use o cupom aprovado21 e ganhe + 21% de desconto extra 21% OFF

Relação entre competitividade e qualidade de vida

Desde a Grécia Antiga, a lei das Alavancas, criada por Arquimedes, tinha como intuito reduzir os esforços físicos dos trabalhadores da época. No entanto, quando se trata da relação entre competitividade e qualidade de vida, no Brasil, apesar de o esforço físico ter sido, drasticamente, diminuído durante os séculos, o esforço intelectual é uma das principais impulsionadoras do problema no país assim como a negligência da saúde dos funcionários pelas empresas.
É seguro dizer que o quesito constitucional e a sua aplicação estejam entre os motivos dessa adversidade. Segundo o influente escritor britânico Oscar Wilde, a insatisfação é o primeiro passo para o progresso. Analogamente, é possível perceber que, no Brasil, o esforço intelectual dos trabalhadores requer atenção especial, uma vez que o cenário econômico está cada vez mais estreito e rigoroso. Busca-se dedicação, flexibilidade, capacitação, especialização, responsabilidade e eficiência dos trabalhadores em troca de horas de trabalho extensas, exploração, poucos (ou nenhum) benefícios, contribuindo, diretamente, para o sacrifício da vida pessoal e a instabilidade física e emocional dos profissionais.
Ademais, destaca-se a negligência da saúde dos funcionários como forte fomentadora do problema. De acordo com Aristóteles, o fato social é uma maneira coletiva de agir e pensar. Seguindo essa ideia, nota-se que o preço da ascensão profissional, atualmente, requer a potencialização de resultados. Em contrapartida, o bem-estar corporativo é esquecido. A saúde plena do indivíduo mental tem tanta importância quanto física. Competir quer dizer ter de enfrentar desafios que podem transcender a uma desgastante fonte de estresse. É preciso estabelecer um equilíbrio entre colaborador e empresa para que ambos cresçam juntos.
Entende-se, portanto, que quando o mundo se transforma, o ser humano precisa se transformar também. Para isso, é fundamental políticas normativas que visem a construção de um lugar melhor. O Governo junto do Ministério do Trabalho e escolas devem promover palestras sobre competitividade e qualidade de vida, de modo que as pessoas percebam o quanto uma vida estressante é prejudicial à saúde. Dessa forma, com base no equilíbrio sugerido por Aristóteles, esse fato social será, eventualmente, reduzido no país.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!