ENTRAR NA PLATAFORMA
Redes sociais e o novo conceito de felicidade

Na música "Fake smile" da cantora Ariana Grande, é retratado o cansaço dela em ter que transmitir uma vida perfeita, estando sempre feliz. Sendo forçada assim, a dar "falsos sorrisos", reprimindo suas emoções e transparecendo uma imagem perfeita, fingindo que não é vulnerável e não passa por problemas pessoais. Baseada nisso, a sociedade moderna vive o momento de uma realidade ilusória. Onde as pessoas mascaram a própria vida com artigos luxuosos, itens ou momentos com o intuito de propagar uma vida incrível diante das demais. Esse estilo de vida baseado em luxo acaba provocando principalmente, nos jovens, o sentimento de frustração e infelicidade com a vida que levam. Tal descontentamento, vem aumentando os índices de depressão e suicídio na população por não conseguirem ter uma vida de status.


 Com o uso crescente das redes sociais, compartilhar momentos e as aquisições pessoas se tornou um hábito comum na sociedade. Principalmente, em plataformas como o Instagram e Youtube. Onde, nos últimos anos, houve um crescimento gigantesco de influenciadores digital que, exibem suas vidas de forma excessiva com viagens constantes, carros, joias e festas luxuosas. Uma realidade que para uma pessoa comum que trabalha oito horas por dia ou mais, para garantirem o sustento, é algo impossível de ser alcançado. Já que, nem todos têm a oportunidade e condições para trocarem de vida e ostentarem uma vida glamorosa como essa.


 Atrelado a essa realidade prestigiosa, o sentimento de insatisfação e desânimo aumenta na população mundial. Problema que vem atingindo sobretudo, os jovens que estão passando para a fase adulta. Iniciando elas já infelizes, com o sentimento de ambição e que devem ser individualistas. Ouvindo desde cedo que, para terem coisa X é preciso se submeterem a jornadas de trabalho ou estudo excessivas para conseguirem ao menos 1% do que os outros ostentam com tanta facilidade. Por consequência disso, as pessoas vêm sendo diagnosticadas com depressão cada vez mais novas ou infelizmente, cometem suicídio por não terem uma vida invejável como o das celebridades.


 Torna-se evidente, portanto, que é de suma importância diminuir a atenção voltada para essa falsa realidade que é propagada na mídia, e que, gera sentimentos de descontentamento no ser humano. Para amenizar isso, é preciso que as plataformas midiáticas criem, juntamente com os digitais influencers, por meio das redes sociais campanhas publicitárias que retratem que entre essa vida maravilhosa, ocorre complicações e que os problemas fazem parte da vida de todos. Mostrando assim que, a felicidade é um estado de espírito e que deve ser sentida sem ser atribuída a riqueza ou luxo presente no estilo de vida dos famosos. Dessa forma, não será preciso reprimir seus sentimentos através de um sorriso falso, fazendo com que esse novo conceito de felicidade deixe de fazer parte da sociedade brasileira.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!
Message comes here!
Aguarde