O CUPOM VOUPASSAR35 É VÁLIDO POR: dias horas minutos segundos

REAPLICAÇÃO ENEM 2020: A falta de empatia nas relações sociais no Brasil

      “Caminhando com seus sapatos...”, instalação interativa do Museu da Empatia, propôs a experiência de andar com o calçado de uma pessoa estranha, enquanto ouve a sua história. Essa atividade objetiva inspirar mudanças de atitudes. Não distante dos espaços culturais, nos dias atuais, no Brasil, a ausência de empatia impede verdadeiras conexões entre as pessoas. Em razão disso, estão falta de escuta atenta e o egoísmo.  Em consequência disso, vê-se, a todo instante, persistência da pobreza, conflitos étnicos e atritos familiares.


      Em primeiro lugar, é notável a incapacidade de ouvir o outro. Segundo Alberto Caeiro, heterônimo do poeta Fernando Pessoa, “Não é bastante ter ouvidos para ouvir o que é dito; é preciso também que haja silêncio dentro da alma”, no entanto, são várias as barreiras que ainda precisam ser superadas na comunicação, em especial, no sentido da audição. Sob esse viés, é fato que o homem contemporâneo tem alto grau de ansiedade e, dificilmente, permite que o seu interlocutor conclua uma frase sem que seja interrompido. Ademais, boa parte daquilo que foi ouvido, não foi, verdadeiramente, compreendido. Dessa forma, para melhorar as relações sociais, as escolas deveriam desenvolver nas crianças a habilidade da audição concentrada no próximo.


         Em segundo lugar, a sociedade vigente é egocêntrica. Parafraseando o psiquiatra Joel Birman, a atual cultura narcísica, permeada pela moral do individualismo ao extremo, levou o indivíduo a tratar o outro como rival.   Nessa perspectiva, o brasileiro tem cuidado pouco do próximo, quer seja, um ente familiar, um companheiro de trabalho ou um morador de rua. Esse fato é agravado pela falta de solidariedade, que deveria amalgamar os laços sociais. O resultado disso é a propagação de discursos de ódio nas redes sociais e a perpetuação das desigualdades na comunidade. Desse modo, é imperioso um repensar coletivo sobre o interesse individual em detrimento do corpo social.


       Evidencia-se, portanto, que a ausência de empatia constitui desafios a superar. Assim, cabe ao Ministério da Educação, por meio de leis e de investimentos, com um planejamento adequado, estabelecer aulas de empatia nas instituições de ensino para treinar o cérebro das crianças a entender a dor do próximo. Além disso, é de suma importância que as empresas desenvolvam aplicativos para conectar pessoas de lados opostos politicamente. Dessa maneira, a vida em sociedade terá mais concordância e entendimento.

Ver todas as redações Corrija suas redações com a nossa plataforma! Clique aqui!