esta nova Era, no qual se propagam frases como "Direitos Humanos para humanos direitos" mostrando a falta de empatia das pessoas, que por inúmeras vezes, escondem-se através de perfis falsos em plataformas digitais para propagar discursos intolerantes. Ilustrando essa afirmação, é possível observar nas redes sociais mais utilizadas, dentre as quais estão o Instagram, Facebook e Twitter, a expansão de grupos supremacistas e de extrema-direita. Cujo, principal objetivo é promover o racismo, a misoginia e a homofobia, além de realizar web-ataques a figuras públicas que se encaixem em algum grupo de minorias.


Ademais, o perfil das pessoas que realizam os ataques corresponde a uma minoria privilegiada, compostas em sua maioria por homens brancos e com maior poder aquisitivo. Os quais possuem as mesmas características dos grupos de supremacia que lutaram contra Martin Luther King, ativista dos direitos da população negra, logo, fica evidente que a mentalidade da humanidade não evoluiu com o tempo. E, encontraram na internet, a possibilidade de disseminar o preconceito sem que sejam diretamente acusados, pois, fazem-no através do obscurantismo pessoal, o que dificulta o trabalho da polícia em lhes identificar e punir.


Em suma, a internet mostra-se um novo palco para que partilham de pensamentos intolerantes possam atuar. Portanto, para solucionar a problemática supracitada faz-se necessário que o Ministério Público Federal em parceria com os representantes das plataformas midiáticas realize o banimento, dos grupos e dos indivíduos que apresentarem comentários de ódio contra outrem. Além disso, é importante que as escolas, tanto públicas quanto privadas, comprometem-se com a educação de crianças, para garantir o futuro, e na reeducação dos jovens e adultos, em especial dos que foram punidos pelo crime de preconceito, para ressarcir pelo passado. A fim de, quando expandirem a tecnologia artificial, ela possa espalhar mensagens de amor e empatia, pois, este se tornará a maioria.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!