O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

Reforma trabalhista no Brasil

Revolta. Indignação. Desvalorização. Infelizmente essas são as palavras que se remetem ao conceito de Reforma Trabalhista no território nacional. Mesmo com a garantia de vários direitos ao decorrer da história por meio de intensas manifestações, os mesmos correm grande perigo atualmente. Perigo esse gerado pela alienação do povo brasileiro, que vive a mercê do "Burguês".
O século XVIII na Europa foi marcado por um movimento muito importante para a formação do que se conhece hoje como direitos. Denominado de Revolução Francesa (1789-1799), foi promovida com o objetivo de acabar com o poder da aristocracia da época e implementar a democracia na França, tendo como uma de suas principais conquistas: Os direitos do homem e do cidadão. Baseados em ideais iluministas, asseguravam: Direito à vida, à liberdade e à propriedade. Esse movimento revolucionário deu o pontapé inicial para grande parte do que se conhece hoje no campo do trabalho, mostrando a cada um de nós como a reivindicação e manifestação popular são importantes.
Já no Brasil, durante o governo constituinte de Vargas (1937), acontece a criação da CLT (Consolidação das leis do trabalho), garantindo férias remuneradas, salário mínimo, baixa na carga horária de trabalho e etc. Contudo, nas últimas semanas houve a apresentação de um Reforma Trabalhista por parte do Governo, afetando diretamente a CLT e consequentemente os trabalhadores. Se realmente for aplicada, pode ocorrer não só a perca de direitos, como também da dignidade dos cidadãos. Afirmando assim a teoria do filósofo e sociólogo contemporâneo Karl Marx, em que há uma "Reificação"na sociedade, ou seja, uma coisificação, caracterizada pela desvalorização e exploração do Proletário (trabalhador) que é visto como uma peça descartável pelo Burguês (patrão).
Por conseguinte, é notório como se caracteriza o trabalhador e os riscos que o mesmo corre com a efetivação da Reforma Trabalhista. Em virtude disso é necessário que ocorra maior participação social e sindical no meio político, mantendo dessa maneira os direitos adquiridos por lei como diz o artigo número 5 da constituição federal de 1988. Além da criação de programas educativos nas escolas desde cedo a respeito do mundo do trabalho e principalmente sobre nossos direitos, informando os cidadãos desde pequenos e evitando a tentativa de alienação e coisificação imposta pelo Burguês no futuro.
Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!