O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Sedentarismo no Brasil

Funcionando conforme a primeira lei de Newton, a lei da inércia, a qual afirma que um corpo tende a permanecer em movimento até que uma força suficiente atue sobre ele, mudando de percurso, o sedentarismo infantil é um problema persistente no cotidiano brasileiro há algum tempo. Com isso, ao invés de funcionar como a força suficiente para capaz de mudar o percurso deste problema, da permanência para extinção, a combinação de fatores familiares com tecnológicos acabam por contribuir com a situação atual.
É incontrovertível afirmar que, atualmente, a sociedade está mais violenta. Como método de afastar os filhos do perigo, os pais acabam por contribuir para o sedentarismo dos filhos, uma vez que optam por deixá-los em casa, enfrente aos computadores e televisões, ao invés de brincarem na rua, e assim, praticarem atividades físicas. Não obstante, o sedentarismo é a segunda causa de morte no planete, e, o que os pais dizem ser por "proteção", pode acabar sendo fatal para a criança e, por conseguinte, os responsáveis acabam por colaborando para a situação atual de persistência do problema.
Outrossim, a tecnologia que ano após ano vem se superando, é um fator que está associado aos casos de sedentarismo infantil. Desde muito cedo, a criança já tem contato com tablets, celulares, videogames, e computador, e o que inicialmente é considerado como "lazer" ou "passatempo", acaba tornando-se vícios. As crianças ficam horas e horas vidradas nas telas e acabam dispensando as atividades que não envolvam tecnologia. O estado apático, eventualmente leva á obesidade e as mais diversas doenças que o sedentarismo trás consigo, como o aumento de LDL(colesterol ruim), AVC, diabetes e depressão. Desse modo, torna-se realmente inevitável a mudança do percurso da atual realidade do sedentarismo infantil, de persistência para resistência.
Dessa forma, fica evidente a necessidade de tomada de medidas que realizem a mudança deste percurso. Para atenuar os índices de casos de infanto sedentarismo, com subsídio do governo através do Ministério da Educação (MEC), seja aumentado, nos anos iniciais da escola, os números de aulas de educação física semanais, com objetivo de haver mais práticas de atividades pelas crianças. Também seria de extrema importância haver conscientização dos pais, por meio de palestras com profissionais da saúde, nas escolas, objetivando maior atenção pelos responsáveis em relação ao sedentarismo infantil. Só assim, os pais e as escolas funcionarão como a força descrita por Newton, e mudarão o percurso do sedentarismo infantil, da persistência para extinção.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!