ENTRAR NA PLATAFORMA
Saúde mental no século XXI

    No Brasil, atualmente, muito se tem discutido acerca da saúde mental no século XXI, a qual tem sido pouco valorizada pela sociedade, de maneira a ser uma adversidade contemporânea. Essa problemática se deve pela banalização do bem estar mental e pela visão pejorativa da grande parte da população com os transtornos psicológicos.
  Um dos fatores da desvalorização da saúde mental é a pouca importância da pessoas com essa questão. Segundo a Organização Mundial da Saúde(OMS) quase 6% da população brasileira sofre de depressão. Embora o país tenha altos índices dessa doença e de outras doenças, como a ansiedade, grande parcela da população ainda não da a devida importância para o bem estar mental. Essa realidade de pouca importância com a saúde psicológica é uma das causadoras desses alarmantes dados sobre transtornos mentais. Enfermidades supracitadas, como principalmente a depressão e ansiedade, são, de modo geral, vistas por muitos como questões sem muita importância, de modo a serem vistos como "besteira", "fraqueza" e como "falta do que fazer". Essas opiniões contribuem com a desvalorização da saúde mental e dos métodos de tratamentos das enfermidades psicológicos, como a terapia, levando as pessoas a banalizarem essa questão.
   Além disso, a visão depreciativa das pessoas para com os problemas psicológicos também é uma causadora da desvalorização da saúde mental. Estigma social é um conceito sociológico, a qual consiste em uma visão pejorativa que um determinado grupo sofre por possuir alguma coisa que a diferencie das demais. Esse conceito é observado na prática pelo olhar de grande parte da população para com quem sofre de transtornos mentais, como ansiedade e depressão, haja vista que as pessoas que possuem essas enfermidades são consideradas "fracas" e "problemáticas" pela população leiga. Esse situação propicia um afastamento e medo dos indivíduos que pensam em procurar ajuda de um profissional, haja que podem ser estigmatizados casa possuam alguma enfermidade. 


   Portanto, medidas são necessárias para que a saúde mental seja valorizada. O Ministério da Saúde, em parceria com os setores midiáticos, deve organizar comerciais sobre a importância de se valorizar a saúde emocional e vivenciar um bem estar mental, nos canais de televisão, rádio e internet, com informações sobre terapia psicológica e sobre os transtornos mentais, com o objetivo de descontruir crenças errôneas e preconceitos a respeito da saúde emocional. Dessa forma, será possível valorizar a saúde mental no século XXI


 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde