ENTRAR NA PLATAFORMA
Saúde mental no século XXI

Segundo o sociólogo francês Émile Durkheim, célebre teórico do Período Oitocentista, a sociedade é análoga a um corpo biológico, porque assim como esse, é formada por elementos que interagem entre si. Dessa forma, para que esse organismo opere perfeitamente, é necessário que todos as partes estejam em harmonia. No entanto, na conjuntura hodierna, as questões relacionadas à saúde mental configuram-se um elemento desarmônico. Nesse contexto, dois fatores destacam a problemática: a omissão do Estado frente à questão e a desinformação populacional. Assim, faz-se necessário analisar e buscar meios de alterar esse cenário.


     Inicialmente, é oportuno citar que é papel governamental fornecer apoio às famílias e indivíduos que convivem com doenças mentais. Sob essa ótica, o Artigo 196 da Constituição Cidadã dita a respeito da responsabilidade do Estado no que tange à garantia do direito à saúde. No entanto, em virtude da carência de infraestrutura adequada e da precariedade no tratamento de doenças mentais, esse direito cidadão não é  ratificado, o que configura, de acordo Dahrendorf, um estado de anomia social, condição em que as normas mediadoras de uma sociedade deixam de legitimar-se. Posto isso, é notória a necessidade de atitudes para superar esse empecilho em solo tupiniquim.


      Além da omissão do Estado, a ignorância da sociedade a respeito das patologias da mente também atua como força motriz do problema. Nesse sentido, a desinformação faz com que inúmeros indivíduos lidem com essas doenças de uma forma preconceituosa. Acerca disso, é válido citar como exemplo a série "Os 13 porquês", na qual uma garota comete suicídio em virtude do bullying que os colegas faziam por não entender os problemas psicológicos com que a garota lidava. Tal perspectiva retrata de maneira consoante a realidade de inúmeros indivíduos que defrontam com esse tipo de mazela. Diante disso, é indispensável a dissolução da problemática.


     Urge, portanto, que medidas sejam tomadas para que as questões relacionadas à saúde mental deixem de ser problema. Para tanto, é necessário que a díade Estado e Mídia trabalhem em conjunto. É mister que o Estado, que para Aristóteles é o provedor de bem-estar social, por meio do direcionamento de impostos fomentar a instauração de infraestrutura adequada para o tratamento de doenças mentais nos hospitais brasileiros com o objetivo de que o Artigo 196 da Constituição seja ratificado. Além disso, compete à Mídia, que para Chomsky é grande influenciadora comportamental, por meio da transmissão de campanhas televisivas conscientizar a população a respeito da questão das patologias da mente com o fito de que essas sejam tratadas de forma menos preconceituosa. Somente assim, observar-se-á a sociedade operar harmonicamente como na premissa de Durkheim.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde