ENTRAR NA PLATAFORMA
Relação entre competitividade e qualidade de vida
A competitividade é algo que sempre existiu entre os animais, principalmente, entre os seres humanos. Em um vestibular, por exemplo, há uma alta disputa por uma das vagas das universidades. Mas, se essa competitividade for levada para o resto da vida por alguns indivíduos, será se é saudável? .

A disputa por algo está relacionada por um avanço pessoal de alguns indivíduos. Essa conquista por um cargo melhor dentro de uma empresa só é bom para uma pessoa e não para o coletivo. Pessoas que estão iniciando em um cargo são duramente criticadas por indivíduos altamente competitivos. Hoje, as empresas excluem candidatos que possuem perfis altamente competitivos nos processos seletivos, pois empresas precisam de pessoas que trabalhem em equipe, e o trabalho em equipe é ótimo para o desenvolvimento da companhia.

No entanto, a competitividade só é boa quando há uma disputa entre empresas, ou seja, disputa para colocar o melhor produto no mercado e com ótimos preços. Pessoas competitivas têm mais riscos de desenvolver estresse. O estresse é ocasionado pela liberação de um hormônio chamado cortisol, logo, isso poderá desencadear várias doenças como problemas cardíacos e pressão sanguínea elevada. Segundo pesquisas, o estresse reduz o rendimento das atividades das pessoas.

Portanto, competir é bom, porém, isso é saudável entre as empresas e não entre seus funcionários. Toda companhia deve cuidar muito bem de seus funcionários. Exercícios de relaxamento antes de iniciar as atividades devem ser obrigatórios em qualquer tipo de empresa. Profissionais como psicólogos devem acompanhar todos os meses as equipes das empresas com consultas e exames, a fim de que possa diagnosticar algum problema emocional e cuidar dessa enfermidade.


Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde