ENTRAR NA PLATAFORMA
Telenovelas brasileiras como influência social
O site tcmundo apontou que os brasileiros sãos os segundos no mundo a passarem mais tempo assistindo tv, gastam em média 20h semanais. E o conteúdo mais esperado pelos telespectadores, certamente sãos as telenovelas. A cultura de acompanhar novelas foi iniciada no Brasil por volta do anos 40, as famosas rádionovelas. Em meados dos anos 50 a,já extinta, TV Tupi foi a pioneira na transmissão pela tv e consagrou muitos atores, entre eles Lima Duarte.

A fim de conhecer a fundo os públicos das telenovelas, o IBOPE divulgou em 2015 que as tramas abrangem a todas as idades e gêneros. Entretanto, não sendo surpresa, a pesquisa concluiu que as mulheres representam a maioria. Evidentemente esse fenômeno não é uma coincidência, pois sabe-se que até o final do séc. XX a principal ocupação das mulheres era "do lar?, portanto seu maior entretenimento eram assistir novelas. Fato pode ser comprovado no livro Mulher Objeto de Cama e Mesa, escrito por Heloisa Studart. A autora relata que as mulheres são mais expostas aos produtos televisionado e por isso são as maiores consumidores, estando na lista delas os cabelos das atrizes, o estilo de roupa e o comportamento. Para Studart, isso representam um prejuízo para a formação intelectual feminina, pois foram impedidas de conhecer o mundo, o que as tornaram prisioneiras e os homens alcançaram o conhecimento e a liberdade, deixado as assim em desvantagem ao sexo oposto.

Evidentemente, as tramas são instrumento de socialização e quebram até mesmo sistemas de classes, pois a patroa e a empregada podem falar a mesma língua. Essas relações segundo, Roberto daMatta, em seu livro O Que Faz do Brasil, brasil?, auxiliam na confiabilidade e familiaridade entre as pessoas, isso se faz presente, sem dúvida, no último capítulo da novela das nove, todos se reúnem para o tão esperado dia.

Equivocadamente, o pais do futebol é conhecido como o país do tudo pode. Os diretores e roteiristas de tramas brasileiras bem sabe que isso não é verdade, pois tiveram que alterar seus textos devido a reação do público e por causa das grandes marcas patrocinadoras. Isso acontece devido os folhetins serem rodeados de assuntos polêmicos, como homossexualidade, racismo, prostituição, violência, drogas, traição, deficiência e muitos outros aspectos que ferem as famílias tradicionais. Estes pontos devem ser abordados e analisados e não omitidos, mas talvez o telespectador não esteja preparados para tais temáticas, embora elas estejam e são praticadas no dia a dia. Sabe-se que a novela precisa manter uma linha de equidade, pois seu público possui várias classes sociais. Vera de Oliveira Nudeo Lopes, em sua contribuição ao livro A TV aos 50 criticando a televisão brasileira, mostra que a TV aberta é patrimônio público e por isso, os cidadãos possuem o direito de questionaram o seu conteúdo, e portanto se torna alvo de tantas críticas.

Enfim, os assuntos ditos polêmicos precisam ser tratados com a finalidade de quebrar preconceitos, fazer denúncias e levar a uma sociedade mais justa. Conclui-se que a novela é um importante veículo de comunicaçnão, mas não é o único. Os telejornais, a internet sãos atualmente os maiores veículos de informação e podem ficar encarregados dos sensacionalismos. O público que assiste novela talvez anseie por conteúdos mais piegas e mais encantadores com o intuito de fugir da realidade e por isso reagem negativamente diante de determinados conteúdos. Sendo assim, os redatores devem sim retratar as polêmicas, entretanto, de forma eufêmica e humorística e com isso não prejudicar a audiência de seu folhetim nem ferir os costumes tradicionais de seu público.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde