O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Tema livre

O total de idosos que vivem em abrigos públicos sobe 30% nos últimos cincos anos, segundo o jornal Folha de São Paulo, tendo em vista que nem sempre encontram na família uma alternativa de amparo. Desse modo, torna-se um caso de saúde pública o debate sobre a oferta de cuidados de longa duração.
Em primeiro lugar, é notório a dificuldade que há no homem em aceitar o processo de envelhecimento. Há algumas décadas, as famílias tinham como principal foco o cuidado e a educação dos filhos que seriam seus herdeiros e continuadores, mas com uma rotina fundamentada é movida pelo capitalismo, não há uma disponibilidade das gerações atuais em cuidar do idosos, com efeito disso torna-se cada vez mais frequente a proliferação de clínicas e casas de repouso.
Outros desafios para o Governo é garantir aos idosos médicos especialistas e medicamentos pelo SUS, Sistema Único de Saúde. Situação essa que os idosos enfrentam hoje com bastante dificuldade, já que, o Estado ainda não dá conta de oferece-lhes conforme o Estatuto do Idoso garante. O Brasil, até então, não dispõe também de Políticas Públicas com renda voltada para um suporte social, pois não basta viver mais, é preciso viver melhor. dessa forma, para que haja o processo natural de envelhecimento seja de qualidade, o idoso precisa ser assistido com lazer, sociabilidade, ter independência e autonomia.
Diante do exposto acima, os novos desafios encontrados pelos idosos, tem como foco a inclusão e valorização diante ao individualismo social. Nesse sentido, cabe à Sociedade civil, em conjunto aos departamentos sociais de empresas privadas, financiar atividades culturais e campanhas mobilizadoras integrando os mais velhos e estimulando à responsabilidade coletiva de zelar pelo bem estar dessa população, dinamizando assim, as relações sociais.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!