ENTRAR NA PLATAFORMA
Saúde mental no século XXI

   Na obra "A metamorfose", Franz Kafka descreve a vida de Gregor - um caixeiro viajante - que sem justificativa autoral encontra-se, ao acordar, metamorfoseado num inseto monstruoso, e, a partir desse ocorrido sua saúde mental é drasticamente prejudicada, de maneira que Gregor não se sente aceito nem mesmo por sua própria família. Analogamente, no Brasil hodierno, a saúde mental da população é tratada de forma banal - sobretudo, devido o descaso estatal - que, por conseguinte ocasiona doenças psicológicas sem restrição a idades especifícas, afetando todo o corpo social. Nesse sentido, faz-se pertinente debater acerca da problemática no contexto brasileiro. 


   Convém ressaltar, a princípio, que as doenças mentais são vistas hierarquicamente inferiores as físicas pelo Estado, por isso, tamanha displicência quanto a elas. Sob tal ótica, percebe-se a analogia da situação atual com a Grécia Antiga, onde o período foi marcado pela saturação de corpos exuberantes, descartando a preocupação com o psicológico. No entanto, vê-se relativo atraso, pois, no século XXI a mentalidade ainda se encontra em paralelo com a dos primordios da Grécia Antiga.


   Em segundo plano, vale salientar, que é preciso apoio a saúde mental de toda sociedade, visto que, independente da idade as pessoas estão sucetíveis a transtornos. Desse modo, um dos principais causadores de doenças mentais entre os jovens é o bullying, pois, segundo pesquisa realizada pela ONU, somente no Brasil, 43% dos jovens e crianças já foi vítima de bullying, tal percentual ainda desconsidera o ciberbullying que eclodiu com o advento da revolução tecnológica. Além disso, as consequências não se limitam ao bullying, uma vez que, entre os adultos a Síndrome de Burnout se destaca entre os causadores de problemas mentais, tal síndrome diz respeito ao esgotamento psicológico em âmbito laboral, que, em estágio avançado causa depressão.


   Portanto, indubitavelmente, o Estado deve agir em prol de mitigar o impasse. Para informar a população brasileira a respeito do problema, urge, que o Sistema Único de Saúde (SUS) em parceria com o Ministério da Educação (MEC), crie, por meio de verbas governamentais, campanhas que visem discussões engajadas sobre a temática saúde mental - com o apoio de profissionais especilizados, como psicólogos, para fins de atendimento - em âmbito escolar e com intuito de extenção para instituições privadas, por exemplo, as empresas. Ademais, é mister a criação - utilizando os mesmos recursos supracitados - de campanhas midiáticas, veiculadas na internet e em horário nobre da TV, que tratem de abordar formas de buscar ajuda para tratar o impasse. Posto isso, a realidade brasileira se distinguirá da descrita em "A metamorfose". 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde