O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Telemedicina no Brasil

Tecnologia, inovação , aperfeiçoamento: embora tais termos se relacionem a quarta e atual Revolução Industrial, eles estão cada vez mais próximas da saúde brasileira. A Telemedicina, temática recorrente no contexto nacional, trará consigo, uma vez incentivada, várias vantagens: além de democratizar o acesso ao pleno atendimento, irá otimizar os custos.


Em um primeiro âmbito geográfico-discursivo, faz mister salientar que a Telemedicina quebraria barreiras geográficas. Com cerca de 95% do território constituído por planaltos e depressões, a locomoção para hospitais e unidades de atendimento no Brasil é, muitas vezes, bastante difícil. A Teleconsulta , principal frente da Telemedicina, promete mudar completamente tal contexto: além de estender o serviço médico para pacientes de regiões geográficas de difícil acesso ou com dificuldade de mobilidade, aumentaria a precisão dos diagnósticos, uma vez que casos podem ser discutidos com vários especialistas, principalmente em hospitais que não possuem cardiologistas e neurologistas, por exemplo.


Outro ponto relevante, nessa temática, é a potencial otimização dos custos. País situado na América do Norte e detentor da maior economia do mundo, os Estados Unidos estão deveras avançados na discussão da Telemedicina: o programa CCHT( Care Coordination and Home Telehealth) presta atendimento remoto aos veteranos de guerra do país e conta com 50 mil pacientes. Segundo estudos, esse projeto, além de reduzir o custo de atendimento, diminuiu o número de internações hospitalares, desinchando hospitais e dando uma ótima perspectiva à medicina norte-americana.


Infere-se, portanto, que a Telemedicina, uma vez implementadas no Brasil, traria muitos benefícios. Assim , visando esse objetivo, o Ministério da Ciência, tecnologia e infraestrutura deve, via lei aprovada pelo Senado, exigir que cerca de 10% do PIB nacional seja destinado ao desenvolvimento de infraestrutura adequada à Teleconsulta. Além disso, com o fito de instruir e explicar à população sobre atendimentos on-line, o Ministério das Comunicações deve, por meio de inclusões na rede televisa, incluir anúncios e propagandas que mostrem o funcionamento e a eficácia desta prática. Tais medidas, uma vez implementadas, significarão um enorme passo da saúde brasileira para o futuro.


 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!