O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Tema livre

TEMA: A PRÁTICA DO BULLYING NAS ESCOLAS (tema dado em sala de aula)

Sabe-se que a violência é uma realidade em vários segmentos da sociedade brasileira e não se apresenta de modo diferente no ambiente escolar. Com práticas de bullying atingindo crianças e adolescentes, tal intimidação, quando não controlada, tem deixado sequelas no processo de formação desse público e comprometido o papel da escola. Diante dessa perspectiva é preciso analisar com cautela as formas em que essas agressões se manifestam, como os prejuízos que ocasionam.

Cabe enfatizar, a princípio, que o bullying constitui-se de agressões intencionais que podem ser físicas ou verbais e de forma repetitiva, com o objetivo de intimidar, agredir, humilhar ou discriminar alguém. Ocorre sem motivação evidente e pode ser praticado por um agente ou por um grupo, contra uma ou mais pessoas. Entre as causas do bullying estão os modelos educativos a que estão expostas as crianças. Em muitos casos o aluno que pratica bullying, na escola, é alvo de violência dentro da sua própria casa, ou quer se sentir superior para esconder suas falhas. Nesse contexto, essas violências geram série de fatores negativos para a vida social das vítimas, em questão.

Em consequência disso, a declaração dos Direitos Humanos destaca que "Todos seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos". Segundo a revista Veja, em Realengo, no Rio de Janeiro, um ex aluno que foi vítima do bullying escolar, voltou ao local e assassinou doze pessoas, e logo depois cometeu suicídio. Nesse aspecto, crianças alvo de bullying sofrem ansiedade, estresse e experimentam fortes sensações de medo. Esses sintomas, em casos mais graves e prolongados podem levar o menor a desenvolver quadros de depressão e suicídio, como foi visto acima.

Entende-se, portanto, que o combate à liquidez citada, anteriormente, à fim de conter o avanço da prática do bullying nas escolas, deve-se tornar efetiva, uma vez que tais agressões às vítimas podem gerar sérios abalos psicológicos. É importante ressaltar que o maior trabalho para a prevenção do bullying é feito em casa, e é dever da família orientar seu filho, dar apoio, educa-lo e ensinar a não revidar a violência. Sendo assim, alguns instrumentos legais podem minimizar a situação desse problema, no Brasil. O Estado, através de seus órgãos executivos, devem criar políticas que evidenciem o tema, bem como canais para denúncias, além de incentivar, junto a secretárias municipais e estaduais, a abordagem da questão em ambientes educacionais, partindo dos profissionais nesta área, como: palestras com professores conscientizando sobre a prática incluindo a fixação de cartazes estimulando a denúncia de qualquer agressão. Adotadas tais medidas, será possível reverter essa realidade que persiste na sociedade e garantir o direito e a igualdade das crianças e dos adolescentes.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!