O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Sedentarismo no Brasil

No filme de animação Wall-E, devido à poluição, os seres humanos são obrigados a morar em uma nave onde vivem cercados pela tecnologia tornando-se extremamente sedentários. Fora da ficção o sedentarismo infantil vem aumentando e se transformando em um problema no Brasil, tendo como agravantes o uso exagerado da tecnologia e a falta de estímulo dos pais, sendo necessárias intervenções afim de resolver a questão.
Assim como no filme o uso desenfreado da tecnologia por crianças é um dos principais motivos para a tendência ao sedentarismo das mesmas. De acordo com uma pesquisa feita pela TIC kids 83% dos menores de 18 anos usam o celular regularmente, em contrapartida apenas 44% praticam alguma atividade física de acordo com a CELAFISCS, comprovando o efeito negativo do excesso tecnológico sobre as crianças. De acordo com os dados apresentados, fica evidente a urgência de evitar que a tecnologia ultrapasse nossa humanidade, como afirmava Einstein, a ponto de prejudicar ainda mais o desenvolvimento físico e mental dos jovens.
Além disso, outro fator contribuinte para o sedentarismo infantil é a falta de estímulo e instrução dos pais e familiares à prática de exercícios. De acordo com um estudo da universidade de Oregon crianças que passam mais tempo sozinhas costumam recorrer à tecnologia como passatempo, tanto pela falta de exemplos positivos dos pais em relação a atividades físicas, quanto pela questão do aumento da violência nas ruas, impedindo-as de sair para a prática de esportes sem um responsável para vigiá-las. Destarte, fica claro o quanto os hábitos familiares tem uma grande influência não apenas na conduta das crianças como também em seu desenvolvimento físico, sendo assim é imprescindível que, como afirmou Durkheim, os pais melhorem para assim melhorarem seus sucessores.
Fica evidente, portanto, que intervenções são necessárias para combater o sedentarismo infantil. Cabe ao MS realizar campanhas publicitárias conscientizando sobre a relação entre o excesso de tecnologia e a falta de exercícios físicos entre as crianças, alertando sobre o tempo limite em frente a aparelhos eletrônicos, e o tempo mínimo em atividades ao ar livre, assim os responsáveis adquirem a noção de como proteger e evitar atitudes sedentárias por parte do público infantil. Por fim, cabe ao ME desenvolver projetos sociais que visem a iniciação e o incentivo das crianças ao esporte, oferecendo um espaço seguro e inclusivo, atingindo assim o objetivo de substituir o passatempo da tecnologia pelos esportes, reduzindo os malefícios do sedentarismo na infância.


Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!