ENTRAR NA PLATAFORMA
Redes sociais e o novo conceito de felicidade

 Em seu livro "A Ilha", Aldous Huxley descreve uma sociedade onde os habitantes são felizes e vivem em perfeita harmonia. Analogamente, no universo da internet, as redes sociais transmitem o ideal de felicidade quando usuários expõem recortes "perfeitos" de seu cotidiano, como viagens, roupas de grife e corpos atraentes. Amostras como essas seduzem milhares de seguidores, especialmente jovens, que passam a almejar o mesmo padrão de vida, considerado sinônimo felicidade.


 Salienta-se que o exposto nas mídias sociais destoam da realidade, ao passo que enaltecem o consumo e o poder aquisitivo que não contempla a maior parte dos seguidores. Ora, é nesse ponto que a influência digital apresenta caráter nocivo, sobretudo ao público jovem, que experimenta o sentimento de frustração por não atingir tais parâmetros tidos como ideais. A frustração por não se encaixar nos padrões midiáticos conduzem ao pensamento de inferioridade e exclusão, gatilhos para transtornos mentais como ansiedade e depressão. Vê-se aqui, o caráter destrutivo que as redes sociais podem representar.


 Cabe aqui a reflexão sobre o papel da sociedade neste contexto. A ostentação de um padrão de vida representa um comportamento presente na história da humanidade desde há muitos séculos. A aprovação social sempre se deu a partir da avaliação do poder aquisitivo. Ao ostentar o poder de capital, o individuo revela, portanto, uma imagem socialmente influente. Com o advento da internet, tal comportamento teve suas proporções potencializadas, dado a rapidez e a facilidade com que o conteúdo é difundido - o que multiplica o número de "influenciados".


 Destarte, é imprescindível o papel da Educação neste cenário. Cabe ao MEC elaborar o material a ser difundido nas Escolas, através de palestras e discussões, afim de instruir os alunos a respeito do uso das redes sociais e das consequências oriundas da influência digital. Mormente, abordar de forma didática, temas relacionados à saúde mental. Por fim, cabe ao professor organizar debates sobre o tema em sala de aula, propor uma reflexão sobre o contexto histórico-social através de elementos da Sociologia e da Filosofia. Dessa forma, jovens seguidores estarão aptos a desfrutar das redes sociais de forma segura, consciente e com uma boa dose de criticismo. 


 

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde